30 de jul de 2012

AMADURECIMENTO

“Meu auxílio vem do Senhor, que fez o céu e a terra” (Sl 121,1-4).
A principal missão do leigo é dar testemunho de Jesus Cristo e do Evangelho em sua família e em seu ambiente de moradia e trabalho. Por vocação própria, há leigos que atuam e vivem como voluntários, e até há os que deixam de ter família e os que deixam a sua terra e profissão para se entregar totalmente ao serviço do próximo segundo o modelo de Jesus.
Vamos colocar nossa inteligência, razão e discernimento naquilo que ainda não conhecemos bem e cuja manifestação, nesses níveis superiores, só acontecerá quando começarmos a amadurecer nossa mente para isso. Dessa forma, vamos adquirir confiança e comprovação, quando atingirmos, em nós e em nossos educandos, a serenidade, trazendo de dentro de nós, luz e sabedoria.
Serenidade e sabedoria, adquiridas com a prática dos exercícios, são coisas que o dinheiro não pode comprar.
Devemos trabalhar, acreditar, pôr em prática tudo isso, criando raízes para alcançar a tão almejada serenidade.
Quando começarmos a nos dedicar a esses fatos internos, vão aflorando manifestações, e a nossa vida vai mudando e entrando num novo ritmo. Vamos conseguindo tempo para relaxar e olhar dentro de nós, enquanto um novo ritmo de vida surge.
Devemos, então, levar estas informações ao conhecimento dos nossos amigos, para que dominem as técnicas de relaxamento, pratiquem-nas, incorporem-nas aos seus hábitos diários e então possam desenvolvê-las com seus alunos.
Posso partir da premissa de que nunca vou fazer nada que rompa meu relacionamento com meu Senhor Deus, mas vou escolher sempre, apenas o que minha consciência livremente permite. Então, vou esperar para descobrir o que Deus espera de mim.
Para chegar a essa disposição, preciso crer que posso saber o que Deus espera de mim e preciso ter esperança de descobrir isso.
“Alma de Cristo, santifica-me; Corpo de Cristo, salva-me; Sangue de Cristo, embriaga-me; Água do lado de Cristo, lava-me!
Paixão de Cristo, conforta-me! Ò Bom Jesus, escuta-me! Dentro de tuas chagas, esconde-me; Não permitas que eu me separe de ti!
Do Inimigo maligno, defende-me; Na hora de minha morte, chama-me e manda-me ir a Ti, para que, com teus santos e santas, eu te louve, pelos séculos dos séculos, amém!”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário