8 de out de 2012

ESTRELAS DO CÉU

“Lâmpada para meus passos é tua palavra e luz no meu caminho” (Sl 119,105-112).
Ninguém está seguro quando rejubila, se não tem o testemunho de uma boa consciência. A segurança dos santos sempre foi produzida pelo temor de Deus: eles não foram menos aplicados sem menos humildes pelo fato de terem brilhado por grandes virtudes e grandes graças.
A segurança dos maus tem sua fonte no orgulho e na presunção, e no fim acaba voltando-se contra eles.
Jamais te prometas a segurança nesta vida, por mais que pareças um bom monge ou piedoso eremita. 
A maioria de nós nunca viu a nascente do rio Amazonas, mas ninguém duvida que ela existe, como o rio mar existe! Não estávamos lá, no momento do encontro de Abrão com o Senhor; mas que aconteceu, aconteceu! Abrão, depois, teria o nome trocado para Abraão (Gn 17,5) e é uma benção para judeus, cristãos e muçulmanos: é o pai dos crentes! A benção vai se espraiando, até que sejamos tão numerosos “como as estrelas do céu e os grãos de areia nas praias do mar” (Gn 22,17). Sarai também teve o nome trocado por Deus: ficou sendo Sara (Gn 17,15). Deus lhes dava uma nova vocação e lhes trocava os nomes. Nós, batizados, já temos um “nome novo”: nosso nome de batismo, nosso nome cristão.
Quando Nosso Senhor chama e dá um nome novo, isso é uma benção! Hoje, como filhos de Abraão, cada um de nós é chamado a ser benção para os demais...
Sou mais sábio que todos os meus mestres, porque medito teus testemunhos. Entendo mais que os anciãos, porque observo teus preceitos (Sl 119,97-104).
Sim, e verdade, minha Palavra é a luz que ilumina teu caminho. Mas esta luz apenas brilha quando cumpres minha vontade. É por isso que é muito importante estar certo de ter recebido minha Palavra antes de agir.
Uma vez que minha Palavra tiver sido dada, a luz inundará teus caminhos, e o Espírito Santo te conduzirá segundo os planos que fiz pra ti.
Minha palavra sempre traz luz: “A revelação das tuas palavras ilumina” (v. 130). Portanto, é grande importância que medites sobre minhas palavras. Não saberás qual o caminho certo sem antes conhecer a minha vontade.
Lembrete:
“Defensor”: o “Goel” do Antigo Testamento, o que assume a defesa dos necessitados e desvalidos, conforta-os e consola-os, advoga sua causa. No NT o termo foi traduzido pelo grego “Paráclito” é vertido para o português como “Advogado”, ou, com conotação mais afetiva, como “Consolador”, O Senhor Javé consolou Abrão no espírito, prometendo uma linha mais numerosa do que as estrelas do céu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário