28 de out de 2012

TAMAR

“Farei para ti milagres tão maravilhosos quanto os que fiz por Daniel e Paulo, pois não faço acepção de pessoas” (cf. Atos 10,34).
Nenhum vício deixará de ter seu próprio suplício. Os orgulhosos serão cobertos de confusão e os avaros conhecerão as aflições da miséria e da indigência. Lá, uma hora de castigo será mais atroz do que cem anos de amarga penitência neste mundo. Lá, não existe repouso, nenhuma consolação para os condenados: aqui neste mundo, de tempos a tempos, vemos o fim do sofrimento e encontramos prazer nas consolações dos amigos. 
Por causa do adultério de Rúben com a concubina do seu pai Jacó, a bênção viria a ser derramada sobre Judá, que, contudo, tinha seus pecados. Era um homem dado as mulheres. Teve filhos com uma cananeia. O mais velho, Er, foi dado em casamento a Tamar, também cananeia. Mas morreu sem lhe ter dado filhos. Judá obrigou o segundo filho, Onã, a desponá-la, para que “assegurasse uma descendência” ao irmão falecido, como era de costume. Onã, porém, agiu de má-fé com Tamar e o Senhor “o fez morrer também” (Gn 38,10).
Tamar, mulher decidida, resolveu, então, aproveitar-se do fraco de Judá por mulheres, disfarçou-se de prostituta e gerou um filho do seu sogro! Quando o clã quis apedrejá-la por ser mãe solteira, ela apresentou provas de que o pai de seu filho era o próprio Judá, que reconheceu: “Esta mulher é mais honesta do que eu, porque recusei a dar-lhe como esposo meu outro filho, Selá”. Tamar teve gêmeos. O primeiro que saiu de seu ventre se chamou “Farés” e seu irmão, Zara (Gn 38,29-30). Farés foi incluído por São Mateus na genealogia de Jesus, citado com seu gêmeo, Zara (Mt 1,3). Assim, Tamar entrou na galeria das mulheres de todos os tempos que não aceitavam um papel secundário e se tornam personalidades da história humana. Do mal Deus tira o bem.
Recorda os testemunhos dos santos antigos, e suas vitórias. Recorda as minhas promessas para ti e os prodígios já feitos. Recorda que te amo a ponto de ter enviado meu Filho para morrer em teu lugar. Nada deves temer porque eu não mudo. Farei para ti milagres tão maravilhosos quanto os que fiz por Daniel e Paulo, pois não faço acepção de pessoas (cf. Atos 10,34). Concedi a Cornélio, um gentio, o mesmo batismo de poder pelo Espírito Santo que os meus fiéis no dia de Pentecostes. A esposa de Cornélio experimentou a mesma glória que minha própria mãe, Maria.
Lembrete:
Quando o Senhor trouxe de volta os exilados de Sião, pensamos que era um sonho. Então nossa boca transbordava de sorrisos e nossa língua cantava de alegria. Então se comentava entre os povos: ‘O Senhor fez por eles maravilhas’. Maravilhas o Senhor fez por nós, encheu-nos de alegria (Sl 126,1-4).
Para confirmar o discernimento, verifique sempre se o começo, o meio e o fim do que se propõe é inteiramente bom! Como diz Inácio: “Devemos prestar muita atenção no decurso dos pensamentos. Se o principio, o meio e o fim deles forem todos bons, inteiramente inclinados para o bem, isto é, da vontade de Deus para mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário