28 de abr de 2015

BONS PAIS

Bons pais

      Seu João veio do sul da Bahia, no princípio da década de 30, para visitar o Rio. Já com aquela sábia pachorra que a idade traz, tomou um bonde e se deixou levar pelas ruas da cidade maravilhosa, olhando tudo com interesse.
      Aconteceu haver sentado ao lado de outro velhinho, franzino este, que também observava de olhos vivos tudo ao seu redor.
      Acabaram puxando conversa um com o outro:
      - O senhor é daqui do Rio?
      - Não, sou do interior de São Paulo. E o senhor?
      - Sou do interior da Bahia.
      - Estou aqui de visita.
      - Eu também estou aqui de visita.
      - Tenho um filho que mora no Rio. Ele é estudante.
      - O meu anda metido aí em uns movimentos, tem umas ideias meio afoitas...
      - Ora veja, pois o meu também – e seu João ajoelhou-se no banco, orgulhoso: - Mas é um bom menino, e quer ser pintor.
      - O meu quer ser escritor.
      E enquanto o bonde seguia, os velhos ficaram calados, pensando com carinho em seus filhos Cândido Portinari e Jorge Amado.
      Bons pais dão bons filhos.


27 de abr de 2015

CASAMENTO

                                                                  Casamento

      Houve uma festa de casamento italiana. O casal, não conseguindo local para festejar, insistiu e conseguiu convencer o vigário de fazer na própria igreja. O vigário consentiu, mas com a condição de que não houvesse bebidas nem dança. Imagine uma festa italiana sem bebida e dança! O vigário, ouvindo o barulho, chamou o padre companheiro e disse:
      - Vou expulsar essa gente.
      - Não, senhor vigário, faça lembrança de Caná da Galiléia.
      - Sim, meu filho, mas em Caná não havia Tabernáculo.

Coação de qualquer tipo e constrangimento ou falsidade tira o valor dos casamentos assim realizados.

22 de abr de 2015

CARIDADE

Caridade

      Uma piedosa mulher ia à Missa cotidianamente. A Igreja que frequentava era localizada em um lugar turístico, com muita gente de dinheiro e, por isso, com muitos pobres e mendigos ao redor. Indo para lá todo dia, esta piedosa mulher, concentrada e absorvida que estava, nunca via os mendigos, os doentes e os vizinhos na Igreja. Um dia, indo à missa pontualmente no horário de costume, pela primeira vez encontrou a porta fechada. Ficou preocupada e procurou explicações. Olhando mais atentamente a porta verificou uma nota: “Estou na rua, assinado, Jesus Cristo”.
      A Eucaristia cujo amor não é partido e distribuído entre outros não é plena.

15 de abr de 2015

CUIDAMOS DA LOJA?

Cuidamos da loja?

      Um velho comerciante está de cama, quase morrendo, com toda a família ao seu redor.
      - Está aqui, querida esposa?
      - Sim, querido – responde aflita a mulher.
      Depois de um grande silêncio, prossegue o enfermo:
      - E você, João, meu primogênito?
      - Sim, papai – responde acariciando-lhe a mão.
      - E você, Pedro, também me acompanha?
      - É claro, pai – responde.
      - E a minha adorada Raquel, onde está?
      - Aqui, aqui – responde a filha aos soluços.
      Então, o velho faz um gesto de desgosto e murmura.
      - Se estão todos aqui, quem está cuidando da loja?

8 de abr de 2015

DISCERNIMENTO

Discernimento

      A um homem que passou anos estudando os mandamentos de sua de sua religião, o Padre afirmou:
      - A chave para a vida boa é o amor, não a religião, nem os mandamentos.
      Aí contou sobre dois alunos da escola dominical que estavam enjoado a instrução religiosa, por isso um deles sugeriu que fugissem.
      - Fugir?... Mas nossos pais no pegarão e nos darão uma surra.
      - Nós bateremos neles também.
      - O quê? Bater no pai? Você deve estar maluco. Esqueceu-se de que Deus nos ordena honrar pai e mãe?
      - É verdade. Está bem. Você bate no meu pai e eu bato no seu.

6 de abr de 2015

O QUE DEUS NÃO É

O que Deus não é

O melhor Teólogo do mundo, Santo Tomás De Aquino, escreveu na introdução do seu primeiro livro: “não escrevo sobre o que Deus é, escrevo sobre o que Deus não é...” De repente, no fim da sua vida parou de escrever. Quando seu secretário se queixou dessa atitude, dizendo que sua obra estava incompleta o santo respondeu “Irmão Reginaldo, alguns meses atrás enquanto celebrava a Missa, experimentei algo divino; naquele dia perdi a vontade de escrever. De fato, tudo que eu escrevi de Deus até aquele dia, agora me parece pura palha.” Nem podia ser de outra maneira quando o Teólogo se torna místico. Aquele que é um místico, é um santo que mediante contemplação espiritual, atinge o estado estático de união direta com a divindade.