31 de jul de 2012

Pedro Fala ao Povo (Atos 2,14-40)

 “Tu és terrível! Quem te resiste quando desencadeias tua ira?” (Sl 76,8)
Meus olhos não podem fitar os teus na própria claridade de Deus. O mundo inteiro não poderia subsitir ao clarão fulgurante da tua gloriosa majestade. Por isso provês a minha fraqueza ocultando-te sob o sacramento que os anjos adoram no céu, que eu possuo verdadeiramente e que adoro. Por enquanto eu ainda possuo na fé; eles o têm sob os olhos e sem véu. Devo contentar-se com a luz da verdadeira fé e caminhar até que sopre a brisa do dia da eterna claridade e que fujam as sombras das figuras (Ct 2,17;4,6). Mas, quando vier o que é perfeito (1Cor 13,10), os bem-aventurados na glória celeste não têm mais necessidade de remédios sacramentais.
Agora que o Espírito Santo chegara para os seguidores de Jesus, eles não sentiam mais medo.
Pedro elevava a voz, para que todos pudessem ouvi-lo. “Povo de Jerusalém”, proclamava, “ouçam, tenho novidades para vocês!” Um grupo se formou ao redor do grande pescador.
O Espírito Santo mudara Pedro completamente. Ele apontou para os outros discípulos, dizendo: “Ao contrário do que alguns pensam, esses homens que vocês ouvem falar não estão bêbados. O que vocês vêem acontecer foi anunciado pelo profeta Joel. Ele disse que no futuro Deus mandaria ser Espírito para todos os que acreditassem, e então os jovens iriam proclamar a mensagem de Deus e ter visões e os velhos teriam sonhos. É isso que está acontecendo!’
“Homens de Israel, ouçam!, continuou. “Vocês se lembram de Jesus de Nazaré e de todas as coisas marcantes que Ele fez e disse. Muitos de vocês viram doentes sendo curados e até mortos sendo trazidos de volta à vida por Ele.
Meditação:
“Tudo isso era parte do plano de Deus para salvar o mundo. Deus ressuscitou Jesus como as Escrituras haviam dito. Ele é o Messias! E o que vocês assistem agora é obra do Espírito Santo. Ele nos dá o poder de falar em todas essas línguas.
“Os corajosos foram despojados, apanhados pelo sono, nenhuma guerreiro tinha força no seu braço.” (Sl 76,1-6)
“Feliz quem na lei do Senhor encontras sua alegria e nela medita dia e noite. Ele será como uma árvore plantada à beira de um riacho, que dá fruto do devido tempo, suas folhas nunca murcharam, e em tudo quanto faz sempre tem êxito” (Sl 1,1-6).

30 de jul de 2012

AMADURECIMENTO

“Meu auxílio vem do Senhor, que fez o céu e a terra” (Sl 121,1-4).
A principal missão do leigo é dar testemunho de Jesus Cristo e do Evangelho em sua família e em seu ambiente de moradia e trabalho. Por vocação própria, há leigos que atuam e vivem como voluntários, e até há os que deixam de ter família e os que deixam a sua terra e profissão para se entregar totalmente ao serviço do próximo segundo o modelo de Jesus.
Vamos colocar nossa inteligência, razão e discernimento naquilo que ainda não conhecemos bem e cuja manifestação, nesses níveis superiores, só acontecerá quando começarmos a amadurecer nossa mente para isso. Dessa forma, vamos adquirir confiança e comprovação, quando atingirmos, em nós e em nossos educandos, a serenidade, trazendo de dentro de nós, luz e sabedoria.
Serenidade e sabedoria, adquiridas com a prática dos exercícios, são coisas que o dinheiro não pode comprar.
Devemos trabalhar, acreditar, pôr em prática tudo isso, criando raízes para alcançar a tão almejada serenidade.
Quando começarmos a nos dedicar a esses fatos internos, vão aflorando manifestações, e a nossa vida vai mudando e entrando num novo ritmo. Vamos conseguindo tempo para relaxar e olhar dentro de nós, enquanto um novo ritmo de vida surge.
Devemos, então, levar estas informações ao conhecimento dos nossos amigos, para que dominem as técnicas de relaxamento, pratiquem-nas, incorporem-nas aos seus hábitos diários e então possam desenvolvê-las com seus alunos.
Posso partir da premissa de que nunca vou fazer nada que rompa meu relacionamento com meu Senhor Deus, mas vou escolher sempre, apenas o que minha consciência livremente permite. Então, vou esperar para descobrir o que Deus espera de mim.
Para chegar a essa disposição, preciso crer que posso saber o que Deus espera de mim e preciso ter esperança de descobrir isso.
“Alma de Cristo, santifica-me; Corpo de Cristo, salva-me; Sangue de Cristo, embriaga-me; Água do lado de Cristo, lava-me!
Paixão de Cristo, conforta-me! Ò Bom Jesus, escuta-me! Dentro de tuas chagas, esconde-me; Não permitas que eu me separe de ti!
Do Inimigo maligno, defende-me; Na hora de minha morte, chama-me e manda-me ir a Ti, para que, com teus santos e santas, eu te louve, pelos séculos dos séculos, amém!”.

29 de jul de 2012

SONS

“Antecipo a aurora e peço socorro, espero nas tuas palavras” (Sl 119,145-152).
Feche os olhos e relaxe todo o corpo, fique bem quietinho, não pode se mexer nem fazer nenhum barulho.
Inspire o ar bem devagar, silenciosamente, e ao expirá-lo, vá relaxando todo o corpo (três vezes).
Olhos fechados, bem relaxados, só na imaginação, sinta o agradável ar desta manhã, despertando à vida.
Mentalmente (só na imaginação), vamos saudar o nosso dia. Repita mentalmente comigo: “Bom dia, Sol. Bom dia, Dia. Bom dia, dona Alegria”.
Confiante num novo dia, numa nova vida, sinta que dentro de você existe algo maravilhoso e a certeza de que você é a própria alegria.
Neste silêncio, agradeça a Deus pelo dia que começa. Pode uma colocar música de fundo.
Tapar os ouvidos com os polegares e os olhos com as mãos. Escutar o som da tua respiração. Depois de 10 respirações, descansar as mãos sobre o ventre, manter os olhos fechados, escutar todos os sons próximos, o mais suave, o mais longe.
Existe o silêncio no centro de cada som. Os sons distraem quando se quer repeli-los ou fugir deles. Percebê-los! Cada som tem dezenas de sons dentro: tentar recolhê-los todos.
Através dos exercícios de relaxamento, vamos buscar uma informação que se origina em nosso interior, uma auto-educação.
Vamos buscar também uma forma subjetiva de nos educar, através da imaginação e das nossas fantasias...
Comece sentindo o seu corpo, depois as coisas à sua volta e logo notará a paz e a felicidade que uma auto consciência desenvolvida lhe trará.
Faça qualquer oração que você saiba ritmicamente, pronunciando uma palavra ou frase cada vez que inspirar, ou der um passo, ou ouvir as rodas do metrô passando por um divisor de trilhos.
Naturalmente, em todo modo de orar, começa-se a concentrar em Deus, pedindo ao Senhor o que quer, e termina falando com seu Criador e Senhor.

28 de jul de 2012

ESCOLA

“Quem ama tua lei tem muita paz, no seu caminho não há tropeço” (Sl 119,161-168).
O objetivo do relaxamento é levar o homem ao hábito de dedicar alguns minutos do seu dia ao recolhimento e à quietude mental.
É um trabalho que requer muita paciência e que se desenvolve com muita lentidão mas, se bem executado, o alvo será atingido, e a meta alcançada.
Trata-se de uma técnica simples, verdadeira, e que permite aos seus praticantes atingir o que há de mais elevado dentro deles: obter a disciplina e o domínio da mente, tomando os pensamentos mais calmos e profundos, ajudando as pessoas a escolher o que mais importante na vida.
Queremos combater a tribulação da vida material e, através do relaxamento, trazer luz e soluções para nossas vidas, ajudando-nos a viver melhor, acentuando o silêncio, a respiração, o relaxamento dos músculos, a pacificação emocional e sentimental, a concentração e a oração com o corpo.
O relaxamento propicia o controle da mente e o uso da imaginação, dá descanso, ensina a eliminar as tensões e leva à expansão da nossa mente.
A consciência de si próprio é um meio poderoso de aumentar o amor de Deus e ao próximo, elevando o próprio amor. Somente quando estou sintonizado com os meus próprios sentimentos é que sou capaz de ser consciente dos sentimentos dos outros.
Passamos grande parte de nossa vida, do maternal ao término da escola, aprendendo de fora para dentro (forma objetiva).
Faça qualquer oração que saiba – O Pai Nosso, o Credo dos Apóstolos, a Ave Maria – E considere uma palavra de cada vez, saboreando-a até terminá-la, e só então, passando para a palavra seguinte. Assim, imagine o que significa chamar Deus de “Pai”, e como você vive esse significado; então quando terminar essa palavra, passe para o “nosso”, e assim por diante, até o “Amém”.

27 de jul de 2012

CONTATO COM DEUS

“Defende minha causa, resgata-me, segundo tua promessa, faze-me viver” (Sl 119,153-160).
Inspire o ar bem devagar, silenciosamente, e ao expirá-lo, vá relaxando todo o corpo (três vezes).
Olhos fechados, bem relaxados, só na imaginação, sinta o agradável ar desta manhã, despertando à vida.
Mentalmente (só na imaginação) vamos saudar o nosso dia. Repita mentalmente comigo: “Bom dia, Sol. Bom dia, Dia. Bom dia, dona Alegria”.
Confiante num novo dia, numa nova vida, sinta que dentro de você existe algo maravilhoso e a certeza de que você é a própria alegria.
Neste silêncio, agradeça a Deus pelo dia que começa. Pode colocar uma música de fundo.
Agora, bem devagar, vá mexendo as mãozinhas, a cabeça... virando de um lado para o outro... tudo bem devagar, o corpo, os pés, vá espreguiçando todo o corpo; assim como você vê um gatinho ao acordar, imite um gatinho. Ao abrir os olhos, vamos todos falar juntos, bem alto: “Bom dia, Sol. Bom dia, Dia. Bom dia, dona Alegria”.
Refletir: cada sensação criada pela onipotência de Deus! Sentir o contato de Deus em todo o corpo: tosco, suave, agradável, doloroso...
O homem não sente mais a vida, não percebe o amanhecer, nem o entardecer, é como uma máquina em movimento, não ouve mais a voz interior, chegando mesmo a desconhecê-la.
Somente no silêncio entramos nas profundezas de nosso ser, de nosso mundo interior, é aí, que alcançamos a nossa verdadeira mente.
Apenas quando nossa mente se encontra num estado de tranqüilidade e repouso é que obtemos um conhecimento profundo do nosso eu, passando do mundo exterior para o mundo interior, entrando em contato com nós mesmos, com a nossa imaginação e fantasia.
Meditação:
“Eis o que pregamos, eis o que acreditastes!” (1Cor 15,11).
O que o apóstolo com todas as primeiras testemunhas de Cristo, toda a primitiva Igreja, anunciou e pregou foi o fato da Ressurreição: “Se pregamos que Cristo ressuscitou dos mortos, como alguns de vós dizem que não há ressurreição dos mortos? Se não há ressurreição dos mortos, também  Cristo não ressuscitou, vazia é a nossa pregação, vazia também é a vossa fé”.

26 de jul de 2012

SOMOS FILHOS DE DEUS

“Como filhos de Deus íntegros no meio de uma sociedade depravada e maliciosa onde brilhais como luzeiros no mundo” (Fl 2,15).
O despertar daqueles que desejam uma vida mais plena de crescimento e evolução, de transformação de si próprio e do seu mundo, envolve vários requisitos: um propósito de vida mais elevado; uma reflexão e um questionamento sobre si mesmo; seu bem-estar; um crescimento de consciência e um despertar para Deus.
Um direcionamento espiritual que os ilumine, purifique e os conduza à harmonia é a essência desse trabalho.
O homem só fará a si próprio e ao seu planeta mais humano, mais feliz e harmonioso, quando tomar consciência de que o maior trabalho a executar é consigo mesmo; um trabalho intenso com seu interior, buscando regularmente tranqüilidade e compreensão. Deve estabelecer novas metas, exercitar o seu cérebro, canalizar sua vontade através de hábitos corretos e sadios, fazer um elo de ligação entre o homem exterior e o homem interior, o material e o espiritual.
Interligando mente, corpo e espírito, equilibrando o físico, o psíquico e o espiritual. Somente assim, unidos na roda da vida, poderemos despertar a paz, a harmonia e o amor.
“Como filhos de Deus íntegros no meio de uma sociedade depravada e maliciosa onde brilhais como luzeiros no mundo” (Fl 2,15).
Uma das maneiras de desenvolver a consciência é acalmar a mente, pois esta permite que nossas energias internas se harmonizem com as externas; e um bom caminho para atingi-las é o relaxamento.
“Aqueles que recebem a semente em terra boa escutam a palavra, acolhem-na e dão fruto, trinta, sessenta e cem por um” (Mc 4,20).
Lembrete:
Desejamos ajudar a pessoa a refletir sobre si mesma, seu próximo, seu mundo e Deus. Apresento técnicas de respiração, de como trabalhar com o corpo e técnicas de relaxamento. Indico-o para todos aqueles que querem iniciar-se na descoberta do seu eu, aprender a relaxar, aprofundar-se num auto-conhecimento e conseqüentemente relacionar-se com o seu exterior.
Procuramos mostrar que é possível utilizar nossas energias interiores para melhorar a qualidade de vida, redescobrir o nosso eu através do poder que todos nós temos, e assim caminharmos.

25 de jul de 2012

Ponto de equilíbrio

“Sim, ó Deus, tu nos provaste, purificaste-nos como se faz com a prata... fizeste os homens cavalgar nossas cabeças, passamos pelo fogo e pela água, mas enfim nos conduziste a um lugar de descanso” (Sl 66,7-12)
Devemos, porém, interagir e sintonizar-nos, na nossa totalidade, conosco mesmo, com nosso mundo com nosso universo.
Harmonizar-nos e integrar a Deus.
Buscamos equilíbrio físico, mental, emocional e espiritual.
Necessário se faz buscar urgentemente esse ponto de equilíbrio por que: “Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor, de moderação” (2Tm 1,7).
A ciência vem mostrando-nos a utilização baixíssima de nossas potencialidades cerebrais.
Diante desse quadro, é urgente a conscientização das pessoas para uma tomada de posição quanto à responsabilidade pessoal, à conscientização em relação a si próprias e ao planeta que habitam, e a aquisição de um propósito de vida mais elevado.
É hora de mudar, evoluir, canalizar e direcionar nossas energias, pensamentos e ações através de atitudes mais positivas e autênticas e desejar ardentemente nosso crescimento.
Tentemos desenvolver, concomitantemente, nossa razão e emoção, unir sabedoria e inteligência com o nosso sentir, adquirindo habilidades em lidar com as nossas reações emocionais, com as de outras pessoas e interagir com elas; e nos harmonizar, encontrando soluções para nos contrapor com esse mundo estressado, agitado, apressado, ansioso que acarreta desintegraçãol social e mental.
Podemos abolir tais coisas, modificando a nossa mente, as nossas atitudes, hábitos e crenças em relação a nossa maneira de pensar, de falar, de agir, enfim, de ser.
Paz... tranqüilidade... harmonia... compreensão... pureza... honestidade... equilíbrio... perdão... bondade... ser...
Uma interação do homem de ação (exterior) com o homem que medita, silencia (interior).
Meditação:
Medite no Salmo 46,11 que diz: “Aquietai-vos e sabeis que eu sou Deus”
Tenho agido contigo da mesma maneira. Te coloquei no cadinho das provações cruciantes, sem perspectiva da saída, e ativei o fogo sete vezes mais, para que te tornes perfeito diante de mim. Realizo minha obra em ti para tirar tudo o que pode manchar a imagem perfeita de Cristo em tua vida. E pus no fundo do cadinho não só sua pessoa mas todo o teu ministério. Tua obre e a dos que trabalham contigo são provadas pelo fogo, para que tudo o que estiver dissonante de minha vontade desapareça rapidamente. O tempo é curto, e apenas um servo santo e puro poderá me servir no templo

24 de jul de 2012

FOME DE DEUS

“Vou seguir o caminho da inocência: quando virás a mim? Caminharei com o coração íntegro, na minha família e na minha casa” (Sl 101,1-8).
Respirar a Deus: Comunicação sem Palavras
Expressar desejo de Deus, fome de Deus, por meio de tua maneira de expirar. Expressar entrega (pôr ênfase nisso ao expulsar o ar dos pulmões). Amor e intimidade. Adoração. Ação de graças. Louvor. Humildade.
Há urgência em melhorarmos a nós mesmos de dentro para fora, renovando nossas visões e valores em relação à nossa maneira de ser, para não perdermos o controle sobre a vida.
Temos, então, de restaurar nosso equilíbrio, regularmente, reordenando nossa mente, nosso corpo e o nosso espírito.
É necessária a conscientização acerca dessa mudança, para não sermos perdedores futuramente.
Temos de dar prioridade ao nosso desenvolvimento interior. Fazer um exame minucioso de nós mesmos, para caminharmos segura e serenamente, de modo a alcançarmos a paz e a felicidade que constituem o imperativo básico de nossa vida. Vamos, então, nos empenhar nessa luta, buscar dentro de nós a paz que nos permite desenvolver uma qualidade de vida mais humana.
O que fazer, então, para encontrar a solução para problemas da vida?
Um dos passos importantes para o auto conhecimento é colocar toda a nossa atenção diariamente nas orações diárias.
Podemos ir um pouco mais longe: quando não temos obrigações na consciência, devemos permanecer livres de preferências fixas por uma ou outra coisa criada, Em vez disso, devemos nos manter em equilíbrio diante de tudo. O que isso acarreta? Significa que antes de enfrentarmos qualquer decisão, não determinamos fazer tudo que nos mantenha saudáveis e nada que possa nos fazer adoecer, ser rico em vez de pobre, ser considerado alguém importante, em vez de um joão-ninguém, viver até uma idade avançada, em vez de morrer jovem. Dessa maneira, manteremos o equilíbrio diante de toda coisa criada, quando chegar a hora de tomar uma decisão.
Meditação:
“Pai, em Tuas mãos entrego o meu espírito” (Lc 23,46).
Então, peça o que quer dizer: a Luz! A Face de Jesus, Vida e Ressurreição! Alegria com ele: vivo, simples, serviçal, fraterno, próximo! Gozo intenso e cheio de glória. Jesus é tudo em todo.

23 de jul de 2012

VALORES

“Ficais sabendo que o Senhor é Deu,; Ele nos fez e nós somos seus, seu povo e rebanho do seu pasto” (Sl 100,1-5).
A nossa educação, teoricamente, busca valorizar o homem, promovendo a sua identidade e dignidade pessoal, focalizando o desenvolvimento orgânico, mental, físico e moral do indivíduo, e valorizando o homem como pessoa em si mesmo.
Nesse caso, precisamos de condições favoráveis à realização pessoal.
Toda mudança tem de partir da educação, de um reaprendizado que promova a reflexão e instigue o indivíduo a um mergulho profundo dentro de si mesmo, de modo que possa atingir a total auto-realização.
Assim, o homem aprende a viver a vida, sentindo o gosto de poder construir uma sociedade sadia, na qual, possa manter o equilíbrio e a integridade de seus componentes psicossomáticos; na qual, seja capaz de um crescimento sadio, contínuo e agradável em interação com o meio, podendo controlar seus pensamentos, dominar as influências externas e a pressão inerente à vida moderna.
Ter domínio total sobre seu corpo, sua mente e por consequência, sobre suas emoções. Adquirir exaltar, desta forma, a paz, a felicidade e a realização como pessoas.
Exaltando seus valores mais profundos, que possam dar sentido à sua vida, sem os quais, muitas vezes, volta-se para as drogas, bebida e maus hábitos, destruidores de vidas.
Coloquemos, então, lado a lado, uma vida de intensa atividade social e uma vida de paz interior, sem destruir a primeira, mas introduzindo a segunda.
Olhe para o mundo, olhando também para si, encontrando desta forma o equilíbrio, a paz que tanto desejamos, sem precisar recorrer a coisas externas a nós.
Decidimo-nos a viver em cuidadoso equilíbrio, a querer escolher unicamente com base naquilo, que leva mais diretamente e com mais certeza, para nosso propósito original.
Meditação:
Paulo escreveu: “Lembro-vos, meus irmãos, a boa notícia (o evangelho) que vos anunciei, que recebestes, na qual permaneceis firmes, pela qual sois salvos, se a guardais como eu vo-la anunciarei. De outro modo teríeis acreditado inutilmente. Em primeiro lugar, eu vos transmiti aquilo mesmo que recebi: Cristo morreu por nossos pecados, foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras. Vivemos com Cristo ressuscitado.

22 de jul de 2012

DISTRIBUINDO DONS

“Evangelizando os pobres, libertando os cativos, restituindo a liberdade aos oprimidos” (Lc 4,18-19).
Num século onde se investigam o espaço e as profundezas do mar, o homem ainda não busca o conhecimento de si, as profundezas de sua alma.
Anunciamos, como Cristo, um ano de graça do Senhor, imitando o Mestre da Vida, isto é: evangelizando os pobres, libertando os cativos, restituindo a liberdade aos oprimidos (ver Lc 4,18-19). Procedem como fiéis ao Senhor em tudo, sem se conformarem com este mundo (Rm 12,2).
O homem pouco faz por sua vida. Domina a natureza e o mundo que o rodeia, mas não domina a si próprio. Conhece o mundo através dos cinco sentidos; no entanto, muito pouco faz para conhecê-los melhor e desenvolvê-los adequadamente. O que lhe daria a capacidade de sentir, cheirar, ver, tocar, através de um ato consciente?
E como é importante conhecer nossos sentidos para podermos dominá-los
“Cientificamente foi comprovado que até agora o homem só desenvolveu 10% de suas faculdades mentais”.
Agora me pergunto: E os outros 90%, onde estão? Como levar os nossos educandos, os nossos filhos e nós mesmos a esse desenvolvimento?
Se somos os seres mais inteligente do planeta, por que não desenvolvemos estas faculdades? Que inquietante situação é esta em que nos encontramos!
Toda pessoa que esta no mundo foi criada de um modo tal que, se louvar, reverenciar e viver de acordo com a vontade de Deus, Nosso Senhor, alcançará seguramente o Reino de Deus. É esse o propósito original de cada vida humana.
Todas as outras coisas da face da terra destinam-se à humanidade, para ajudar toda pessoa a alcançar o propósito original que Deus atribuiu a cada um de nós.
A única coisa que faz sentido no uso de todas as outras, então, é usarmos tudo que nos ajude a perceber esse propósito original no fundo de nós, e nos afastarmos de tudo o que nos separa do propósito original em nós.
Meditação:
Reze com Aquele que é Ressurreição e Vida... Encerrar com o Alegre Salmo do Bom Pastor (Sl 23): “Tu é meu Pastor, nada me falta!”.

21 de jul de 2012

PENSAMENTOS

“Quando o Senhor reconstruir Sião e aparecer na sua glória Ele ouvirá a prece do desamparado e não rejeitará sua súplica. Que isto seja escrito para a geração futura, e um povo regenerado celebre o Senhor” (Sl 102,16-29).
“Se nada temos, nada podemos dar.”
Vivendo numa época puramente materialista, correndo atrás da ciência, da tecnologia e da razão, o homem, pouco a pouco, vai se distanciando de seus sentimentos, de suas emoções, de suas potencialidades. E se esquecendo de que sua felicidade se encontra dentro dele e não fora.
É urgente, então, que paremos.
Pare você também, agora. Retomemos a reflexão:
Como estamos conduzindo a nossa vida?
Façamos uma reflexão consciente, senão vamos ser triturados pelo sistema, pela tecnologia, e podemos nos tornar estranhos a nós mesmos.
Os nossos pensamentos, desejos e ações estão sempre ocupados com as coisas do mundo externo, por isso ficamos sempre contemplando o mundo ao nosso redor. E por não conduzirmos mais, perdemos nossas faculdades pelo desuso, e o sistema passa a nos conduzir da maneira que quer. Dessa forma, vamos nos tornando verdadeiros robôs, que se deixam conduzir, simplesmente.
Pensemos agora em Sócrates. Quanta verdade há em sua pequena, mas profunda frase: “Homem, conhece-te a ti mesmo”.
E o homem, considerado o animal mais inteligente do planeta, pouco sabe a seu respeito.
Embora ocupe o centro do mundo, o homem compreende a relatividade desse centro, perdendo sua centralidade e passando a ser totalmente desapercebido por si mesmo, o que acaba por torná-lo vítima infeliz de seus desejos, emoções e hábitos, muitas vezes autodestruidores. Porém existe o amor!
Meditação:
Reflitamos sobre: “Em tudo amar e servir”.
Note duas coisas: “O amor deve pôr-se mais em obras do que em palavras; O amor consiste em comunicação mútua, isto é, aquele que ama dê e comunique a seu amado o que pode. Igualmente, por sua vez, o amado ao que ama...”.

20 de jul de 2012

HONESTIDADE

“Não diz a Escritura que ele será da estirpe de Davi e que ele virá de Belém, a cidadezinha de onde Davi era originário? Deste modo, a multidão se dividiu a seu respeito. Alguns dentre eles quiseram prendê-lo, mas ninguém pôs a mão nele” (Jo 7,42-44).
Devemos ler a Bíblia com cuidado. Vimos que Lucas diz que o povo de Beréia se doou de coração inteiro à tarefa de analisar diariamente as Sagradas Escrituras. Também Lucas empregou a palavra, que era habitualmente usada nos círculos da lei durante o primeiro século para descrever o cuidadoso e meticuloso interrogatório, ou uma cuidadosa investigação das evidências. O estudo das Escrituras não é um exercício que pode ser feito corretamente quando é forçado freneticamente em poucos minutos de sobra num dia superlotado. Devemos examinar a Bíblia com a eficácia do povo de Beréia. As Escrituras não podem entregar seus tesouros para o homem ou mulher que está numa pressa muito grande para conseguir lê-la adequadamente.
Todos somos capazes de dedicar bastante tempo para atividades regulares, mas de pouco rendimento. Muito tempo nosso é desperdiçado. É muito fácil dedicar mais tempo para o jornal, ou para um programa de televisão do que à Bíblia. Essas atividades nem sempre são lucrativas, e podem até estar nos prejudicando. Mas seremos mais do que recompensados por cada momento que dedicamos à Bíblia. Explorando esta vasta mina da verdade fará de nós pessoas muito melhores. Obedecer seus mandamentos e aceitar suas promessas acarretará  em uma paz mais profunda, aumento da confiança. Teremos fé mais rica, maior capacidade, e melhor de tudo, amor renovado pelo próximo, assim como por Deus que nos deu este tesouro inestimável, as Escrituras.
Meditação:
“Mas vós nunca escutaste a sua voz, nem vistes o que o manifestava, e a sua palavra não permanece em vós, pois não credes naquele que Ele enviou. Vós perscrutais as Escrituras porque pensais adquirir por elas a vida eterna, e são eternamente elas que dão testemunho a meu respeito, mas vós não quereis vir a mim para terdes a vida eterna” (Jo 5,37-40).
“Se alguém tem sede, venha a mim e beba aquele que crê em mim. Como disse a Escritura: ‘Do seu seio jorrarão rios de água viva’”. Ele designava o Espírito que deviam receber os que creiam nele: com efeito, ainda não havia Espírito porque Jesus ainda não fora glorificado (Jo 7,37-39).

19 de jul de 2012

OBRIGADO!

“Para que governe teu povo com justiça e com retidão os teus pobres. As montanhas tragam a paz e as colinas lhe tragam justiça” (Sl 72,1-3).
Numa revista sobre educação, estava escrito: “Veja como uma criança aprende a dizer ‘obrigado’, sem ter talvez sentimento de gratidão”.
E essa falta de gratidão, de amor, que contém certa indiferença, se reflete nela e no mundo. Haja vista o que o homem está fazendo com seu habitat: destruindo-o, por falta de conhecimento e respeito a si próprio.
Devemos, então, o quanto antes levar o nosso educando a descobrir a beleza do verde, o colorido das flores, a intensa luz do sol e do brilho das estrelas. Para que possa sentir a beleza de uma rosa em um canteiro, e meditar sobre o seu perfume e sobre os seus espinhos.
Você, que agora está lendo estas reflexões, feche os olhos ... e sinta-se uma rosa ... firme em seu canteiro ... Vem o vento ... a chuva .... o sol ... e ela, firme, enraizada no solso, exibindo toda  a sua beleza para aqueles que a fitam. E sem perder a beleza,  nem o perfume, mesmo com todos os seus espinhos.
Você já imaginou que poderia ser como essa rosa? E que, de certa forma, isso é possível?
O ser humano é o objeto mais importante de estudo.
Como, também, é importante amar e ser amado, respeite-se e seja respeitado, sentindo a vida, cuidando de si, satisfazendo-se em sua totalidade. E, a partir disso, poder compartilhar suas ligações e responsabilidades para com os outros.
Se não nos amarmos, se não nos respeitarmos, se não cuidarmos de nós mesmos, de onde vamos tirar o amor, o respeito, o cuidado, por alguém?
Meditação:
Pensamos no poder das mãos erguidas. “Escuta a voz de minha súplica quando te peço ajuda, quando elevo as mãos para teu santo templo” (Sl 28).
É certo que: “Ainda não se manifestou o que somos, mas nós já somos filhos de Deus!” (1Jo 3,2).

18 de jul de 2012

RESPEITO

Como podemos chegar ao outro, se desconhecemos a nossa realidade?
Se estivermos bem com nós mesmos, estaremos bem com o outro.
O homem tem de sair de si para chegar a si mesmo, obtendo assim, o seu próprio eu. E só, então, partir de si mesmo para atingir o outro.
Estamos sempre preocupados em conhecer e explorar o mundo para viver nele e para ele.
Conhecer, falar, criticar, julgar as pessoas para viver com elas e para elas.
Mas ...  fazemos muito pouco para conhecer e viver para nós mesmos. Dependemos sempre de um sorriso, de uma palavra de alguém, para nos sentirmos felizes.
Notei, através da História, que o homem sempre foi levado a olhar para fora dele: lendo o mundo de fora para dentro.
Fui concluindo que, antes de levar o nosso educando a ler o mundo, isto é, a conhecer e a explorar também seu mundo externo, deveríamos ensiná-lo a conhecer e a explorar também seu mundo interno. Conscientizá-lo de que cada indivíduo é um ser original, muito importante e único. Uma realidade a ser valorizada primeiro por ele próprio, sabendo equilibrar-se internamente para poder equilibrar-se externamente e, assim, conseguir enfrentar situações de uma maneira calma, compreensiva, construtiva e crítica.
O nosso dever de despertar nossa mente é conduzir-nos a explorar as profundezas de nossa alma, para que assim nós sintamos seguros e despertos para uma paz interior.
Quero compreender que o homem possui, em si mesmo, reservas de forças e poder para enfrentar e vencer situações difíceis.
Desejo adquirir respeito e sentimento de amor por mim e para com os outros.
Meditação:
“Não me rejeites no tempo de velhice, não me abandones quando diminuem minhas forças... Tu me instruíste, ó Deus, desde a minha juventude e ainda hoje proclamo os teus prodígios. E agora, na velhice, de cabelos brancos, Deus, não me abandones, até que eu anuncie teu poder, as tuas maravilhas, a todas as gerações que virão” (Sl 71,7-19).

17 de jul de 2012

ESTUDARMOS A NÓS MESMOS

“Bons cidadãos da pátria terrestre, empenhando-se em instaurar o Reino de Deus, reino de verdade e justiça, amor e paz” (Rm 14,7).
“Como sal da terra, os leigos discípulos de Cristo se opõem à corrupção, que ataca as instituições deste mundo, agindo também pela atividade política, assumindo responsabilidade pela coisa pública, como bons cidadãos da pátria terrestre, empenhando-se em instaurar o Reino de Deus, reino de verdade e justiça, amor e paz” (Rm 14,7).
O homem percorre a terra em poucas horas, envia laboratórios ao espaço, conhece o corpo humano e a energia contida no átomo, mas ainda é escravo de suas emoções, de seus sentimentos e de hábitos que muitas vezes o prejudicam, impedindo que ele conheça a si próprio.
E aí, começa todo o seu conflito.
Nossa educação nos ensina muita coisa ... porém, pouco nosso respeito.
O ser humano aprende a lidar com as coisas do mundo, mas não sabe o que fazer com o seu mundo interior.
Fui aprendendo que não são as circunstâncias que devemos modificar primeiramente, mas a nós mesmos, e então as circunstâncias se modificarão naturalmente.
Quem pode alcançar esta sabedoria e este equilíbrio por si mesmo? Necessito do poder de Deus trabalhando em mim. Para Deus tudo é possível.
O importante, então, é estudarmos a nós mesmos, antes de começarmos a estudar e seguir outra profissão.
Meditação:
Pedimos os dons do Pai: pode agora, trazer à memória os dons do Pai. Com muito afeito: o que o Pai tem feito por você? O que você tem visto o Pai fazer? Quanto ele lhe tem dado? Até o Filho... e o próprio Espírito...
Não deixe de refletir sobre você: o que, de sua parte, vai oferecer e dar?
“Pedir o que quero”: Será aqui pedir conhecimento interno de tantos bens recebidos para que eu, reconhecendo-os inteiramente, possa em tudo amar e servir à sua Divina Majestade”.

16 de jul de 2012

TOMAI SENHOR

“Sobre ti me apoiei desde o seio materno, desde o colo de minha mãe és minha proteção; em ti está sempre o meu louvor” (Sl 71,1-6).
Sob a influência do Espírito Santo, faço a minha oração. Por meio da oração e do relaxamento tento ser tocado pela sua presença do Cristo ressuscitado, de uma maneira muito pessoal.
Penso na verdade do Cristo vivo.
Percebo a Sua presença nos meus companheiros. Vejo o Seu Ser no ambiente e, sobretudo, na beleza natural que me rodeia.
“Quem vê uma árvore vê, a Deus.”
“Pode alguém assistir a um balé, sem ver o bailarino?”
Ouço a Sua voz, que dá som aos sons que ouço. Sinto o Seu toque na brisa suave. Aspiro o seu perfume no aroma de uma rosa. Saboreio a presença Dele no paladar de uma refeição.
Este equilíbrio pode chegar a ser questão de vida ou morte quando se trata de assuntos importantes. O advogado que se permite ter um desejo desequilibrado de ser rico, pode aproveitar uma oportunidade dada, para obter, injustamente, uma grande soma de dinheiro. O sócio em um negócio que é demasiadamente ambicioso pode espalhar graves mentiras sobre um colega para poder adiantar-se a ele, com a intenção de obter um novo cargo. Sua falta de equilíbrio diante de coisas boas e de ricas oportunidades lhe prepara o caminho para agir contrariamente a seu propósito original na vida e, contrariamente também, a seu ser mais autêntico. E se, por esta falta de equilíbrio, atuamos desta maneira mortal uma vez, o que nos impedirá de o fazermos novamente, já que cada vez mais ficamos ainda mais, desequilibrados até chegarmos a ser pessoas realmente destruídas?

Meditação:
Rezo a oração abaixo, pondo toda a minha mente e minha energia na oferta e na petição.
Tomai, Senhor, e tratai como vossa minha liberdade meu entendimento, minha memória – todas as minhas decisões e minha liberdade de escolha. Tudo que posso e possuo vós me destes e me dais; agora devolvo tudo a vós procurando em tudo encontrar vossas esperanças e desejos. Continuais concedendo-me vosso divino amor e conservai sobre mim vosso olhar vivificador, e não necessito nem desejo mais nada.
Reflito por um momento e converso com Deus, Nosso Senhor. E termino com Pai Nosso.

15 de jul de 2012

LIBERTAÇÃO

“Bendito seja Deus, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo...” (Ef 1,3-14).
Rezo a minha história de libertação do pecado e dos caminhos do mal. Ajudo-me pedindo ao Senhor da Vida que me recorde os momentos em que escorreguei ou escolhi o caminho errado e fui reerguido(a), recuperado(a). Com Paulo Apóstolo, posso louvar a excelência da pessoa de Jesus no plano redentor do Pai: “Bendito seja Deus, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo... (Ef 1,3-14)
Empenho-me em descobrir neste texto de Efésios a grande benção que nos vem d’Ele: a benção de vida santa (v.4); a benção da filiação (v.5); a benção da remissão dos pecados (v.7); a benção da revelação do mistério de sua vontade (v.9); a benção da herança (v.11); a benção do chamado dos gentios (v.13); a benção do Espírito Santo (v.13).
Procuro reconhecer, sem pressa, esta corrente de bênçãos na minha própria vida. Pergunto-me como posso retribuir oferecendo aos outros, amigos e não amigos, o meu testemunho, a minha solidariedade, a minha santidade de vida, na graça de Cristo.
Falo ao meu Benfeitor com amizade, empenhando-me em expressar-lhe a minha gratidão e pedir-lhe para aprender a retribuir tanta graça doando-me aos outros.
Então, se encontro algo atrativo ou não, escolherei somente coisas que me levem a Deus e me conduzam ao meu mais autêntico ser. Isto parece óbvio e simples, mas considere o que isso acarreta: não terei sempre uma alternativa entre várias. Por exemplo, não vou decidir quer em qualquer caso, vou escolher a alternativa que me permita fazer mais dinheiro com comparação com qualquer outra alternativa na qual possa conseguir menos dinheiro. Posso permitir-me viver somente para ter uma saúde exuberante? Posso colocar o fato de viver em um determinado lugar como prioridade entre todos os meus interesses? Não, me manterei em equilíbrio até que eu tenha decidido qual alternativa me levará a Deus e a amar os que me circundam.
Meditação:
“Tomai, Senhor e recebei, toda a minha liberdade, minha memória e entendimento e toda a minha vontade. Tudo o que tenho ou possuo vós me destes. A vós, Senhor, restituo. Tudo é vosso. Disponho segundo a vossa vontade. Dai-me o vosso amor e a vossa graça, pois isso me basta.”

14 de jul de 2012

O UNIVERSO

“Bendize a Javé, ó minha alma...vestido de esplendor e majestade!” (Sl 104)
Invoco o Espírito Santo.
Imagino-me, de novo, diante dos anjos e dos santos junto da glória do Pai.
Peço a graça de ser tocado(a) interiormente pela contínua benção de graças de que estive e estou sendo cumulado(a).
Os bens da criação, dádiva do Pai:
- Olho ao meu redor e contemplo o universo que me cerca. Estou envolvido(a) pelo ar. O oxigênio é o elemento vital da minha existência e de todos os seres vivos. Pelo menos com a imaginação, sinto os aromas, exalados de plantas mil; vejo frutos e sinto os seus sabores. Contemplo imagens das mais belas paisagens de cores e formas. Escuto melodias de aves mil. Paro e oro em contemplação silenciosa.
- Visito o pomar, olho as frutas, saboreio e rezo. Visito a horta e lá me encontro com a divina Providência, que nos provê uma imensa farmácia natural, rica em vitaminas, sais minerais, distribuídos sem medida.
Deixo-me ajudar pelo Salmo 104: “Bendize a Javé, ó minha alma...vestido de esplendor e majestade!”. À medida que repasso cada versículo, procuro perceber o que este me revela à minha vida pessoal. Reflito sobre mim mesmo(a) para tirar algum proveito.
Os bens da Redenção por Cristo Jesus:
- Volto à hora do meu Batismo, momento privilegiado de minha inserção na vida, morte e ressurreição de Cristo. Ele é o meu Redentor, o Redentor universal. Nele fomos salvos: “O nome de Jesus significa que o próprio nome de Deus está presente na pessoa de seu Filho, feito homem para a redenção universal e definitiva dos pecados”.
Lembrete:
“Para os casados temos o exemplo de São Joaquim e Santa Ana, que repartiram seus bens em três partes. Davam a primeira aos pobre, a segunda ao ministério e serviço do Templo, reservando a terceira parte para o próprio sustento e da família”.
Há uma sabedoria espiritual nessa proposta. A parte dos pobres é a primeira, pois é a parte do Senhor. O culto, as obras da comunidade cristã vêm em seguida. O que o costume e a espontaneidade colocariam em primeiro lugar. Deixar para o fim: é o que a família necessita para o próprio sustento. A razão é evidente: corremos o risco de cair no “Mateus, primeiro os teus”. Invertemos ordem, que tenhamos os olhos voltados para o Senhor, que se fez para a todos enriquecer (2Cor 8,9)

13 de jul de 2012

DOIS PEIXES

“E para a glória de Deus Pai, toda língua proclame: ‘Jesus Cristo é o Senhor!’” (Fl 2,8-11)
Qual a missão dos leigos?
Ela pode ser muito bem resumida com as palavras de Cristo ao homem que Ele curou em Gerasa: “Vai para a tua casa e para os teus e anuncia-lhes tudo o que o Senhor fez por ti em sua misericórdia”. E (o homem curado) partiu e começou a proclamar na Decápole (sua região) tudo quanto o Senhor fizera por ele. E todos ficaram espantados (ver Mc 5,18-20).
“Recordar os benefícios recebidos pela criação, redenção e dons particulares, ponderando com muito afeto, quanto Deus Nosso Senhor, tem feito por mim, e quanto me tem dado de tudo o que tem. Em conseqüência, o quanto o mesmo Senhor quer dar-Se a mim, quanto pode, segundo Sua divina determinação. Daí, refletir sobre mim mesmo, considerando com muita razão e justiça o que devo oferecer e dar de minha parte à sua divina Majestade...
Na beira do lago, o rapaz olhou para as mãos e viu nelas uma sacola com uns poucos peixes e pães. Não pensou: “São meus”. Sabiam que eram ganhos. Sabia que podia dá-los. Quem lhes tinha dado aqueles não lhe faltaria com os outros. E aconteceu o milagre da multiplicação dos pães e peixe, da multidão saciada, do Cristo revelado! Na verdade, o rapaz não passou adiante comida apenas. Ele se confiou, se entregou. Ficou feliz e contente. Participou do milagre de Jesus. Tornou-se uma página viva do Evangelho, um sinal de Jesus para todos nós.
“Mas Jesus disse: “Vocês é que têm de lhe dar de comer.” Eles responderam: “Só temos cinco pães e dois peixes... A não ser que vamos comprar comida para toda essa gente!””
Será uma graça se, como testemunha da Cruz e da Ressurreição, testemunha da Esperança, eu puder, “com muita razão e justiça, oferecer e dar de minha parte” a meu Bom Jesus “todas as minhas coisas e, com elas, a mim mesmo”.
Meditação:
“Portanto, também nós, com tal nuvem de testemunhas em nosso redor, rejeitando todo peso do pecado que nos envolve, corramos com perseverança no certame que nos é proposto, com olhos fixos naquele que é o autor e realizador da fé, Jesus, que, em vez da alegria que lhe foi proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e se assentou à direita do trono de Deus. Considerai, pois, Aquele que suportou tamanha contradição por parte dos pecadores, para não vos deixardes vencer pelo desânimo. Vós ainda não resististes até o sangue em vosso combate contra o pecado!” (Hb 12,1-4).

12 de jul de 2012

TEMPO DE AMAR

“Sois o povo de Deus” (1Pd 2,5-10)
Chame seu corpo e espírito à oração! Use um modo de orar simples e profundo,  a oração no compasso da respiração. Acomode o corpo, tendo todo o cuidado de deixar a coluna reta, nada forçada. Não cruze as pernas, mas as deixe simplesmente apoiadas. Descanse, assim também, os braços. E a cabeça, sua coroa de honra? Acomode-a, mantendo o queixo normal, nem para cima, nem para baixo. Descanse os olhos numa imagem de que você goste (de preferência uma estampa que evoque Jesus ressuscitado). Ou, sem vagar com eles de uma lado para o outro, conserve-os fixos no horizonte. Ou ainda, se preferir, feche os olhos por um momento.
Preciso do Poder Divino para ser grato! Se estou doente e tenho que ir ao hospital, posso ir amaldiçoando a minha má sorte, reclamando de Deus ou do mundo. Nem percebo que estou sendo cuidado por gente que até então, eu desconhecia. Nunca lhes fiz nenhum favor, mas estas pessoas se movem com perícia e até carinho para me atender. Vou fazer compras. Sou bem atendido. Volto para casa e respondo a quem me pergunta: “ Então, como foi seu dia?”. Respondo com um “Tudo bem!” descuidado. De vez em quando lembro que não tenho pensado naquele parente ou amigo que, no entanto, têm sido tão amigos. Olho em volta do meu quarto ou da casa onde moro e fico pensando num apartamento espetacular, me sentindo um “azarado”! Não tenho nem um olhar de benção para as humildes coisas que me são tão úteis...
Isto é, não tenho a graça de ser grato pelos meus semelhantes nem pelas coisas que me cercam. Não sou grato e não sou feliz. Pareço aquele pobre de espírito que na hora do trabalho pensava no descanso e na hora do descanso pensava no trabalho, sempre inquieto e ansioso. Como eu, mergulhado(a) na ingratidão, tanta gente que para rir precisa pedir remédio ao médico, ou beber, ou se drogar... São sorrisos “químicos”: alegria falsa, única alternativa a um perpétuo descontentamento.
Por isso, faz bem pedir a Nosso Senhor um coração que capte a bondade e a beleza de tudo o que ele me tem dado: bens e belezas da sua criação, da sua obra de redenção, cura, libertação, dons particulares, até nas situações penosas e difíceis. Pedir olhos de ver, ouvidos de ouvir e coração de captar!
Meditação:
“Cristo é a imagem do Deus invisível, o Primogênito de toda a criatura, pois nele foram feitas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis: Tronos, Soberania, Principados, Autoridades, tudo foi criado por Ele e para Ele. Ele é antes de tudo, e tudo nele se sustenta”.

11 de jul de 2012

GRATO

“Por Ele renunciei a tudo, e passe a considerar tudo como imundície, para ganhar a Cristo!” (Fl3,8)
Procuro-me colocar diante da Majestade Divina, como que nas margens serenas deste Oceano de Bondade e Beleza que é a Santíssima Trindade .
Peço a graça de ser grato(a) pelos bens recebidos, para que este reconhecimento me leve a amar e servir em tudo o Pai nosso, distribuidor de todos os bens.
Acolho o apelo a colocar-me em profunda postura de fé, expressa no Credo: “Creio na comunhão dos Santos”.
Com a imaginação e a fé, coloco-me diante de Deus. Vejo as legiões dos anjos e as multidões dos santos e santas cuidando de mim, intercedendo por mim, “em Cristo, por Cristo, com Cristo”! Nesta presença tão amiga, renova a minha fé na intercessão dos santos.
A resposta não pode ser outra do que retribuir, pondo a serviço dos meus irmãos aquilo que ganhei com tanta gratuidade. Pois, “o amor se mostra mais em obras do que em palavras”.
Posso me ajudar agradecendo por pessoas, fatos, iluminações e inspirações pelos quais Deus Amor me conduz à comunhão com Ele, com os seus anjos e eleitos, com todas as pessoas do mundo, inclusive as “inimigas”.
Diante de cada lembrança, detenho-me um pouco. Então, louvo, ou peço, ou clamo, para que tudo respire comunhão e espalhe o odor de Cristo nos passos da minha vida de agora em diante.
Rezo: tomai, Senhor e recebei, toda a minha liberdade, minha memória e entendimento e toda a minha vontade. Tudo o que tenho ou possuo vós me destes. A vós, Senhor, restituo. Tudo é vosso. Disponha segundo a vossa vontade. Dai-me o vosso amor e a vossa graça, pois isso me basta.
Meditação:
O meu pai trabalha sempre!
Considere como Deus trabalha e age por sua causa em todas as criaturas dele nesta terra e no universo... Assim santa Teresinha descobriu um dia, no jardim do Carmelo, que a máquina dos mundos se move, as estações se sucedem tanto para que nasça a bela rosa bem cuidada, alegria da irmã jardineira, toda formosa no centro do canteiro, como para que nasça a florzinha, sem que quase ninguém saiba o seu nome, escondida na fresta do muro... Afinal. Como Jesus disse:
“Meu Pai trabalha até agora, e eu também trabalho” (Jo 5,17).
Reflita sobre você... Caia na conta do que lhe é dado perceber... veja o que lhe é sugerido, inspirado, “soprado”... Peça alegria e ânimo.

10 de jul de 2012

OCEANO DE BONDADE

“Os bens da fé, distribuídos em abundância, por Cristo, com Cristo e em Cristo, Cabeça do seu Corpo, a Igreja” (Cl 1,18)
Procuro-me colocar diante da Majestade Divina, como que nas margens serenas deste Oceano de Bondade e Beleza que é a Santíssima Trindade.
Peço a graça de ser grato(a) pelos bens recebidos, para que este reconhecimento me leve a amar e servir em tudo o Pai nosso, distribuidor de todos os bens.
Acolho o apelo ao me colocar em profunda postura de fé, expressa no Credo: “Creio na comunhão dos Santos”.
Com a imaginação e a fé, coloco-me diante de Deus. Vejo as legiões dos anjos e as multidões dos santos e santas cuidando de mim, intercedendo por mim, “em Cristo, por Cristo, com Cristo”! Nesta presença tão amiga, renova a minha fé na intercessão dos santos.
Pelo fato de os habitantes do céu estarem unidos mais intimamente com Cristo, consolidam com mais firmeza com os santos. Eles não deixam de interceder por nós junto ao Pai, apresentando os méritos que alcançaram na terra pelo único mediador de Deus e dos homens, Cristo Jesus. Por conseguinte, pela fraterna solicitude deles, a nossa fraqueza recebe o mais valioso auxílio.
Confiando, peço a graça de reconhecer que fui cumulado(a) de imensos benefícios na ordem natural  e sobrenatural: os bens do corpo, os bens da graça, “os bens da fé, distribuídos em abundância, por Cristo, com Cristo e em Cristo, Cabeça do seu Corpo, a Igreja” (Cl 1,18).
Nada nas coisas por si mesmas as fazem boas para mim. Nenhuma dessas alternativas pode garantir a felicidade para qualquer pessoa: fazer muito dinheiro, não ter dinheiro nenhum, ter poder e influência, viver como qualquer outro cidadão, casar-me, ser solteiro; ter saúde, estar enfermo; viver muitos anos. Morrer muito jovem.
Minha resposta aos benefícios recebidos? “Em tudo amar e servir a sua divina Majestade”.
Vou percorrendo as fases da minha vida, refletindo, com atenção ao que o Espírito me der a sentir “lá dentro”: o que tenho sem que tenha recebido?
Meditação:
Agora, olhos fixos em Jesus, Imagem perfeita do Pai, coração posto em Jesus que é a nossa paz, diga-lhe o que se passa em seu coração... Concluir, assim, com um colóquio... e, com todo carinho de que for capaz, reze, afinal, o Pai Nosso... Amém!  Tudo para a maior glória de Deus!

9 de jul de 2012

CONFIANÇA

“É preciso que se cumpra tudo o que foi escrito sobre mim na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos”. Então Ele lhes abriu as “Escrituras”, e lhes disse: É como foi escrito: O Cristo sofrerá e ressuscitará dos mortos no terceiro dia, e em seu nome se pregará a conversão e o perdão dos pecados a todas as nações, a começar por Jerusalém. E vós sois as testemunhas disso”. (Lc 24,44-48).
A Bíblia deve ser lida com confiança. Devemos aplicar nossas mentes para isso, e ler com sensibilidade e imaginação, mas precisamos de algo muito além do nosso intelecto mais aguçado, bom e primordial como é. As Escrituras são o presente de Deus para nós, e sua escrita inicial foi o trabalho único do Espírito Santo do Senhor. Um escritor nos diz que o trabalho desses diferentes autores não teve “a sua origem na vontade do homem”, mas cada um “falou a partir de Deus, enquanto eram inspirados pelo Espírito Santo” (2Pdr 1,21.). Devemos sempre lembrar que o mesmo Espírito Santo que inspirou os autores originais, está ansioso para inspirar-nos como seus leitores. O Espírito que deu o livro é seu melhor intérprete. A qualquer momento que se abra a Bíblia, nós devemos pedir pela prometida ajuda do Espírito para compreender e aplicar sua mensagem.
Nós devíamos ler as Escrituras com obediência. Precisamos de uma vontade responsável, assim como uma mente alerta. A mensagem da Palavra de Deus tem de ser trabalhada na vida cotidiana. Não somos nunca destinados a virar fanáticos pela Bíblia, com nossas mentes repletas de fatos bíblicos que são interessantes, mas não relacionados e aplicados na nossa conduta diária. Se há um mandamento de Deus no livro que estamos lendo, então devemos praticá-lo e não apenas deixá-lo simplesmente como verdade revelada nas páginas da nossa Bíblia. Se há uma promessa no capítulo à nossa frente, então somos destinados a aceitar e buscar aplicar seus benefícios em nossas vidas. Se Deus mostrou, através daquela passagem da Sagrada Escritura, algo que não O está agradando, então devemos abandonar essa prática.
Meditação:
“Foram necessários quarenta e seis anos para construir este templo e tu o reerguerias em três dias?”. Mas ele falava do templo do seu corpo. Por isso, depois que Jesus foi ressuscitado dentre os mortos, os seus discípulos lembraram-se do que Ele falara assim, e creram na “Escritura”, bem como na Palavra que ele havia dito” (Jo 2,20-22).

8 de jul de 2012

MARAVILHAS DO UNIVERSO

“Libertação de toda dívida que Jesus ganhou para nós na Santa Cruz” (Cl 2,14)
Peço a graça de Deus para me dar conta, de coração grato e contente, das maravilhas que são o universo, a vida, a história, numa palavra, a criação. Posso crescer no amor, pedindo e alcançando a graça de abençoar tudo o que existe, como o Criador, que tudo via que era bom, pois tudo via com bons olhos, no esplêndido amanhecer do mundo (Gn 1). A graça de abençoar até “fiapos de vida” e seres “sem valor”, como Edite Stein, que amou aquelas crianças arrancadas dos pais, indefesas, maltratadas no campo de morte nazista, e aproveitou molambos para brincar de boneca com elas!
Minha vida é feita de um conjunto de coisas – coisas que me atraem e coisas que rejeito e que me enchem de abominação.
De alguma maneira conheço as coisas que ao meu redor são valiosas para mim. Por exemplo, meus pulmões absorvem o oxigênio e meu sistema digestivo absorve tudo o que meu corpo necessita para continuar vivendo e trabalhando.
Sou uma pessoa livre. Como posso saber que escolhas são valiosas para mim? Quais, de todas as coisas que posso ter ou não ter, me levarão a Deus e me farão feliz e útil?
Peço para obter a graça de ficar profundamente alegre e agradecido com o dom do Batismo, a pregação da Palavra, a leitura da Bíblia... Assim ficar mais achegado de coração ao dom da Redenção, esta “libertação de toda dívida que Jesus ganhou para nós na Santa Cruz” (Cl 2,14).
Esta graça a ser pedida e alcançada, abre as portas para uma imensa cura interior: ressentimentos, queixas (razoáveis ou não), moléstias, tudo parece, com este dom de amor sem fim, coisa de nada. Então, só então, posso chegar a compreender e simpatizar com o que testemunhou São Paulo.
“Sim, considero tudo uma perda em comparação com a sublime vantagem de conhecer a Cristo Jesus, meu Senhor! Por Ele renunciei a tudo, e passei a considerar tudo como imundície para ganhar a Cristo!” (Fl 3,8)
Meditação:
Faz bem recordar e reviver os momentos em que gozamos os efeitos da presença do Cristo, ressuscitado atuando na multidão dos irmãos. Ela revigora, cura, restaura. Quem sabe a gozamos num santuário? Ou numa comunidade? Ou a vivenciamos em família? Ou a experimentamos junto a amigos de fé, irmãos, camaradas? Lembremos como a consolação vinda do Alto inspirou-nos a todos e deixou-nos todos com um só ânimo...

SILÊNCIO É A GRANDE REVELAÇÃO

          O anjo Gabriel apareceu ao Mestre dando-lhe vários dons do Santo Espírito. Primeiramente deu-lhe o dom de curar. Depois o anjo Gabriel lhe presenteou com o dom da sabedoria. Alguns anos depois o Mestre foi agraciado com o dom de pregar. O penúltimo que o Mestre recebeu foi o dom da alegria. Ao final, o anjo falou: “Agora estou dando o mais precioso: o dom do Silêncio.”.
Para continuar a ler clique abaixo.

7 de jul de 2012

GARIMPEIRO

 “Era mais excitante conviver com os amigos e amigas na farra” (Lc 15,11-32)
Tempo de amar: garimpando o bem na rua da minha vida, vou “recordar os benefícios recebidos pela criação, redenção e dons particulares”
Refletir: “A atmosfera é carregada da Presença de Deus”. Respirar a Deus como se respira o ar. (Aspirar: introduzir o ar nos pulmões). Perceber esta sensação à medida que se respira a Deus para dentro e para fora: paz, alegria, louvor, adoração...
Disponha-se como de costume. Dê tempo e espaço. Doe, portanto, de si, pois você é constituído de tempo e espaço. Acomode o seu corpo, mas não para “um relaxamento”. Você não vai em busca de um sono reparador, mas de alguma distensão para ficar à vontade e aproveitar seu tempo de encontro com o Amigo sincero e verdadeiro.
A prece sempre será uma questão de amizade, gratuidade, de graça. Prepare-se para rezar, rezando! Peça, de coração, poder orar bem nessa hora ou nesses minutos.
O garimpeiro é um otimista. Imaginemos  um homem com água fria até as canelas, sol quente nas costas, uma peneira (bateia) nas mãos, “catando” pedrinhas ou pó de ouro na areia ou na lama do fundo de um rio. Sua esperança é achar! E acaba encontrando mesmo!
Alguns de nós não nos damos conta de tanto bem que há em nossas vidas. Porque “viver bem” é o “normal”! Como temos tido boa família, morado em lugares tranqüilos, gozado de saúde firme e “conseguido um lugar ao sol”, não nos damos conta de como tudo é dom e graça. O filho mais jovem também achava tudo na casa do pai muito normal. Era mais excitante conviver com os amigos e amigas na farra (Lc 15,11-32). Relembrar com fé, os lugares onde moramos na rua de nossa vida pode, com a graça de Deus, ensinar nosso coração a ser grato, a viver maravilhado como o de Nossa Senhora: “O Senhor fez em mim maravilhas! Santo é o seu Nome!”.
Meditação:
Encontramos e contemplamos Jesus, de coração livre e sincero, sua Vida, sua Paixão, sua Morte de Cruz, e o descobrindo o Ressuscitado pode, agora, ir além do que catar os benefícios particulares, por exemplo, aqueles pais tão empenhados, amigos, aquela tia fantástica, aqueles professores de valor, aquelas oportunidades “de ouro”, minha fé e assim por diante.

6 de jul de 2012

ATITUDE DE AMOR

“A visão das núpcias (bodas, matrimônio, casamento) de Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus” (Ap 19, 7-9))
O matrimônio é querido por Deus?
Sim. As próprias Sagradas Escrituras se abrem, no Livro do Gênesis (Gn 1,27-28), com a instituição do matrimônio, e se encerram, no Livro do Apocalipse, com a visão das núpcias (bodas, matrimônio, casamento) de Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus (Ap 22,17).
- No princípio da história humana, Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus Ele o criou, homem e mulher, Ele os criou. Deus os abençoou e lhes disse: “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e a submetei” (Gn 1,27-28).
Preparação: escolho o bom lugar para o meu recolhimento mais profundo e acolho a presença de Deus. Rezo a costumeira oração preparatória.
Pedido de graça: peço compreender o significado do amor verdadeiro, doar a vida em favor dos demais!
O amor em gestos dos verdadeiros seguidores de Cristo.
Entro em oração, usando a minha imaginação. Imagino e observo tantas imagens que povoam minha mente:
“Vim para que todos tenham vida.”
- Percorro, agora, a vida de Jesus: gestos e atitudes de total amor nas caminhadas pela Palestina; sinais e mais sinais repletos de um dinamismo interior que o impulsionava ao outro: curas, olhares, gestos.
- Olho as crianças, mulheres e homens, pecadores e doentes que o encontram pelos caminhos.
- Observo as suas mãos, os seus pés, os seus ouvidos e os seus olhos em total atenção às necessidades dos outros. Seu Coração o impelia: “Que todos tenham vida!” (Jo 10,10).
Meditação:
Permaneço, empenhando-me em maior intimidade, na presença do Senhor Jesus, com os olhos fitos nos seus gestos, sua entrega, sua doação, suplicando a conversão profunda e a cura do meu coração. Finalizo com o Pai Nosso.

5 de jul de 2012

AMOR DOAÇÃO

“Eis como reconhecemos o amor: Ele entregou sua vida por nós. Assim, também, devemos dar a vida por nossos irmãos” (1Jo 3,16)
Preparação: escolho um bom lugar para o meu recolhimento mais profundo e acolho a presença de Deus. Rezo a costumeira oração preparatória.
Pedido de graça: peço compreender o significado do amor verdadeiro, doar a vida em favor dos demais!
O amor em gestos dos verdadeiros seguidores de Cristo.
Entro em oração usando a minha imaginação. Imagino e observo tantas imagens que povoam minha mente:
- Observo o amor da mãe pelo filho gerado, nascido, educado, ora sadio, ora doente, ora feliz, ora sofrido. Quantas palavras proferidas, ensinando, educando, velando, acompanhando o filho! Vejo a alegria da mãe na alegria do filho; a dor da mãe na dor do filho; sucesso do filho, conquista da mãe! Quantos gestos, quantas renúncias, quantos passos! Comparo: como são meus passos de amor? Considero e rezo!
- O amor-doação. Vou recordando pessoas que amaram. Por exemplo, Maximiliano Kolbe, na entrega da sua vida, em favor de um pai de família, e posto para morrer de fome e sede pelos nazistas. O preço do gesto de amor, nesta terra, foram dez dias de fome e sede, totalmente despido na cela da morte, e, no fim, uma injeção de formol na veia. Valeu a pena? Reflito e rezo.
- Percorro ainda as inumeráveis obras sociais que a quase totalidade das igrejas, obras sociais e no país inteiro, realiza em favor dos seus necessitados.
- Repasso tudo do ponto de vista de que o amor verdadeiro é serviçal, é doação total, segundo o ensinamento do divino Mestre. Rezo pedindo graça, pedindo perdão, examinando-me e querendo viver como cristão(ã).
Meditação:
“Fostes sepultados com Ele no Batismo. Também com Ele ressuscitastes pela Fé no poder de Deus, que o ressuscitou dos mortos. Vós, que estáveis mortos pelas vossas faltas. Deus vos vivificou juntamente com Cristo....” (Cl 2,12-13).

4 de jul de 2012

RAÇA ELEITA

“Filhinhos, não amemos só de palavra, nem só de língua, mas com atos e de verdade” (1Jo 3,18)
Está escrito: dedicai-vos a um sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus por Jesus Cristo (...) Vós sois uma raça eleita, um sacerdócio real, uma nação santa, um povo de sua particular propriedade, a fim de proclamardes as primícias daquele (Cristo) que vos chamou das trevas à sua luz admirável, vós que, antes, não éreis um povo, mas agora sois o Povo de Deus (ver 1Pd 2,5-10).
Alcançar o Amor para permanecer no Amor! Alcançar Deus para permanecer em Deus! Já não estamos diante de um outro exercício, mas de um patamar e de um modo de vida onde só o Espírito pode nos colocar: “Quem confessa que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele e ele em Deus” (1Jo 4,15). Jesus é “o Verbo de Deus que se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1,14). Aquele mesmo que no “amou até o fim” (Jo 13,1).
Por isso “o amor consiste mais em obras do que em palavras”. Se os pais amam seus filhos pequenos, não os deixam sozinhos para ir jantar fora ou para a roda de samba ou o baile funk. Escreve-nos São João: “filhinhos, não amemos só de palavra, nem só de língua, mas com atos e de verdade” (1Jo 3,18). “Pois se alguém tiver bens nesse mundo e vir seu irmão em necessidade e lhe fechar o coração, como o amor de Deus permanecerá nele? (1Jo 3,17). Afinal, “eis como reconhecemos o amor: Ele entregou sua vida por nós. Assim, também, devemos dar a vida por nossos irmãos” (1Jo 3,16).
Aqueles que levam vidas atarefadas no mercado de trabalho – com uma vida cotidiana que passa de apenas muito cheia para quase frenética – conhecem o valor desta oração. Sabem que precisam de tempo para considerar sob o olhar de Deus, para meditar e exultar, para se preocupar com Ele e caminhar com Ele.
Para o que trazem ao mundo fé, esperança e o amor de Deus, a consideração forma a oração mais apropriada e necessária.
Meditação:
“Depois um dos anjos... disse-me: ‘Vem! Vou mostrar-te a Esposa, a mulher do Cordeiro!’ Ele me arrebatou sobre um grande e alto monte e mostrou-me a Cidade Santa, a Jerusalém que descia do céu, de junto de Deus, com a glória de Deus... a muralha da cidade tem doze alicerces, sobre os quais estão os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro...” (Ap 21,9-14).

3 de jul de 2012

GRATIDÃO

“Nunca lestes nas Escrituras: A pedra que os construtores rejeitaram foi a que tornou pedra angular; isto é obra do Senhor, coisa admirável para nossos olhos?” (Mt 21,42).
Devemos ler a bíblia com gratidão. Deus nos deu a Bíblia e desceu até nós durante os séculos a custa de um trabalho imenso. Nós já vimos que Ele usou uma variedade de diferentes escritores e este livro único demorou muito tempo para ser agrupado. Os escritores do Velho Testamento demoraram um período de mais de 2000 anos, enquanto os acontecimentos do Novo Testamento (e a tarefa de registrar esses acontecimentos) cobrem a maior parte de um só século.
Além do mais, com o passar dos séculos, muitas centenas de lingüistas prendados traduziram a Bíblia da sua versão original em Hebreu (Velho Testamento) e Grego (Novo Testamento) na linguagem de outros povos espalhados pelo mundo. Aquele trabalho diligente,  cansativo, e ainda excitante de tradução, a cuidadosa busca pela palavra correta, pelos métodos mais eficazes de transmitir numa língua diferente alguma idéia ou palavra figurada, é uma responsabilidade severa. Centenas de pessoas dedicadas doaram seus melhores anos de vida para isto.
Os autores da Bíblia são pessoas que nunca iremos conhecer nessa Terra, mas têm escritos para transformar nossas vidas. Além do que, temos visto que algumas pessoas heróicas arriscam tudo e, muitas vezes, dão suas vidas para que nós possamos ler a Bíblia. Em alguns períodos da história, a Bíblia era um livro proibido, mas o trabalho de distribuição foi satisfatoriamente tomado por pessoas dispostas a derramarem seu sangue para que sua mensagem seja lida e compreendida. Eles acreditavam que não era uma mensagem apenas para padres e pastores esclarecidos, mas também para o homem e mulher comuns em cada cidade e vilarejo.  Todas as vezes que virarmos suas páginas, devemos pensar com gratidão no preço que, com boa vontade, foi pago para que a Bíblia fosse nossa.
Meditação:
Jesus falou aos discípulos no caminho e lhes disse: “Espíritos em inteligência, corações para crer em tudo o que os profetas declararam! Não era preciso que o Cristo sofresse isso para entrar na sua glória? E começando por Moisés e todos os profetas, ele lhes explicou em todas as “Escrituras” o que lhe concernia” (Lc 24,25-27).
Jesus entrou para ficar com os apóstolos. Ora quando se pôs à mesa com eles, tomou o pão, pronunciou a bênção, partiu-o e lhes deu. Então, os olhos dos discípulos se abriram e o reconheceram. Depois, Jesus se tornou invisível. E disseram uma ao outro: “Não ardia em nós o nosso coração quando ele nos falava no caminho e nos explicava as “Escrituras” (Lc 24,30-32).

2 de jul de 2012

TEMPO DE AMAR

“Caríssimos, se a este ponto Deus nos amou, também nós devemos nos amar uns aos outros” (1Jo 4,10-11)
Amor, que amor? O amor da velha canção: “O amor que tu me tinhas era pouco e se acabou”? Depois de sua conversão, Santo Agostinho passou um período sem gostar desta palavra, por causa da poluição que a envolvia e na qual se envolvera por tantos anos. Passou a usá-la com afeto renovado com a leitura e comentário da primeira carta de São João: “Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo – desejo incontrolado da carne, desejo incontrolado dos olhos e orgulho dos bens da vida – não vem do Pai, mas do mundo. Mas o mundo passa e seus desejos imoderados também, mas aquele que cumpre a vontade de Deus permanece para sempre” (1Jo 2,15-17).
E o que o Senhor mais deseja (sua justiça) é que o filho perdido volte para casa! Volte para o abraço e para a festa! Que o filho mais velho não fique fora, preso ao despeito e ao rancor, mas que entre e acolha o irmão (Lc 15,31-32)! O Pai quer que alcancemos, no Espírito do Amor do Pai e do Filho, o Amor de Cristo: “Nisto consiste o seu amor: não fomos nós que amamos Deus, mas foi Ele quem nos amou e mandou seu Filho como expiação pelos nossos pecados. Caríssimos, se a este ponto Deus nos amou, também nós devemos nos amar uns aos outros” (1Jo 4,10-11).
Por quê? Porque “o amor vem de Deus e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece a Deus. Quem não ama não conheceu a Deus, pois Deus é Amor” (1Jo 4,7-8). Assim , “reconhecemos o amor que Deus nos tem e acreditamos nele. Deus é Amor! Quem permanece no amor permanece em Deus e Deus nele!” (1Jo 4,16). Também ficamos sob o olhar de Deus com passagens bíblicas ou com palavras de nossas orações vocais e nossos credos. Às vezes, antes de ter sentimentos quanto a elas, nós as dissecamos com a razão e o entendimento. Talvez pensemos: por que Jesus perguntou três vezes se Pedro O amava? Por que não duas ou cinco vezes?
Meditação:
“Oito dias depois, achavam-se os discípulos, de novo, dentro da casa. Jesus veio, estando as portas fechadas, pôs-se no meio deles, dizendo: ‘A paz esteja convosco!’
Disse, em seguida, a Tomé: ‘Põe teu dedo aqui e verifica as minhas mãos! Estende a tua mão e a enfia no meu lado. Não sejas incrédulo, mas fiel!’” (Jo 20,26-27).
“Respondeu-lhe Tomé: ‘Meu Senhor e meu Deus!’
“Felizes os que não viram e creram”. Mas não será tudo isso jogo de palavras? Será possível crer como Tomé?
E também com Amor!

1 de jul de 2012

“Se confessarmos nossos pecados. Fiel e justo como é, Ele nos perdoará de nossos pecados e nos purificará de toda iniqüidade.”  (Jo 1,9)
O 7º Princípio Básico do  Amor- Exigente é: Preparador
Tomar atitude precipita crise.
Vamos nos preparar, não permitir abusos e desrespeitos e cuidar para que nossas atitudes sejam corretas e corajosas. Devemos assumir posições claras e bem definidas e ser firmes e perseverantes, sem nos omitir, nem delegar responsabilidades para terceiros.
Princípios Éticos Institucionais de Amor-Exigente
Agir com respeito e fraternidade no relacionamento com entidades afins.
7º Passo de Alcoólicos Anônimos (Narcóticos Anônimos)
Humildemente rogamos a Ele que nos livrasse de nossas imperfeições.
7ª Tradição de Alcoólicos Anônimos
Todos os grupos de A.A. deverão se absolutamente auto-suficientes, rejeitando quaisquer doações de fora.

SILÊNCIO

O Príncipe queria falar com o seu pai. O Rei estava com a porta fechada. O filho esperou duas horas. Enfim o Rei o recebeu e perguntou: “Meu filho, o que você deseja?”.
Ele respondeu: “Queria falar contigo, mas antes quero falar com quem o senhor estava falando.”. O Rei estava fazendo as suas orações. O discípulo perguntou ao Mestre: “Qual é o melhor caminho para se chegar a Deus?”. O Mestre replicou: “Meditação.”. “O que é Meditação?”, perguntou o discípulo. Meditação é Silêncio; Silêncio é Meditação.
Para continuar a ler clique abaixo.

ASCENSÃO

“Enquanto os abençoava, distanciou-se deles e era elevado aos céus” (Lc 24,51)
Recordando as proclamações apostólicas da exaltação de Jesus ressuscitado, tomamos a consciência de que nosso papel é elevar a humanidade, é ajudar a todos a se sentir e portar como filhos no Filho, é libertar e redimir os cativos, quanto possamos, deixando que o Espírito na Igreja nos impulsione na tarefa... Essa é uma graça própria da Mistério da Ascensão (At 1,6-11):
“Estando, pois reunidos, o interrogaram,
‘Senhor, é agora o tempo em que irás restaurar a realeza em Israel?’”
Não vos compete conhecer os tempos e os momentos que o Pai fixou em sua própria autoridade. Mas recebereis uma força, a força do Espírito Santo, que descerá sobre vós. E sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e a Samaria, e até os confins da terra...”
O último recado do Senhor Jesus: “Vão à Jerusalém e esperem pelo Espírito Santo”.
Ouço o recado dos anjos: gente da Galiléia, que fazeis aí, olhando para o céu? Provas e sinais da pessoa de Jesus já foram contemplados longamente. Agora é hora de ir, de anunciar, de servir, de testemunhar e de fazer discípulos. Examino-me, diante de Jesus, a respeito da sinceridade e da generosidade do meu discipulado. Rezo e peço a graça do ardor missionário, a exemplo de tantos irmãos e irmãs que me precederam.
Os anjos me dão ainda um recado consolador: “Este Jesus que vos foi arrebatado para o céu virá como O vistes partir para o céu”.
Acompanhá-los até o Monte das Oliveiras... Não param no Horto... só passam por aquele lugar tão cheio de recordações, onde O viram abatido e não foram capazes de ficar com Ele em sua agonia... Sobem a encosta... Vão sempre mais alto, até o cume... Lá, na presença de todos, Ele foi elevado, e uma nuvem fê-lo desaparecer a nossos olhos...
Renovo a minha fé na palavra de Jesus: “Eis que estou convosco!”. A minha fé volta gloriosa do Senhor, a fim de nos levar, a todos que lhe formos fiéis, para os lugares que Ele mesmo nos preparou na Casa do Pai!
Meditação:
“Há Nele um Espírito inteligente, santo, único, múltiplo, sutil, móvel, penetrante, imaculado, lúcido, invulnerável, amigo do bem, agudo, impossível de ser detido, benfazejo, amigo dos seres humanos, firme, seguro, sereno, que tudo pode, abrange, embebendo todos os espíritos, os inteligentes, os puros, os mais sutis...” (Sb 7,22-23). E também com amor!