30 de abr de 2013

FAMA

“Sempre alegres; como indigentes mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, embora tudo possuindo”(2Cor 6,8-10).
Quanto mais teus conhecimentos foram amplos e sérios, mais severo será teu julgamento, a menos que tua vida cresça em santidade. Não te glories de nenhuma arte ou saber: teme antes a ciência que te é dada. Se tens a impressão de que sabes muito e és razoavelmente inteligente, fica sabendo que tuas ignorâncias são ainda maiores. Em vez de exaltar teu saber (Rm 11,20), reconhece tua ignorância. Por que queres aparecer? Há pessoas muito mais doutas, muito mais qualificadas do que tu com relação à lei de Deus. Queres aprender e saber algo de útil? Procura ficar no anonimato e ser tido em pouca conta.
Imagine nossos pais andando pelas ruas mal iluminadas e nossos pais empobrecidos e injustiçados. Nós os contemplamos ,escolhendo o que mais conduz ao fim que pretendem: a formação dos filhos. Lá vão eles, livres para servir e amar na noite fria e ansiosa.
Assim, nós vamos no seguimento de Cristo Jesus: “na gloria ou no desprezo, na boa ou na má fama; tidos como impostores, mas sinceros; como desconhecidos, mas conhecidos; como moribundos, mas vivos; como condenados, mas livres da morte; como tristes, mas sempre alegres; como indigentes mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, embora tudo possuindo”(2Cor 6,8-10).
Os que correm nas pistas de atletismo o fazem para conseguir o premio. Eles correm para ganhar uma fama passageira, um prêmio que não dura muito. Nós porém “corremos para ganhar um premio que não se acaba” (1Cor 9,24-25)
Afinal, porque, por quem vivemos? Já descobrimos que ele, nosso Salvador, é o caminho a verdade e a vida?
Quem chega a descobrir, pelo poder divino, pelo dom,pela resposta de bom coração – o que também é Dom – como somos feitos de desejos de bem ,como somos criados por ele e para ele, vai para estrada da vida evitando, sabiamente, todos os desvios e paradas inúteis. Evita desvios e paradas inúteis mesmo que se apresentem como luxo, esplendor, força, posição elevada  segundo a sabedoria do mundo.
Viva com Jesus!

29 de abr de 2013

AMOR VERDADEIRO

“O Senhor me chamou desde o meu nascimento, ainda no seio de minha mãe. Ele me chamou pelo meu nome!” (Is 49,1)
Da nossa parte, não queríamos mais saúde que enfermidade, riqueza que pobreza, honra que desonra, vida longa do que vida breve e, assim por diante, em tudo mais desejando e escolhendo somente aquilo que mais nos conduz ao fim para o qual fomos criados.
Faze calar o desejo imoderado de saber: nisto não se encontra mais do que desgosto. Os que sabem gostam de padecer doutos, de ser considerados sábios. Há muitos saberes que não têm utilidade alguma ou quase nenhuma para o coração! Que falta de senso aplicar-se a algo que não seja útil à salvação. Uma torrente de palavras não sacia o coração, mas uma vida virtuosa refrigera o espírito e uma consciência pura dá grande segurança diante de Deus.
Imagine que está na periferia de uma grande cidade. Noite fria e com uma chuva fininha. Pais cansados, na maioria mães, acompanham os seus filhos à escola noturna. Temem a violência, a falta de policiamento. Protegem os seus “tesouros” com as próprias e frágeis vidas. Querem que sejam educados. Este é o fim que pretendem. Por isso, eles enfrentam o desconforto, o medo, o cansaço...Amam e, por isso escolhem só o que mais ajuda a seus queridos .
Amar assim é amar de verdade. Preferir assim é preferir de verdade. Escolher assim é  escolher na liberdade, sem se deixar desviar por mais nada, “desejando e escolhendo somente aquilo que mais conduz ao fim para o qual somos criados”.
“Vos lhe destes poderes sobre todas as coisas. Vossas obras a seus pés colocastes”: há alguma afeição que esteja me impedindo de ser livre do meu relacionamento com as cosias...com as pessoas...com Deus? Qual? Como me prende? Sinto me capaz, com a graça de Deus, de criar e  transformar os relacionamentos com a natureza e as pessoas ? Afinal, ”a gloria de Deus é a vida humana”.
Quem chega a descobrir, pela graça, pelo dom, pela resposta de bom coração – o que também é Dom – como somos feitos de desejos de bem ,como somos criados por ele e para ele, vai para estrada da vida evitando, sabiamente, todos os desvios e paradas inúteis. Evita desvios e paradas inúteis mesmo que se apresentem como luxo, esplendor, força, posição elevada  segundo a sabedoria do mundo.

28 de abr de 2013

CENTRO DA CRIAÇÃO

“Vaidade absoluta, tudo é vaidade” (Ecl 1,1),
Ponho a me escutar ... posso até tapar os ouvidos com os polegares e com os outros dedos, de leve fechar os olhos. Sinto e percebo as vibrações ... A própria respiração... Agora tento perceber o canto dos passarinhos: sons agudos ... sons mais suaves ... Todas as aves do céu cumprem sua missão: cantam e não param de cantar. Com elas, também eu canto louvores ao Criador e agradeço a quem nos deu ouvidos.
“Vaidade absoluta, tudo é vaidade (Ecl 1,1), a não ser amar a Deus e só a ele servir. O ápice da sabedoria consiste em visar o reino dos céus, desprezando o mundo. É vaidade buscar as riquezas perecíveis e a ela restringir a esperança. É vaidade pretender honras e preocupar-se em fazer carreira. Vaidade seguir os desejos humanos e cobiçar o que mais tarde fará miséria. Vaidade desejar vida longa sem se preocupar com a excelência dela. Vaidade só dar atenção a esta vida, sem se preocupar com a futura. Vaidade é amar o que é passageiro em vez de orientar-se para a alegria que permanece.
Tomo o salmo 8: “vendo a lua e as estrelas brilhantes, perguntamos: Senhor o que é o ser humano para dele assim vos lembrardes? “Aceito o ser humano, centro das criações, co-criador com Deus no seu projeto de mais vida para todos nós?”
“Pouco abaixo de Deus fizestes, coroando–o de gloria e esplendor”: percebo a minha vida alicerçada no projeto amoroso  de Deus para suas criaturas?  
Todo homem experimenta o desejo natural de saber. Mas que importa a ciência sem o temor de Deus? Não há dúvida de que mais vale um pobre peão que serve a Deus do que um orgulhoso filósofo que, sem preocupar-se consigo mesmo, perscruta o curso do céu.
Quem se conhece bem, não tem muita estima de si e rejeita os louvores humanos. Se eu conhecer tudo neste mundo, mas não estiver no amor, de que me servirá isto diante de Deus, visto que ele me julgará por meus atos?
 “Vos lhe destes poderes sobre todas as coisas, vossas obras a seus pés colocastes”: há alguma afeição que esteja me impedindo de ser livre do meu relacionamento com as cosias...com as pessoas...com Deus? Qual? Como me prende? Sinto me capaz, com a graça de Deus, de criar e  transformar os relacionamentos com a natureza e as pessoas ? Afinal, ”a gloria de Deus é a vida humana”.
Finalizo! Entrego-me nas mãos do Pai que me criou livre, que eu possa viver o dom da liberdade autêntica, para ser mais filho, filha e mais irmão, irmã! Concluo rezando o Pai Nosso .

27 de abr de 2013

LIBERDADE

“Quem me segue não anda nas trevas” (Jo 8,12)
São palavras de Cristo. Elas nos incitam a buscar “A imitação de Sua vida e de Sua conduta”, se quisermos ser verdadeiramente iluminados e libertados de toda cegueira do coração. Meditemos sobre a vida de Jesus. Apliquemos a nós mesmos.
O ensinamento de Cristo ultrapassa todos os ensinamentos dos santos. Quem tiver seu Espírito nele encontrará um maná oculto.
A freqüência assídua aos Evangelhos deixa muita gente sem grande desejo: essas pessoas não têm o Espírito de Cristo. Quem quer uma inteligência plena e saborosa de Cristo deve procurar modelar a própria vida à semelhança da Dele.
As coisas sobre a face da terra são criadas para seres humanos, e para ajudarem a atingir o fim para qual são criados: servir Deus e amar o seu irmão.
Daí se segue que devemos usar das coisas tanto quanto o ajudam para atingir nosso fim, e devemos privar-nos delas tanto quanto nos impedem.
As pessoas gostam de liberdade. Acreditam que são livres e que tem direito de tomar decisões. Decerto, concordamos com Paulo “tudo me é permitido mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas não me deixarei  escravizar por coisa alguma” (1Cor 6,12). Não se escravizar a nada! Ser verdadeiramente livre! Meditemos nessa forma simples e lapidemos o que acabamos de ler. Aí estão todas as coisas: na fé as vemos existentes pela bondade sempre atuante de Deus. Existem só para ajudar. Não para nos impedir, atrapalhar, magoar! Como usá-las?  Tanto quanto sirvam ao fim para o qual somos criados “o que é verdadeiro, nobre, puro, amável, virtuoso” (Fl 4,8).
Paulo ensina: “procurai as coisas do alto, onde o Cristo está sentado a direita de Deus, e não as da terra, pois morreste ,e a vossa vida esta escondida com Cristo em Deus. E quando Cristo que é vossa vida se manifestar, então vos também estarei manifestado em gloria”(Cl 3,1-4).
Somos feitos para viver não mesquinhamente, mas com generosidade, com abundância. É ótimo sermos criados para o louvor, o acatamento e o s serviço, para tanta vida, pelo Deus da vida, nosso tão bom Criador!

26 de abr de 2013

NA PALMA DA MINHA MÃO

“Vejo-me sendo tecido por suas mãos nas entranhas de minha mãe” (Sl 138 (9)
Tomo consciência dos sons ao meu redor ...
Respiro várias vezes profundamente. Inspirando ar puro ,inspiro vida. Procuro sentir a sua paz,repousando na presença d’ele,que inunda todo meu ser .
Rezo! Nesta paz, peço a graça de acreditar plenamente no amor de Deus Criador por mim, chamando-me a existência. Com os olhos da imaginação, vejo-me sendo tecido por suas mãos nas entranhas de minha mãe (Sl138 (9). A partir das escrituras posso alimentar essa fé que me chama de vida:
O Senhor me chamou desde o meu nascimento, ainda no seio de minha mãe. Ele me chamou pelo meu nome! (Is 49,1)
Eis que está gravado na palma de Minha Mão! (Is49,16)
Vou deixando, que esses versículos passem e repassem pela minha mente várias vezes, deixando–me tocar ate nascer à convicção de fé no coração: sou amado (a)e por isso chamado (a) à vida !
De que adiantam abstratas exposições sobre o Deus Trino, se tua falta de humildade desagrada à Trindade? Belas palavras não engendram nem o santo nem o justo, mas uma vida santa forma amigos de Deus. Prefiro experimentar uma humilde contrição a saber defini-las. Poder decorar toda a Bíblia e as máximas dos filósofos: de que serve tudo isso se te faltam o amor de Deus e sua graça?
Como chegaremos à liberdade?  “mortificai os vossos membros terrenos: impureza, paixão, desejos maus e a cobiça, que é idolatria ... Abandonai tudo isto ... e tudo que fizerdes, fazei-o de palavra ou ação, fazei-o  em nome do senhor Jesus,dando graças por ele a Deus Pai” (Cl6,5-17).
Ah! Já dizia o salmista “evita o mal e faze o bem, e para  sempre terás moradia, pois Javé ama o direito e jamais abandona seus fieis”(Sl 36, 27-28).
“Para a liberdade fomos libertado” (Gl 5,1). A vida boa e feliz é de quem ganhou, no coração a graça de procurar, em meio a tantas opções, fundamentalmente, o que é bom, o que é melhor, o que é perfeito, o que é conforme ao coração de Cristo.

25 de abr de 2013

MIL RAZÕES PARA VIVER

“Deus é Senhor Nosso, como é poderoso o teu nome por toda Terra...” (Sl 8)
O ser humano é criado para louvar, reverenciar e servir a Deus nosso Senhor e , assim salvar-se...
Ora Deus deu chance ao barro de ser gente, e a gente deu chance de ser filho (a) d’Ele! Criou-nos com amor e sensibilidade. Quem se descobre criado por um Amor que se debruça sobre o pensamento de ser frágil, barato, sem valor. Barro! E o valoriza modelando com arte e gosto, certamente vai sentir contentamento carinho, afeto, amor.
O filho que se descobre tão amado, como não falará bem de seu Pai? “Falar bem” é a expressão de quem “quer bem” e valoriza. Falar bem é louvar. O louvor é a expressão de quem “fica bem” e tem um bom olhar sobre quem lhe deu a vida. Isto  é bom, é vida!
Um filho que fala bem de seu pai escuta facilmente e com gosto, acata, quer saber a opinião dele, confere com ele suas inclinações e avalia o resultado de suas decisões. Ele acata seu pai. O acatamento é gêmeo do louvor. Ambos nascem da experiência do amor. Em particular deste amor que tudo crê, tudo espera, tudo perdoa. Amor de um Pai que se “disfarça” de oleiro para revelar a ternura e a imensa confiança que tem em nós, maior do que nós mesmos conseguirmos ter. É uma alegria rara!
Um filho que acata seu pai tem um enorme coração para cooperar com ele, para se colocar a seu dispor, ao seu serviço. O amor para valer é serviçal .
Quem ama não faz questão de servir. E serve prazerosamente. Como aquela menina de 15 anos que, reunindo os amigos e parentes no dia do aniversario, ao entrar na sala com um belo bolo nas mãos, murmurou, de passagem, para uma sua tia, enquanto os olhos brilhavam alegres. “Fui eu mesma que fiz”. É bom saber fazer e oferecer, servir. É um prazer!
Somos feitos para viver não mesquinhamente, mas com generosidade, com abundância. É ótimo sermos criados para o louvor, o acatamento e os serviços, para tanta vida, pelo Deus da vida, nosso tão bom criador!
Temos “mil razões para viver”. Por isto Dom Helder, um especialista nestas razões, escreveu:
“Não poupes tua vida! Se não tiveres tábua a jogar nas águas, sê, tu mesmo, tábua viva para os náufragos, teus irmãos”.

24 de abr de 2013

VISÃO DE DEUS

“Pois n’Ele ---- em Jesus Cristo ----- habita, corporalmente, toda plenitude da divindade”(Cl2-9)
Acalmo-me! Inicio este exercício dando-me conta das sensações das diversas partes do meu corpo, da cabeça, aos pés. Presto atenção ao meu respirar.
Peço o socorro divino de me sentir criatura pensada, querida, amada e, pro isso mesmo, chamada à existência!
Deus mesmo, em Jesus, se fez humano “pois n’Ele ---- em Jesus Cristo ----- habita, corporalmente, toda plenitude da divindade”(Cl2-9).
Diz Santo Irineu: “A gloria de Deus é o homem vivo. A vida do homem é a visão de Deus”.
“E o senhor Deus criou o homem livre e a liberdade é dom e risco”. Ajudo-me lendo Deuteronômio 30,15-20
Agora trago ante meus olhos da imaginação pessoas que eu conheço. Penso em mim também. Sinto-me “imagem de Deus “? Consigo ver traços da “imagem de Deus” nas pessoas que trouxe a memória ?
Reflito e rezo para tirar algum fruto.
Vou concluindo a oração num diálogo de maior intimidade com o meu Criador, louvando e agradecendo o dom da vida. A sua resposta, resposta de consolador vem no “Shalon”, a sua paz que aquieta e aquece o coração.
Posso servir-me do Salmo 8, apropriando-me das palavras inspiradas, que estão a minha disposição, para o meu maior bem: “Deus é Senhor Nosso, como é poderoso o teu nome por toda Terra...”.
Revendo, oportunamente, este meu encontro com nosso Senhor, vou anotar o que me parece mais importante para crescer no seguimento Dele. Jesus, o fundamento, o primogênito, o novo Adão .
Leio o versículo de Genesis 1,27: “Deus criou o ser humano a sua imagem. A imagem de Deus, Ele o criou. Homem e mulher, Ele os criou”; solene pronunciamento este  das escrituras!

23 de abr de 2013

O SER HUMANO

“Deus criou o ser humano a sua imagem...” (Gn 1,27)
Acalmo-me! Inicio este exercício dando-me conta das sensações das diversas partes do meu corpo, da cabeça aos pés. Presto atenção ao meu respirar: o ar que entra pelas minhas narinas e volta aquecido. Respiro normalmente sem tentar controlar a respiração que me traz vida .
Tendo chegado ao recolhimento, aceito a respiração como dom um presente que significa vida, símbolo da vida, que Deus Criador me oferece constantemente. Posso mesmo colocar em cada expiração minha oferenda, a minha gratidão a Deus que me dá o ar e a vida .
Peço o favor divino de me sentir criatura pensada, querida, amada e, pro isso mesmo, chamada à existência !
Leio o versículo de Genesis 1,27: “Deus criou o ser humano a sua imagem. A imagem de Deus, Ele o criou. Homem e mulher, Ele os criou”, solene pronunciamento este  das escrituras!
Deixo repercutir em mim também Genesis 2,7: “então Javé, Deus modelou o homem com o barro do chão, soprou lhe nas narinas o sopro da vida e o homem se tornou um ser vivo”.
Aprofundo esta verdade, numa leitura  orante  de Eclesiástico 17,1-13: “O homem é imagem de Deus Pai pelo Filho no Espírito Santo”.
Leio pausadamente Colossenses 1,15-23: “Rezemos: Senhor, agradecemos pelas riquezas de sua criação. Ajuda-nos a sermos verdadeiros, nobres, justos e puros rejubilando-nos por teus presentes para nós e fieis em nossa vida”.
Lembrete:
O homem é criado para louvar, reverenciar e servir a Deus e amar o seu irmão. Afinal a Bíblia fala: “O Espírito e a Esposa! Dizem:’Vem!”. Que aquele que ouve diga igualmente: ‘Vem!’. Que o sedento venha, e quem o deseja receba de graça a água da vida!... Aquele que atesta estas coisas diz: ‘Sim! Venho muito em breve!’ ‘Amém! Vem, Senhor Jesus!’
A graça do Senhor Jesus esteja com todos! Amém!” (Ap 22,17-21). E é a eternidade.

22 de abr de 2013

UM SALTO PARA O ALTO

“Dá o alimento aos que temem, recordando-se sempre da sua aliança”(Sl 111,5)
Medite sobre o Principio e Fundamento da Vida Humana.
O ser humano é criado para louvar, reverenciar e servir a Deus nosso Senhor e, assim salvar-se...
Acontece que vivemos numa época de ateísmo difuso! Mesmo os que crêem, duvidam...muitos criticamos a Deus, e implicitamente achamos que teríamos feito um mundo melhor se fôssemos criadores...
E o mundo “é” criado! Não “foi”, não! O mundo “está sendo” criado neste exato segundo! Esta como que “pendurado” numa pequenina fração do tempo, entre o passado que já existe, e o futuro que ainda não existe !
Mas se tudo é tão passageiro e precário, segundo os críticos severos da criação, então isto tudo pode se sustentar sozinho! Percebemos sua mão sustentando a existência do Universo. Deus está sempre fazendo o mundo acontecer e ir adiante! Na verdade Ele é o “doador de chance”: Ele dá a chance ao que é passageiro, ligeiro,frágil de ser e evoluir! Dá chance ate o barro que se torna gente, e à gente de ser tornar filhos e filhas d’Ele!
Há uma concepção atual e estranha de que a Fé é uma questão de fechar os olhos, cerrar os dentes e acreditar em coisas impossíveis...de forma alguma ! A fé é um salto para luz, não para a escuridão! A Fé envolve o compromisso com que aprendemos para poder aprender e compreender mais! É preciso fazer isto na ciência. É preciso acreditar que o mundo físico faz sentido e que sua teoria atual lhe da alguma idéia de como ele é, a fim de fazer progressos ... Você nunca verá nada se não arriscar um pouco.
Rezemos: Senhor, agradecemos pelas riquezas de sua criação. Ajuda-nos a sermos verdadeiros, nobres, justos e puros rejubilando-nos por teus presentes para nós e fieis em nossa vida. 

21 de abr de 2013

EMPREENDIMENTOS

“Para onde irei? Para onde fugirei? Se subo ao céu ou se me prostro no abismo,  eu te encontro lá” (Sl 138(139)
Valho-me novamente da minha respiração para pacificar-me. Sinto a temperatura do ar que passa pelas narinas quentes? Frio? Tomo consciência dos movimentos que se produzem no meu corpo, nos pulmões, no diafragma... Aquietando-me, procuro entrar no meu “eu” mais profundo. Procuro dispor-me a comunicação com Deus. Neste silencio posso imaginar que cada inspiração de ar corresponde ao desejo de Deus dar a mim ... E que cada expiração expressa o meu desejo de me entregar a ele com tudo o que sou...
Rezo! Invoco o Espírito Santo, pedindo que ele ilumine a minha mente , o meu coração , e encoraje todo meu ser para estar a escuta daquele  que quer comunicar-se comigo nesta oração .
Reflito sobre a minha natureza humana e faço as minhas considerações. Em cada pessoa humana há pontos de convergência ao redor dos quais giram muitas coisas: impressões, pensamentos, decepções, alegrias, empreendimentos ... também na minha vida existem tais vivências ... tomo tempo para ocupar-me delas junto   Dele...
Presto atenção às últimas semanas. Em redor de que ponto tem girado a minha vida as pessoas os pensamentos, as atividades?
Permito-me então que volte à tona o que quer que seja...detenho-me...o que acontece comigo quando assim volto  o olhar para esses “pontos de convergência”? O que sinto? Alegria? Gratidão? Preocupação? Aflição? Descontentamento? Digo a meu Deus o que me ocorrer sobre estes pontos da minha vida. A sua resposta virá como a palavra consoladora: que luz ou inspiração surpreendo em mim? Se me vier escuridão ou ansiedade, simplesmente insistirei a suplica humilde. A consolação vira! Com a idéia que me vier no seio amigo da colocação interior, poderei tomar conselho para acertar.
Posso servir-me do Salmo 138(139) posso cantar: “para onde irei? Para onde fugirei? Se subo ao céu ou se me prostro no abismo, eu te encontro lá”...

20 de abr de 2013

OBRAS MAIORES

“E disse aos seus discípulos: Portanto vos digo: Não estejais apreensivos pela vossa vida, sobre o que comereis, nem pelo corpo, sobre o que vestireis.
Mais é a vida mesma que é importante!” (Lc 12,22-23)
Vejo a natureza e aceito a serenidade que ela pode me transmitir... Vejo também a natureza em movimento: o frescor da manhã, o calor do meio-dia, as cores do poente, a escuridão da noite, as estrelas, a lua... Que mensagem os astros, as árvores, os bichos têm para me dar?
Como passa depressa a glória do mundo! Se pelo menos sua vida tivesse estado de acordo com seu saber, seus estudos e leituras teriam um aspecto positivo! Quantos se perdem em vãos conhecimentos neste mundo e demonstram pouco interesse em servir a Deus! E, visto que preferiram a grandeza à humildade, eles se desvaneceram com seus pensamentos (Rm 1,21)
Tomo o texto de Lucas 12, 22-23: “E disse aos seus discípulos: Portanto vos digo: Não estejais apreensivos pela vossa vida, sobre o que comereis, nem pelo corpo, sobre o que vestireis.
Mais é a vida mesma que é importante!”.
Passo o texto, versículo por versículo ... Pauso... deixo brotar sentimentos ... Expresso o que me é dado saborear com pedidos, gratidão e silêncio de adoração e acolhimento ... O que vamos comer, beber, vestir? Os pagãos é que se preocupam com tudo isto. O Pai do céu sabe muito bem do que precisamos.
Rezo o que me ocorre...
O Espírito que habita em nós – em mim igualmente (Rm 8,9) – é quem dá forças para praticar o bem e ir mais adiante...Também Jesus nos disse: “Vocês farão obras maiores do que as que Eu fiz” (Jo 14,12).
Suplico ao Senhor : “Torna-me, Senhor, amadurecido(a) na fé, e que as minhas buscas se voltem unicamente para o teu Reino em mim, nos outros e ao nosso redor”.
Pergunto ao Senhor o que ele tem a me dizer através destas coisas criadas e aguardo a sua resposta... Digo: “Senhor, agora todo o meu ser está aberto para rezar com a tua palavra”.
Meditação:
“Até quando, Senhor Santo e Verdadeiro, tardarás a fazer justiça. Vigiando o nosso sangue contra os habitantes da terra!”
“A cada dia deles foi dado, então, uma veste branca, e foi-lhes dito que repousassem por mais um pouco de tempo, até que iriam ser mortos como eles.” (Ap 6,9-11). O Bom Pastor não quer encerrar de vez a história e a aventura humana. Quer completar o número dos eleitos até que sejam “como as estrelas do céu, como os grãos de areia das praias do mar” (Gn 22,17)

19 de abr de 2013

SEGURA NA MÃO DE DEUS

“O Senhor jamais esqueço de todos os seus benefícios”(Sl 102)
Exercícios espirituais são para vencer–se a si mesmo e ordenar a própria vida sem determinar por nenhuma afeição desordenada. Assim procuro dar oportunidade, ter um processo e maneiras de ordenar minhas afeições, os meus desejos e as minhas intenções. Isto é: com a graça de Deus “vence a mim mesmo”. Deste modo viverei a vida nova, a vida no espírito, escutando o apelo à conversão que abre o caminho para o evangelho do Reino (Mt 4,23).
Convertido, já não corre o risco de tomar decisões cegado por paixões e interesses, pela força de preconceitos e por maus hábitos ou vícios.
Por isso mesmo, viverei no poder divino de estar livre para amar e servir. Pode ouvir a palavra de Deus, consultar os seus apelos e inspirações e tomar um rumo marcado pelo serviço do Reino, o compromisso com a missão que Cristo confere aos discípulos. Vou me empenhar em viver como convertido. Com liberdade interior crescente vou deixar Deus me inspirar, para “buscar e encontrar a Sua vontade.
Acalmo-me e dirijo-me ao senhor e amigo, falando sobre o conteúdo de cada situação daminha vida que fui “empacotando” na “mochila, a bagagem da minha vida...conforme o que sinto, ora louvo “bendize, ó minh’alma, o Senhor jamais esqueças de todos os seus benefícios”(Sl102(3),1); ora suplico “Ó Deus, ouve o meu grito, atende a minha prece (Sl61(60),2). Volto-me ao Senhor Jesus que me afirma: “meu julgo é suave, meu fardo é leve”(Mt11,30)
Quando tempo que tenho para rezar, terminar, o que pus na “mochila” pego-a para sentir o seu peso diante do Senhor, na consideração simples e sincera da fé. O que me ocorre? O que constato? Rezo conforme sinto: louvo, agradeço, suplico, insisto...
Quem sabe poderei concluir a oração com sentimentos de total confiança, cantando “Se as águas do mar da vida quiserem te afogar, segura na Mão de Deus e vai”...
Faço memória, registrando no meu caderno de “anotações” as maravilhas que o Senhor operou em mim na estrada da vida.

18 de abr de 2013

ABBA! PAPAI!

“Meu julgo é suave e o meu peso é leve” (Mt 11,30)
Recordemos São Paulo:
“Todos os que são conduzidos pelo espírito de Deus são filhos de Deus... recebestes um Espírito de filhos adotivos, pelo qual clamamos “Abba!Papai!”. O próprio Espírito se une ao nosso espírito para testemunhar que somos filhos de Deus ... Assim também, o Espírito socorre a nossa fraqueza, pois não sabemos pedir como convém, mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inefáveis, e aquele que sonda os corações sabe qual desejo do Espírito...”  (Rm 8,14).
Procuramos a vontade Divina e deixe que o mesmo Criador e Senhor se comunique conosco abrasando-a em seu amor e louvor e dispondo para o caminho em que melhor poderá servir Deus.
Nosso Deus é o “Deus consolador” (Jo 14,16.26). Nas consolações espirituais quando há aumento de Fé, Esperança e Caridade nós percebemos por onde vamos.
Purificados das nossas afeições desordenadas, começamos a viver a Aliança com Deus fiel seguindo Jesus na amizade do Espírito. Deus será o “dono da casa”. Na amizade entra e se move sem esbarrões nem ruídos: “Não tenham medo! Sou eu! A paz esteja com você! Um futuro de esperança” (Jr29,11-12)!
Meu julgo é suave e o meu peso é leve. (Mt 11,30)
Acalmo-me! Faço calar dentro de mim palavras e pensamentos. Tomo consciência dos sons ao meu redor: os mais próximos, os mais distantes, os mais agradáveis...tento perceber as sensações do corpo: sinto cansaço, dor, paz? Respiro várias vezes profundamente. Inspirando o ar puro, inspiro vida. Acolho a paz, descansando na presença de Deus que inunda o meu ser.
Rezo hoje, quero rezar a bagagem da minha vida e peço que me acompanhe no percurso dos dias e anos.
Imagino-me diante da minha mochila ... Posso colocar nela tudo o que levo comigo, desde os anos de minha infância até agora. Os dias felizes e os menos felizes. Tudo o que me pesa e me aborrece. O que sinto como importuno. O que me pressiona e me abate. Talvez alguma coisa que me parece insuportável...
Com certeza vou colocar coisas e experiências bonitas e enriquecedoras na minha bagagem. Guardo–as com carinho, são importantes para mim...

17 de abr de 2013

POTÊNCIA INTERIOR

“Graças a seus preceitos tenho discernimento” (Sl 119,164)
Usando as nossas potências interiores e aproveitando os nosso desejos queremos aproveitar os textos das escrituras para meditar sobre  o que Deus da vida me dá “sentindo e saboreando” internamente. Por isso usamos a memória da inteligência e a vontade. Assim:
É útil à vida espiritual nutrir grandes desejos de amor a Deus e ao próximo mesmo em obras que são ou parecem impossíveis. Embora muitas delas não se realizem, sempre que seus desejos aumentem a Fé, a esperança e a Caridade em ações práticas e aperfeiçoem a alma, são bons.
Isto é: a melhor condição para alguém mergulhar no evangelho, querendo “ordenar a própria vida e buscar e encontrar a vontade de Deus em todas as coisas” é ver pulsar no coração bom desejo, ânimo, vontade de avançar na vida cristã.
E se não sinto em mim este grande ânimo e generosidade? Disse um grande “se não tem anseio de Deus, peça-o. É uma graça que o Senhor concede a todos aqueles a quem deseja revelar-se”.
É experimentar para crer! Bons Desejos!
Quando não estou em boa disposição de ânimo, quando me sinto desolado (a), abandonado (a), desvalorizado (a), consigo ainda acreditar no amor e rezar na fé.
Posso em tal ir repetindo essa declaração de amor de Deus por mim: “Porque és precioso (a) a meus olhos, porque eu te aprecio e te amo”(Is 43,4). Vou com calma, atento (a) às repercussões e ressonâncias em mim...
Será muito bom levar a petição do amor comigo decorado, repetindo ao longo do dia, dando um ritmo novo as minhas ações e passando bondade as minhas atitudes.
A noite vou perguntar-me como vivi “sentir-me amado (a)”, isto é como percebi o meu valor, a minha dignidade de criatura humana como dei me conta da providencia do Pai santo nas horas do dia .

16 de abr de 2013

INTUIR OS MEUS ESTADOS DE VIDA

“Porque és precioso a meus olhos, porque eu te aprecio e te amo!” (Is 43,4)
 “Sentir e saborear internamente” a experiência de Deus
Como você pode aproveitar um texto das Escrituras para exercitar-se a partir dele? Como pode dar um roteiro para quem faça os Exercícios de sobriedade a cada dia. Como pode rezar para saborear internamente a oração na vida?
Pense num breve exercício de pacificação. Por exemplo: de pé, no “seu cantinho de oração, por um breve tempo, olhos cerrados ou fixo numa imagem. Outra forma é fixar na parte escura da chama de uma vela. Firme a sua atenção no ar que vai e vem na suas narinas. No coração, vá murmurando: ”Jesus”
Senhor Deus, orientai meus pensamentos, palavras e atos para que de todo meu ser seja expressão da vossa vontade para vossa maior glória.
Sempre no final do seu tempo de oração, reserve um tempinho para a oração mais intensa, quer dizer, uma despedida amiga encerrada com oração vocal dita com carinho e respeito como o Pai Nosso.
Seria bom introduzir um novo costume na sua oração: notar o que foi mais “tocante e importante... Não esqueça de anotar  o que você perceber.
Para começar a intuir os estados lembre o que Isaias escreveu: “porque és precioso a meus olhos, porque eu te aprecio e te amo!” (Isaias 43,4).
Ouço os sons de dentro: o ar que inspiro e expiro; o pulsar do coração; o próprio silêncio. Deixo o silencio falar-me.
Estou diante de Deus. Nada tenho de fazer ou produzir. Posso simplesmente estar na presença dele!
Então, o que pedirei aqui?
Peço-te, Deus da vida, a luz divina de aceitar o teu amor gratuito por mim; a graça de sentir-me acolhido (a) no oceano do seu amor para mim e pela humanidade.
Quando estou em bom “estado de ânimo” e fácil sentir-me amado (a) de Deus neste “clima” posso recordar Sua grandiosidade.

15 de abr de 2013

OS PRIMEIROS DEZ MANDAMENTOS (Êxodo 20,1-21)

“Quanto a mim, para ele viverei, a ele servirá a minha descendência. Do Senhor se falará à geração futura; anunciarão a sua justiça; dirão ao povo que vai nascer: ‘Eis a obra do Senhor’” (Sl 22,26-32).
Os hebreus saíram do Egito e após três meses viajando no deserto chegaram na região do Monte Sinai e Moisés subiu na montanha. Deus desceu para encontrá-los numa nuvem de fumaça e fogo. Chegou o momento de Deus dar a seu povo regras sobre como viver.
Deus iria fazer uma aliança com seu povo e dar-lhe um conjunto de leis, ou mandamentos. Eles deveriam usar esses mandamentos para distinguir o certo do errado.
Deus deu a Moisés os dez mandamentos.
“1. Diga ao povo que sou seu Senhor e seu Deus. Eu os trouxe desde o Egito, onde eram escravos. Não adorem ninguém além de Mim. Eu serei seu único Deus.
2. Não façam estátuas para cultuar.
3. Não usem meu nome sem razão.
4. Reservem o sétimo dia da semana para o Shabat, o descanso sabático. Não trabalhem nesse dia.
5. Respeitem e honrem seus pais e suas mães.
6. Nunca matem ninguém.
7. Nenhum homem deve tomar a esposa de seu conhecido; nenhuma mulher deve tomar o marido de outra esposa.
8. Não peguem nada que não for seu.
9. Não acusem ninguém sem que seja verdade.
10. Não gastem o tempo desejando coisas que vocês não têm.
Lembrete:
Tu nunca serás obrigado a fugir de uma situação. Eu sou a montanha onde podes encontrar abrigo. Talvez venham dias em que tu te curvarás sob o teu fardo, em que temerás as exigências e pressões exteriores, ou ainda as ondas negativas do ódio e da oposição contra ti. Quando tu pensares ser impossível suportar tantas provas, então, tentarás fugir para longe, muito longe, para não ter mais que encarar o que detestas, nem as pessoas que te odeiam. Nesse instante, desejarias escapar, voar como um pássaro, alto, muito alto, nas montanhas, onde reinam a paz e a tranqüilidade, e então serias feliz.
Digo então a tua alma: “Coloca tua confiança em mim”. Cuide e viva os meus mandamentos de amor!

14 de abr de 2013

O ARBUSTO ARDENTE (Êxodo 3,1-10)

O ARBUSTO ARDENTE (Êxodo 3,1-10)
“Eu sou o Deus de seu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó.” (Ex 3,1)
Sentados na cadeira (sala de aula). Deitados no chão (jardim). Pés apoiados no chão. Mãos sobre as coxas. Coluna reta. Fazer a respiração de olhos fechados, colocando toda a atenção no ato de inspirar e expirar. Inspirar suavemente, sem fazer barulho pelas narinas, e expirar suavemente. Isso requer um esforço lento, regular e tranqüilo, relaxando todos os músculos ao exalar o ar. Se houver algum incômodo ou ânsia na respiração, suspender o exercício imediatamente. Respirar sempre por ambas as narinas.
 Um dia, Moisés, estava no deserto, procurando algumas ovelhas de Jetro, quando teve uma visão estranha. No pé de uma montanha, viu um arbusto pegando fogo. Mas o fogo não se espalhava e a planta não ficava preta nem se consumia. Moisés subiu em umas pedras para ver melhor.
Quando chegou perto do arbusto, ouviu uma voz dizendo: “Moisés, Moisés!”
“Estou aqui”, disse ele. “Não se aproxime mais”, disse a voz.
“Tire suas sandálias, pois você está pisando em solo sagrado. Eu sou o Deus de seu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó.”
Quando Moisés ouviu isso, caiu no chão e cobriu o rosto. Estava com medo de olhar para Deus.
O Senhor disse: “Eu tenho visto como meu povo sofre no Egito. Tenho visto como os egípcios são cruéis com ele; Chegou a hora de socorrê-los e trazê-los de volta para a terra que prometi há tanto tempo a Abraão e Isaac. É uma terra ampla, rica e fértil, onde a água é abundante e as plantas crescem com facilidade. Agora, vá Moisés. Estou mandando você até o faraó para conduzir meu povo, os hebreus, para fora do Egito”.
Lembrete:
A humildade não é uma finalidade nem um estado, como a cor dos olhos ou a estatura. Antes, é o contínuo e apropriado processo de estabelecer uma relação, antes de tudo com Deus. A humildade é como a saúde (um jogo complexo de relações); sobe e desce; é mais ou menos intensa, boa ou má se apóia na anterior, e sempre movendo-se para alguma forma de realização e plenitude. Uma coisa me ajuda bastante: ver como nosso mundo é, em grande parte, vão e vazio. Vejo como a minha vida seria inútil se, por exemplo, me entregasse totalmente ao trabalho que gosto. Bobo seria eu se dependesse de coisas materiais para a minha felicidade, pois elas não duram. Isto o vejo e sinto do fundo de meu coração. Deus me ajude.

13 de abr de 2013

DESEJOS

“Fazer o bem e evitar o mal” (Sl 37,27)
“Propósito de bem querer” (Ef 1,5)
Se você quer orar para manter sobriedade deve rezar com “animo e generosidade”. Lembre que vai passar por momentos consolados e momentos duros.
Uma palavra de ajuda: quanto mais você se distanciar das questões do dia a dia no tempo em que orar, tanto mais aproveitara, percebendo com crescente clareza a maneira de viver.
Acalmo-me! Escuto os sons que me chegam. Com os polegares fecho os ouvidos e com os outros dedos fecho os olhos. Respiro várias vezes profundamente e procuro dar atenção aos sons da minha respiração. E novamente empenho me a escutar todos os sons os mais distantes e os mais próximos; os mais fortes e os mais suaves ...acolhendo-os...recolhendo-os...
Vou concentrando-me aos poucos, fazendo-me presente a mim deixado-me olhar pelo meu Deus.
Peço a força divina de me dar conta dos desejos que povoam o meu intimo: Jesus, consente que eu os exprima diante de ti na oração  que agora começo! Rezo o Pai Nosso.
Em profunda atitude de atenção, escuto a minha própria vontade interior e abro o meu coração para perceber os meus sentimentos e desejos. Que desejos trago dentro de mim: em relação a Deus? A mim mesmo (a)? Aos outros?
Como expressar agora no segredo do coração, o desejo do encontro com Jesus, a fonte da vida donde jorra toda a realização pessoal verdadeira daquela que vem “lá de dentro”?
Vou pedindo a ajuda divina de desejar perceber o que Deus quer para mim a esta altura de minha vida. Posso ir dizendo a ele: “abre senhor os meus olhos... os meus ouvidos... a minha inteligência... o meu coração... todo meu ser... que eu dirija pra ti todos os meus desejos, porque és a fonte da vida, de toda vida verdadeira”

12 de abr de 2013

JANELAS ABERTAS

“Vós me fizeste quase igual aos anjos; de gloria e honra me coroastes” (Sl 8,6).
Penso nos meus órgãos e suas funções: a respiração – que dádiva o ar que sustenta a vida! A visão, a audição, janelas abertas que me trazem as sensações e geram conhecimento dos sons. O paladar, que aguça o apetite e faz que eu alimente e sustento a vida. E os órgãos internos: o coração, verdadeira bomba que dá vida ao corpo, os pulmões, que providenciam a oxigenação do meu corpo. E o cérebro! Lembro a inteligência, a memória, a vontade e toda a capacidade de registrar sensações, emoções, pensamentos.
Com que sentimento respondo ao meu Deus pelas dádivas e pelos benefícios recebidos. “Vós me fizeste quase igual aos anjos; de gloria e honra me coroastes” (Sl 8,6).
Quero experimentar este louvor de coração grato e contente. Digo a Deus com São Francisco de Assis:
“Onipotente e bom senhor, A ti a honra, a gloria e o louvor. Todas as bênçãos de ti nos vêm e todo povo te diz: “amem”. Louvado seja nas criaturas, por exemplo, o sol, lá nas alturas, clareando o dia, com grande esplendor, radiante imagem de Ti Senhor! Louvado sejas pela irmã lua, no céu criaste, e obra tua, e pelas estrelas, claras e belas.  Tu és a fonte do brilho delas”.
Evite “afeições desordenadas” que são tudo aquilo que atrapalha, confunde e machuca os nossos relacionamentos com Deus e com os outros. São tudo quanto tira a capacidade de escolher livremente o que mais convém para ordenar as afeições que dão a liberdade de buscar e encontrar a vontade divina em todas as coisas.
E qual seria a vontade de Deus?  É um decreto: “fazer o bem e evitar o mal” (Sl 37,27). Além disso, o Pai do céu tem sonhos, para nós, um “propósito de bem querer” (Ef 1,5). Isto “é o que mais convém” aqui e agora.
Se você quer ser santo, não fique lendo textos, ou ouvindo palestras. Pouco adianta ver ginásticas e esportes na televisão se não faz ginástica. Jesus disse: “Entra no segredo do seu coração e fala a teu Pai, e o Pai que escuta o que tu dizes te recompensará”(Mt 6;6).

11 de abr de 2013

POR QUE RELAXAR?

POR QUE RELAXAR?
“Quem é que deseja a vida e anseia por longos dias para saborear o bem? Preserva tua língua do mal, e teus lábios de palavras mentirosas. Evita o mal e faze o bem, busca a paz sem desistir”. (Sl 34,12-15)
Este trecho revela os segredos de uma vida feliz, santa e abençoada. O salmista escreve sob a inspiração do Espírito Santo.
Quando tu Me louvas e Me adoras com todo coração, acontece um milagre de beleza que reveste tua face, pois o louvor é benfazejo. O louvor embeleza tudo aquilo que toca, inclusive aqueles o oferecem. O louvor expulsa todo o medo. O medo atormenta (cf. 1 João 4,18), e por isso cria doenças. O medo provoca enfermidades, paralisa, envelhece e deforma a personalidade. Muitos são os que se gabam de sua coragem e bravura, e que são atormentados pelos medos secretos e íntimos, que eles nem reconhecem. Tais medos provocam a inquietação que causa tensão e desconfiança. A desconfiança é sinal de falta de amor, pois o amor expulsa a suspeita.
O relaxamento nos conduz ao silencio, à meditação, à contemplação e a contato profundo com o Criador, que vive permanentemente no mais profundo do nosso ser. Assim, acolhemos a sabedoria infinita, reconhecendo a dimensão divina.
Silenciemos um pouco e contemplemos a vida, que é um dom, uma graça, é o reconhecimento de Deus em nós mesmos.
“Deus vive em nós. Nós vivemos em Deus”
Somos seres espirituais. Quer maior grandeza que essa? E para tomar consciência da vida de graça, a verdadeira vida, precisamos acalmar o nosso físico, a nossa mente, e sentir a pureza da vida, a harmonia e o amor que existem no mais íntimo do nosso ser.
Assim, colocamo-nos a caminho para a verdadeira sabedoria, o caminho da fé, da graça e do amor.
Então, surge o crescimento interior, e o espiritual se faz presente, revela nosso potencial, o nosso poder interior unido com o poder de Deus.
Através do relaxamento, chegamos ao nosso intimo, no mais profundo do nosso ser, tendo acesso ao subconsciente. E, entrando em contato com nosso subconsciente, precisamos entender a sua linguagem que se faz através de imagens, uma linguagem simbólica, a qual não sabe o que é certo ou errado, não distingue a diferença entre uma experiência real e uma imaginada, ele simplesmente aceita todas as idéias que lhe enviamos.
Por isso, é importante pensar, falar, imaginar e agir positivamente para impregnar-se apenas do que é bom e verdadeiro e, assim, determinar o presente e o futuro com sucesso, harmonia e amor.

10 de abr de 2013

RELAXAR, POR QUÊ?

“Bendirei o Senhor em todo o tempo, seu louvor estará sempre na minha boca. Eu me glorio no Senhor, ouçam os humildes e se alegrem. Celebrai comigo o Senhor, exaltemos juntos o seu nome”. (Sl 34.1-7)
Quando tu Me louvas com o coração reconhecido, Eu não sou o único beneficiado: tu também o és! Teu corpo se renova, teu espírito é edificado e tua alma, saciada. O louvor embeleza aquele que o oferece, pois tira os traços de negatividade. Se queres ter um belo rosto, começa a Me louvar. Que meus louvores estejam continuamente em tua boca. Um coração repleto de louvor é mais eficaz do que a cirurgia plástica ou a maquiagem. O louvor traz saúde a todo o ser.
Meu filho, Eu te amo. Louva-me pelo meu grande amor. Corta as comunicações carnais desta vida e une-te à vida elevada do Espírito. A única maneira de conduzir uma vida de louvor constante é de caminhar no Espírito.
O relaxamento é uma técnica de harmonia globalmente do nosso cérebro. Através dele nossos pensamentos ficam mais calmos e ordenados, produzindo um equilíbrio harmônico em nós, ocorrendo um sincronismo entre os hemisférios direito e esquerdo.
Não há predomínio de um hemisfério sobre o outro, pois as funções de cada lado se integram, equilibrando emoção com inteligência, o intuitivo com o racional.
Ele é o pré-requisito indispensável para quem quer melhorar a qualidade de sua vida, seu bem-estar e boa-saúde e para quem quer abrir a porta do seu ser e estabelecer a paz.
Relaxamento é, portanto, um excelente meio de comunicação com o subconsciente. Como é bom nos comunicarmos com ele, de uma forma positiva, para que trabalhe a nosso favor.
Então, relaxe, acalme a mente e o corpo, entre em harmonia, compreenda a si mesmo, os outros seres, o seu universo e a Deus, e gere uma força construtiva de amor e paz para toda a humanidade.
Há sintonia entre os que sofrem experimentando o amor ao mesmo Amigo, deste modo, a Cruz, que parecia a derrota do Amor e a vitória da brutalidade mais desumana, veio a se tornar o sinal de vitória do Amor e da derrota do ódio e da violência.
Para o sucesso crescente, esforço e desejo forte de perseverar, é indispensável: exercício diário, disciplina, força de vontade, compreensão e prática, porque são muito importantes até que o relaxamento torne-se um hábito.