2 de out de 2012

UM MUNDO BONITO

“Confio no Senhor! Como podeis dizer-me: ‘Voa para um monte como um pássaro” (Sl 11,1-7).
Deus viu toda a água que cobria o mundo e resolveu criar animais para viver no mar. Ele fez os peixes grandes e os pequenos e muitas plantas subaquáticas. Algumas eram pequenas demais para se ver, outras iam do fundo do mar até a superfície.
Quando Deus terminou de criar os animais, as árvores, os pássaros e os peixes, olhou para tudo o que havia feito. E Deus viu que era bom. Mesmo assim, ainda havia mais o que fazer.
Sentados na cadeira (sala de aula). Deitados no chão (jardim). Pés apoiados no chão. Mãos sobre as coxas. Coluna reta. Inspire e expire, colocando toda a atenção na temperatura do ar. Sinta o seu toque, quando inspira e o seu toque, quando expira. Qual a temperatura do ar ao entrar pelas narinas, e qual a temperatura do ar ao sair das narinas? Torne-se consciente do calor ou frio do ar: frio quando entra, calor quando sai (o educando é que deve notar isso).
Levar o educando a respirar calmamente, sem forçar e em silêncio, chamando sempre a sua atenção para a temperatura do ar.
O tempo indicado é o mínimo necessário para que tenham uma noção do valor do exercício. Ir aumentado gradativamente, uma vez atingindo o progresso e a prática nesse exercício.
Que confiança terá no momento da morte aquele que não conserva afeição alguma neste mundo! Guardar, assim, o próprio coração livre de tudo, é algo que um espírito doente ainda não pode compreender, como também o homem reduzido à natureza não conhece a liberdade do homem interior (Rm 7,22).
Lembrete:
Se quiser ser verdadeiramente espiritual, é necessário que renuncie a tudo, próximo ou distante, e desconfie mais de si mesmo do que de qualquer outra pessoa. Se venceres perfeitamente a ti mesmo, terás menos dificuldade para dominar o resto. Não há vitória mais perfeita do que triunfar sobre si mesmo. Quem possui o domínio de si, a ponto de sua sensibilidade obedecer à razão e de sua razão me obedecer em tudo, esse conhece a verdadeira vitória sobre si e é senhor do mundo. 
Finalmente, é bom não esquecer que: “É necessário que todas as coisas sobre as quais podemos tomar decisão [“fazer eleição espiritual”], sejam em si mesmas indiferentes ou boas, e que não sejam más e opostas ao desapego correto e honesto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário