1 de jul de 2012

ASCENSÃO

“Enquanto os abençoava, distanciou-se deles e era elevado aos céus” (Lc 24,51)
Recordando as proclamações apostólicas da exaltação de Jesus ressuscitado, tomamos a consciência de que nosso papel é elevar a humanidade, é ajudar a todos a se sentir e portar como filhos no Filho, é libertar e redimir os cativos, quanto possamos, deixando que o Espírito na Igreja nos impulsione na tarefa... Essa é uma graça própria da Mistério da Ascensão (At 1,6-11):
“Estando, pois reunidos, o interrogaram,
‘Senhor, é agora o tempo em que irás restaurar a realeza em Israel?’”
Não vos compete conhecer os tempos e os momentos que o Pai fixou em sua própria autoridade. Mas recebereis uma força, a força do Espírito Santo, que descerá sobre vós. E sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e a Samaria, e até os confins da terra...”
O último recado do Senhor Jesus: “Vão à Jerusalém e esperem pelo Espírito Santo”.
Ouço o recado dos anjos: gente da Galiléia, que fazeis aí, olhando para o céu? Provas e sinais da pessoa de Jesus já foram contemplados longamente. Agora é hora de ir, de anunciar, de servir, de testemunhar e de fazer discípulos. Examino-me, diante de Jesus, a respeito da sinceridade e da generosidade do meu discipulado. Rezo e peço a graça do ardor missionário, a exemplo de tantos irmãos e irmãs que me precederam.
Os anjos me dão ainda um recado consolador: “Este Jesus que vos foi arrebatado para o céu virá como O vistes partir para o céu”.
Acompanhá-los até o Monte das Oliveiras... Não param no Horto... só passam por aquele lugar tão cheio de recordações, onde O viram abatido e não foram capazes de ficar com Ele em sua agonia... Sobem a encosta... Vão sempre mais alto, até o cume... Lá, na presença de todos, Ele foi elevado, e uma nuvem fê-lo desaparecer a nossos olhos...
Renovo a minha fé na palavra de Jesus: “Eis que estou convosco!”. A minha fé volta gloriosa do Senhor, a fim de nos levar, a todos que lhe formos fiéis, para os lugares que Ele mesmo nos preparou na Casa do Pai!
Meditação:
“Há Nele um Espírito inteligente, santo, único, múltiplo, sutil, móvel, penetrante, imaculado, lúcido, invulnerável, amigo do bem, agudo, impossível de ser detido, benfazejo, amigo dos seres humanos, firme, seguro, sereno, que tudo pode, abrange, embebendo todos os espíritos, os inteligentes, os puros, os mais sutis...” (Sb 7,22-23). E também com amor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário