6 de nov de 2012

SALVO POR UMA PRINCESA (Êxodo 2,5-9)

 “Será que não tem alguma coisa naquela cesta? Vá lá e pegue-a.” A serva trouxe a cesta para a princesa, que a abriu”. (Exodo2,5)
Meu filho – fala Cristo – fica bem atento à ação de graça da natureza e da graça: sua influência é muito sutilmente oposta. O discernimento é difícil, a não ser para o homem espiritual esclarecido pela luz interior. Certamente, todo mundo experimenta atração pelo bem e visa algum bem em suas palavras ou em seus atos.É por isso que, sob a aparência de bem, muitos se enganam.
Deus havia ouvido as preces dos pais e da irmã do menino Moisés. O Senhor tinha planos especiais para ele. Justamente quando a cesta flutuou no rio, uma das filhas do faraó, uma princesa, decidiu que era hora de tomar um banho.
De repente, a princesa viu a cesta. “Olhe lá”, disse ela a uma de suas servas. “Será que não tem alguma coisa naquela cesta? Vá lá e pegue-a.” A serva trouxe a cesta para a princesa, que a abriu.
Ali, no cesto, havia um belo menino, que chorava. Ela o levantou e o abraçou.
“Quem iria querer perder um bebê bonito como este?”, comentaram as servas.
“Ele deve ser um bebê hebreu”, ponderou a princesa, pois sabia da ordem que seu pai havia dado. E sentiu pena. “Ele está tão faminto, como podemos alimentá-lo?”, perguntou.
Miriam, correu até a princesa, e quase sem fôlego, disse: “Conheço uma mulher hebréia que pode amamentá-lo. Posso chamá-la?”
“Por favor”, disse a princesa. E Miriam foi e trouxe a própria mãe.
A princesa pediu que a mulher amamentasse o bebê e até pagou por isso. Ela entregou o bebê de volta à mãe. “Se os soldados incomodarem você, diga que o bebê está sob meus cuidados”, disse a princesa. A família ficou radiante pelo que aconteceu e agradeceu a Deus por cuidar tão bem deles.
Lembrete:
Vejo o mundo como é. E a mim mesmo, desejando certas coisas. Posso querer, por exemplo, certo emprego ou morar em certa cidade. Compreendendo, porém, que não sou eu quem determina quais desejos me conduzem a uma vida autêntica e a uma completa felicidade; dependo de Deus para isso. Deus, o Senhor e Criador, colocou em mim e para mim certos valores, de forma que, quando avalio qualquer coisa ou opto, não posso fazê-lo levando em conta apenas minhas próprias normas.
Peço força divina de seguir a Sua vontade.

5 de nov de 2012

UM BEBÊ NO CESTO (Êxodo 2-4)

Muitas e muitas vezes, por causa de edital do faraó para matar os bebês de sexo masculino, logo que uma mulher hebréia dava à luz um menino, os soldados descobriam e iam até a sua casa. Apesar dos gritos da mãe, tomavam-lhe o bebê, e ela sabia que nunca mais veria seu filho.
Uma mãe, que havia tido um menino, tentou tudo o que pôde para mantê-lo vivo. Estava desesperada para salvá-lo.
Por três meses conseguiu escondê-lo. Ele chorava pouco, e os soldados que passavam por sua casa não o ouviam. Mas, quando completou três meses, não conseguiu mais escondê-lo.
“Tem de haver algo que possamos fazer”, dizia a seu marido. Noite após noite, oravam. Sua filhinha, Miriam, a irmã mais velha do menino, orava com eles. Então, a família teve uma idéia. A mãe teceu uma cesta de junco e a cobriu de betume e piche. A cesta tornou-se um barquinho. Pegou o bebê, o envolveu em cobertores e o deitou no cesto.
Miriam e a mãe levaram a cesta até o rio e a colocaram com cuidado no meio do capim, na beira d’água.
“Cuide dele, Miriam”, disse a mãe. “Preciso ir para casa, ou os soldados vão querer saber o que estou fazendo. Eles nunca pararam de vigiar desde que eu disse que o bebê que estava esperando havia morrido. Vou para casa orar. Mas cuide da cesta e me conte imediatamente se alguma coisa acontecer.”
Na cesta, o pequenino dormia. As ondas o embalavam suavemente, como sua mãe fazia sempre para que dormisse. E Miriam vigiava.
Deus estabelece meus valores. Dito em poucas palavras: quero certas coisas, mas de maneira alguma, colocaria meus desejos e valores acima daqueles que Deus imprimiu em minha consciência – esta consciência concreta, com seus próprios ditames. Aceito-a, e me alegra o fato de depender de Deus.
Lembrete:
Resumindo: vivo para obedecer a Deus, que se manifesta ao meu espírito. Deus colocou no mais profundo do meu ser o anseio de chegar até Ele, e decidi realizar o desejo de me entregar a Ele, acima de qualquer outro desejo, e nada fazer que me afaste Dele. Este é o primeiro modo da humanidade.
Aceito com alegria e sabedoria dos profetas e dos sábios de outrora: o mundo, e tudo que contem, é do Senhor. É um fato que me seria impossível seguir, tão cuidadosamente, minha consciência, não fosse pelo grande amor que está crescendo em minha vida.

4 de nov de 2012

A PRINCESA E O CHORO DE UM BEBÊ

“Joguem os filhos deles no rio Nilo!”, disse. “Mas as filhas podem viver”. (Êxodo 1,1-22)
Quase 400 anos depois da vinda de José e Jacó, seu pai, houve um faraó muito cruel no Egito que obrigou os hebreus trabalharem como escravos. Os hebreus clamavam a Deus: “Salve-nos, Senhor! Vivemos aqui há tempo demais. Por favor, tire nos logo daqui”. Eles oravam e oravam, mas havia homens cruéis que os chicoteavam e os faziam trabalhar tanto que os mais fracos e velhos morriam. Foi uma época triste para o povo de Israel.
Apesar de todo o trabalho que o faraó mandava os hebreus fazerem, suas famílias continuavam a crescer. O faraó tinha medo de tantos hebreus, não queria que os seus meninos se tornassem homens e que o povo se fortalecesse. Então, chamou duas parteiras que ajudavam as mulheres hebréias a ter seus filhos.
“Quando vocês forem ajudar as mulheres hebréias”, ordenou, “vejam se o bebê é um menino. Se for, matem-no, mas deixem as meninas viverem”. Então, as parteiras oraram para que o Senhor lhes desse forças para fazer o que era certo, não importando o que o faraó quisesse.
As parteiras decidiram não matar os meninos hebreus. Quando o faraó soube, mandou chamá-las. “Por que não fizeram como mandei?”, rugiu.
As mulheres estavam com medo, mas queriam proteger os bebês. Deus as abençoou por protegerem os recém nascidos de seu povo. Ele não deixou que o faraó as punisse e deu lhes maridos carinhosos e muitos filhos. O faraó, porém, continuava insatisfeito. Ordenou a todos os egípcios que matassem qualquer bebê hebreu do sexo masculino que encontrassem.
“Joguem os filhos deles no rio Nilo!”, disse. “Mas as filhas podem viver”.
Lembrete:
Jamais será um órfão carente de afeto, rejeitado e abandonado. Tu não estás  sem pai. Eu, o Deus do universo, sou teu Pai eterno. Eu vi tudo o que te aconteceu, e eu te conduzirei até a vitória. Sê apenas humilde e deixa-me agir segundo meus desígnios. Ao tentar superar a prova por ti mesmo, tu arriscas estragar tudo. Sê paciente, meu filho, e espera. Tudo concorrerá para teu bem e minha glória, e por fim te alegrarás.
Maus pensamentos enfraquecem, ou inquietam, ou perturbam a pessoa, tirando-lhe a paz, tranquilidade e quietude que antes possuía. Sem distrações procuramos com a força divina, bons e divinos pensamentos no Espírito de Deus.

3 de nov de 2012

AMOR EXIGENTE

“Uma vez vencido e extirpado este mal, surge logo uma grande paz e a tranqüilidade”. (Mt 8,26)
Se tens grande desejo de chegar a este ponto, é preciso que comeces com coragem e coloques o machado à raiz (Mt3,10) para arrancar e destruir a propensão oculta e desordenada que te arrasta para ti mesmo e para todo bem material que açambarcas. Desta falta, que leva a amar a si mesmo de maneira desordenada, depende quase tudo o que é preciso atacar pela raiz e vencer: uma vez vencido e extirpado este mal, surge logo uma grande paz e a tranqüilidade (Mt 8,26). Há poucos que trabalham para morrer perfeitamente a si mesmos e sair totalmente de si. Permanecem presos a si mesmos e incapazes de se elevar espiritualmente acima de si. Quem deseja caminhar comigo na liberdade deve, necessariamente, fazer morrer todas as afeições más e desordenadas, e não se apegar ciosamente, com amor interessado, a nenhuma criatura.
Renascer na herança das raízes culturais é dar sentido à dignidade de ser gente assumindo, em cada etapa, o papel de pais e com os desafios dos limites à frente.
Assim como os pais e filhos não são iguais, enfrentamos conflitos sem culpa premente, e cada um seja responsável, sempre mais, sem ferir o comportamento consciente.
É na posição da tomada de atitude que vem surgir a crise para a real mudança e onde a força do grupo de apoio não ilude.
Nada se faz sozinho e sem cooperação, pois, a disciplina é a maior esperança para semear o amor que exige o coração.
A pessoa humilde aceita positivamente, com gosto e criatividade, o fato de ser uma criatura. Ela reconhece suas limitações em fatos concretos. Abraça a idéia de sua absoluta dependência de Deus e até nela se regozija. Não pretende controlar tudo na vida, mas considera a vida como uma série de presentes inesperados. A pessoa humilde aceita ser criatura como ela é. Se inclui na condição pecaminosa da humanidade. Esta aceitação de sua realidade pecadora – nem cumplicidade nem passividade – surge da decisão de ver as coisas como elas são, pois o contrário significaria uma sutil rejeição da criação e da providência de Deus.
Lembrete:
O primeiro sinal da humildade aparece quando a pessoa conhece a si mesma e ao seu mundo com clareza e objetividade. É o que expressa o ditado “a humildade é a verdade”. Portanto, como diz a Escritura, devemos viver amorosamente. Isto significa que a humildade deve ser posta em prática. Não é apenas uma atitude, muito menos um sentimento.

2 de nov de 2012

UM MUNDO BONITO

“Confio no Senhor! Como podeis dizer-me: ‘Voa para um monte como um pássaro” (Sl 11,1-7).
Deus viu toda a água que cobria o mundo e resolveu criar animais para viver no mar. Ele fez os peixes grandes e os pequenos e muitas plantas subaquáticas. Algumas eram pequenas demais para se ver, outras iam do fundo do mar até a superfície.
Quando Deus terminou de criar os animais, as árvores, os pássaros e os peixes, olhou para tudo o que havia feito. E Deus viu que era bom. Mesmo assim, ainda havia mais o que fazer.
Sentados na cadeira (sala de aula). Deitados no chão (jardim). Pés apoiados no chão. Mãos sobre as coxas. Coluna reta. Inspire e expire, colocando toda a atenção na temperatura do ar. Sinta o seu toque, quando inspira e o seu toque, quando expira. Qual a temperatura do ar ao entrar pelas narinas, e qual a temperatura do ar ao sair das narinas? Torne-se consciente do calor ou frio do ar: frio quando entra, calor quando sai (o educando é que deve notar isso).
Levar o educando a respirar calmamente, sem forçar e em silêncio, chamando sempre a sua atenção para a temperatura do ar.
O tempo indicado é o mínimo necessário para que tenham uma noção do valor do exercício. Ir aumentado gradativamente, uma vez atingindo o progresso e a prática nesse exercício.
Que confiança terá no momento da morte aquele que não conserva afeição alguma neste mundo! Guardar, assim, o próprio coração livre de tudo, é algo que um espírito doente ainda não pode compreender, como também o homem reduzido à natureza não conhece a liberdade do homem interior (Rm 7,22).
Lembrete:
Se quiser ser verdadeiramente espiritual, é necessário que renuncie a tudo, próximo ou distante, e desconfie mais de si mesmo do que de qualquer outra pessoa. Se venceres perfeitamente a ti mesmo, terás menos dificuldade para dominar o resto. Não há vitória mais perfeita do que triunfar sobre si mesmo. Quem possui o domínio de si, a ponto de sua sensibilidade obedecer à razão e de sua razão me obedecer em tudo, esse conhece a verdadeira vitória sobre si e é senhor do mundo. 
Finalmente, é bom não esquecer que: “É necessário que todas as coisas sobre as quais podemos tomar decisão [“fazer eleição espiritual”], sejam em si mesmas indiferentes ou boas, e que não sejam más e opostas ao desapego correto e honesto.

1 de nov de 2012

RESPIRAÇÃO QUE DEUS NOS DEU

“O ímpio no seu luxo soberbo diz: ‘Deus não existe’, eis o que pensa”. (Sl 10,1-11)
Quem fez o mundo?
Deus criou tudo. Gênesis 1,1-19
Há muito tempo não havia nada, exceto a escuridão. É difícil entender o nada, mas era tudo o que havia, exceto Deus.
Então Deus fez a luz, e assim pôde haver dia e noite, em vez de apenas escuridão.
Depois, Deus fez o céu e a Terra e, nela, dividia algumas partes em oceanos e mares e distribuiu outras em grandes áreas de terra firme. Criou todas as árvores e plantas e fez com que elas crescessem na terra. E Deus vir que isso era bom.
Deus subiu ao céu e criou as estrelas e os planetas. E fez o Sol e a Lua para que sempre houvesse dia após a noite e a primavera viesse após o inverno. E Ele, numa explosão de alegria, disse: “Isso ficou fenomenal!”.
Deus fez todas essas coisas do mesmo jeito que você pode traçar o contorno de sua mão na terra.
Quando Ele viu todas as cascatas e as montanhas, as ondas do mar e o azul brilhante do céu, sentiu que deveria fazer ainda mais.
Exercício para tomar a respiração consciente.
Relaxe todo o corpo. Torne-se consciente do ar que entra e sai pelas narinas. Limite sua consciência apenas no ar que passa pelas narinas. Não controle a respiração, nem a aprofunde. Vá apenas observando-a. Sinta o ar entrando e saindo. Comece com poucos minutos e vá aumentando o tempo, gradativamente, até ter a consciência de todo o ato respiratório.
Lembrete:
Minha graça é preciosa. Ela não tolera ser misturada ao que lhe é estranho nem às consolações terrestres. Por isso, deves rejeitar o que constitui obstáculo para a graça, se deseja receber sua efusão. Busca um lugar secreto, procure permanecer só contigo mesmo, evita o trato com pessoas. Dirige a Deus uma oração ardente, a fim de guardar teu espírito na humilde contrição e na tua consciência pura. Tem na conta de nada o mundo inteiro: ocupa-te de Deus antes de toda ocupação exterior. Não podes, ao mesmo tempo, ocupar-te de Mim e deleitar-te no que passa. É preciso que te afastes dos amigos e conhecidos e que prives teu espírito de toda consolação presente. O bem-aventurado apóstolo Pedro a isto nos exorta: como estrangeiros e peregrinos, que fiéis em Cristo, se conservem afastados deste mundo.
“Que a Palavra de Cristo habite entre vós em toda a sua riqueza”  (Cl 3,16)
O 11º Princípio Básico do  Amor- Exigente é:  Organizador
A exigência na disciplina tem o objetivo de ordenar e organizar a vida dos pais, dos filhos e de toda a família. A exigência na disciplina tem o objetivo de ordenar e organizar a minha vida.
Sem organização e disciplina, nos sentimos infantis e inseguros. É preciso estabelecer limites e criar condições para desabrochar o que temos de bom para sermos cada vez melhores.
Princípios Éticos Institucionais de Amor-Exigente
11º - Não utilizar grupos de Amor-Exigente para obter vantagens pessoais de qualquer natureza
11º Passo de Alcoólicos Anônimos (Narcóticos Anônimos)
Procuramos, por meio da prece e da meditação, melhorar nosso contato consciente com Deus, na forma em que o concebíamos, rogando apenas o conhecimento de sua vontade em relação a nós, e forças para realizar essa vontade.
11ª Tradição de Alcoólicos Anônimos
Nossas relações com o público baseiam-se na atração em vez da promoção; cabe-nos sempre preservar o anonimato pessoal na imprensa, no rádio e em filmes.