19 de out de 2012

O JOVEM JACÓ

“Que Deus te abençoe, te faça fecundo e numeroso, de modo que te tornes uma multidão de povos...” (Gn 28,1-3).
Pensando em indicações para um exercício mais pessoal. Releia o texto de Lucas 24,13-35.
Repouse o corpo e o espírito: ou do modo como foi dito acima, ou de outro modo que mais ajude a você entrar tranquilo em clima de oração.
Dizer o nome de Jesus no coração, conforme o ritmo e o compasso do ar que você vai sentindo passar pelas narinas, é um meio excelente. Este é um modo de orar que chama de “oração pelo ritmo”.
Ponho-me na presença de Deus, sinto seu olhar amoroso, e ofereço-me inteiramente a Ele.
És miserável onde estejas e para onde quer que te voltes, a não ser que te voltes para Deus. Por que perturbar-te quando as coisas não andam como queres e desejas? Quem é que pode ter tudo à sua disposição? Nem tu nem eu nem ninguém sobre a terra. Neste mundo ninguém está livre de provação e dificuldade, seja ele rei, seja papa. Quem está em melhores condições? Sem dúvida, quem é capaz de sofrer um pouco por Deus.
Esaú tinha vendido, por um prato de lentilhas quentinhas e saborosas, seu direito de filho mais velho à benção do Pai Isaac. Mas – vocês sabem como essas coisas são – quando soube que Rebeca e Jacó tinham se aproveitado da situação e da cegueira do Patriarca Isaac para “lhe passarem a perna” ficou furioso. Rebeca,  a admirável, para evitar alguma coisa pior, mandou Jacó para a casa do irmão dela, Labão, no distante Haran. Não foi nada fácil para ela enviar o jovem por um percurso perigoso, em caminhos ameaçados por assaltos e combates de bandos. E não foi nada fácil também para Jacó, acostumado com a segurança em sua tribo. É verdade que seu pai foi convencido a deixá-la partir para encontrar uma mulher do clã para esposa: “Não tomes mulher dentre as filhas de Canaã, mas vai à casa de Batuel, pai de tua mãe, e toma lá uma mulher dentre as filhas de Labão, irmão de tua mãe. Que Deus te abençoe, te faça fecundo e numeroso, de modo que te tornes uma multidão de povos...” (Gn 28,1-3).
Lembrete:
Penso por um momento que vou pensar sobre a história sagrada. Relembro como o Evangelho de São João repete continuamente como as trevas lutam contra a luz, a mentira contra a verdade, e a morte contra a vida. E mais importante ainda, Jesus fala claramente de dois reinos lutando até a morte. Seus ensinamentos é que há duas forças titânicas agindo no mundo, ambas conduzidas pelo desejo interno de domínio de ira, de desejo de ira, de desejo de destruir, de ódio profundo à vida. Agora imagine que esse interior sai para o exterior: Que aspecto terá a pessoa? Como mudará seu rosto? As mãos? Os olhos e a boca? Pois bem, o mentiroso é assim, se você realmente o vê.
O fato de que teus desejos sejam realizados não significam que tuas escolhas tenham sido as melhores para tua vida. É muito importante que teus desejos estejam de acordo com minha vontade. Então, Senhor, socorre-me!

Nenhum comentário:

Postar um comentário