18 de jul de 2012

RESPEITO

Como podemos chegar ao outro, se desconhecemos a nossa realidade?
Se estivermos bem com nós mesmos, estaremos bem com o outro.
O homem tem de sair de si para chegar a si mesmo, obtendo assim, o seu próprio eu. E só, então, partir de si mesmo para atingir o outro.
Estamos sempre preocupados em conhecer e explorar o mundo para viver nele e para ele.
Conhecer, falar, criticar, julgar as pessoas para viver com elas e para elas.
Mas ...  fazemos muito pouco para conhecer e viver para nós mesmos. Dependemos sempre de um sorriso, de uma palavra de alguém, para nos sentirmos felizes.
Notei, através da História, que o homem sempre foi levado a olhar para fora dele: lendo o mundo de fora para dentro.
Fui concluindo que, antes de levar o nosso educando a ler o mundo, isto é, a conhecer e a explorar também seu mundo externo, deveríamos ensiná-lo a conhecer e a explorar também seu mundo interno. Conscientizá-lo de que cada indivíduo é um ser original, muito importante e único. Uma realidade a ser valorizada primeiro por ele próprio, sabendo equilibrar-se internamente para poder equilibrar-se externamente e, assim, conseguir enfrentar situações de uma maneira calma, compreensiva, construtiva e crítica.
O nosso dever de despertar nossa mente é conduzir-nos a explorar as profundezas de nossa alma, para que assim nós sintamos seguros e despertos para uma paz interior.
Quero compreender que o homem possui, em si mesmo, reservas de forças e poder para enfrentar e vencer situações difíceis.
Desejo adquirir respeito e sentimento de amor por mim e para com os outros.
Meditação:
“Não me rejeites no tempo de velhice, não me abandones quando diminuem minhas forças... Tu me instruíste, ó Deus, desde a minha juventude e ainda hoje proclamo os teus prodígios. E agora, na velhice, de cabelos brancos, Deus, não me abandones, até que eu anuncie teu poder, as tuas maravilhas, a todas as gerações que virão” (Sl 71,7-19).

Nenhum comentário:

Postar um comentário