11 de out de 2012

A RISADA DE SARA

“A tua palavra, Senhor, é eterna, estável como o céu. Tua fidelidade dura por todas as gerações; fundaste a terra e ela está firme. Tudo subsiste até hoje conforme tuas normas, pois tudo está a teu serviço” (Sl 119,89-96).
No silêncio e na calma, o discípulo progride e penetra o segredo das Escrituras. Encontra a fonte das lágrimas onde se purifica a cada noite: sua familiaridade com o Criador aumenta à medida que ele se afasta de todo tumulto do mundo. Deus se aproxima com seus santos anjos daquele que se afasta dos amigos e conhecidos. Mais vale ficar oculto de si que fazer milagres andando ao sabor das circunstâncias. Merece louvor o religioso que sai raramente, que se recusa a aparecer em público e evita o convívio dos homens. 
Era a hora mais quente do dia, naquele país, à beira de grandes desertos! O chefe dos pastores, Abraão, repousava diante de sua tenda, à sombra de um grande carvalho (ver Gn 18,1-15). Quando viu três viajantes chegando a pé, foi ao encontro deles e ofereceu-lhes hospitalidade! Mandou Sara preparar bolos, escolheu um bezerro para um bom assado. E os serviu com coalhada e leite fresco.
O casal Sara e Abraão já ultrapassara a idade de ter filhos. Abraão tivera filhos com algumas concubinas, mas Sara parecia definitivamente estéril. Os três hóspedes, agradecidos, já de partida, chamaram Sara e disseram aos dois que dentro de um ano lhes nasceria um filho. Sara não conteve uma risada, pois como seria possível que “depois de idosa” viesse a “sentir prazer”? Com essa risada de ironia, falta de esperança e fé, Sara representa nossa humanidade descrente, que se acha muito “realista” quando acredita que “o mundo não tem jeito mesmo”, ou que “o povo de Deus, está chegando ao fim”, ou que “chegamos a um beco sem saída”.
“Mas o Senhor disse a Abraão: “Existe coisa por demais maravilhosa para o Deus? Voltarei a ti no próximo ano, por este tempo, e Sara terá, então, um filho”.
Lembrete:
Ou pode se imaginar descobrindo um espelho em um campo primaveril que reflete a luz do sol de volta para ele – da mesma maneira que cada um de nós reflete o conhecimento e o amor de Deus de volta para Ele. Ou pode fantasiar um lugar terrível, desolado, devastado pela guerra atômica, sentir a intensa radiação e ouvir os ecos de milhares de gritos de horror – e reconhecer o cenário do pecado.
Sempre comece a fantasia suavemente. Em geral, você volta a si com algumas intuições.
Enquanto eles amaldiçoam, tu abençoas (Sl 109,21-31).

Nenhum comentário:

Postar um comentário