3 de jul de 2012

GRATIDÃO

“Nunca lestes nas Escrituras: A pedra que os construtores rejeitaram foi a que tornou pedra angular; isto é obra do Senhor, coisa admirável para nossos olhos?” (Mt 21,42).
Devemos ler a bíblia com gratidão. Deus nos deu a Bíblia e desceu até nós durante os séculos a custa de um trabalho imenso. Nós já vimos que Ele usou uma variedade de diferentes escritores e este livro único demorou muito tempo para ser agrupado. Os escritores do Velho Testamento demoraram um período de mais de 2000 anos, enquanto os acontecimentos do Novo Testamento (e a tarefa de registrar esses acontecimentos) cobrem a maior parte de um só século.
Além do mais, com o passar dos séculos, muitas centenas de lingüistas prendados traduziram a Bíblia da sua versão original em Hebreu (Velho Testamento) e Grego (Novo Testamento) na linguagem de outros povos espalhados pelo mundo. Aquele trabalho diligente,  cansativo, e ainda excitante de tradução, a cuidadosa busca pela palavra correta, pelos métodos mais eficazes de transmitir numa língua diferente alguma idéia ou palavra figurada, é uma responsabilidade severa. Centenas de pessoas dedicadas doaram seus melhores anos de vida para isto.
Os autores da Bíblia são pessoas que nunca iremos conhecer nessa Terra, mas têm escritos para transformar nossas vidas. Além do que, temos visto que algumas pessoas heróicas arriscam tudo e, muitas vezes, dão suas vidas para que nós possamos ler a Bíblia. Em alguns períodos da história, a Bíblia era um livro proibido, mas o trabalho de distribuição foi satisfatoriamente tomado por pessoas dispostas a derramarem seu sangue para que sua mensagem seja lida e compreendida. Eles acreditavam que não era uma mensagem apenas para padres e pastores esclarecidos, mas também para o homem e mulher comuns em cada cidade e vilarejo.  Todas as vezes que virarmos suas páginas, devemos pensar com gratidão no preço que, com boa vontade, foi pago para que a Bíblia fosse nossa.
Meditação:
Jesus falou aos discípulos no caminho e lhes disse: “Espíritos em inteligência, corações para crer em tudo o que os profetas declararam! Não era preciso que o Cristo sofresse isso para entrar na sua glória? E começando por Moisés e todos os profetas, ele lhes explicou em todas as “Escrituras” o que lhe concernia” (Lc 24,25-27).
Jesus entrou para ficar com os apóstolos. Ora quando se pôs à mesa com eles, tomou o pão, pronunciou a bênção, partiu-o e lhes deu. Então, os olhos dos discípulos se abriram e o reconheceram. Depois, Jesus se tornou invisível. E disseram uma ao outro: “Não ardia em nós o nosso coração quando ele nos falava no caminho e nos explicava as “Escrituras” (Lc 24,30-32).

Nenhum comentário:

Postar um comentário