21 de jul de 2012

PENSAMENTOS

“Quando o Senhor reconstruir Sião e aparecer na sua glória Ele ouvirá a prece do desamparado e não rejeitará sua súplica. Que isto seja escrito para a geração futura, e um povo regenerado celebre o Senhor” (Sl 102,16-29).
“Se nada temos, nada podemos dar.”
Vivendo numa época puramente materialista, correndo atrás da ciência, da tecnologia e da razão, o homem, pouco a pouco, vai se distanciando de seus sentimentos, de suas emoções, de suas potencialidades. E se esquecendo de que sua felicidade se encontra dentro dele e não fora.
É urgente, então, que paremos.
Pare você também, agora. Retomemos a reflexão:
Como estamos conduzindo a nossa vida?
Façamos uma reflexão consciente, senão vamos ser triturados pelo sistema, pela tecnologia, e podemos nos tornar estranhos a nós mesmos.
Os nossos pensamentos, desejos e ações estão sempre ocupados com as coisas do mundo externo, por isso ficamos sempre contemplando o mundo ao nosso redor. E por não conduzirmos mais, perdemos nossas faculdades pelo desuso, e o sistema passa a nos conduzir da maneira que quer. Dessa forma, vamos nos tornando verdadeiros robôs, que se deixam conduzir, simplesmente.
Pensemos agora em Sócrates. Quanta verdade há em sua pequena, mas profunda frase: “Homem, conhece-te a ti mesmo”.
E o homem, considerado o animal mais inteligente do planeta, pouco sabe a seu respeito.
Embora ocupe o centro do mundo, o homem compreende a relatividade desse centro, perdendo sua centralidade e passando a ser totalmente desapercebido por si mesmo, o que acaba por torná-lo vítima infeliz de seus desejos, emoções e hábitos, muitas vezes autodestruidores. Porém existe o amor!
Meditação:
Reflitamos sobre: “Em tudo amar e servir”.
Note duas coisas: “O amor deve pôr-se mais em obras do que em palavras; O amor consiste em comunicação mútua, isto é, aquele que ama dê e comunique a seu amado o que pode. Igualmente, por sua vez, o amado ao que ama...”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário