7 de mai de 2012

PREGAÇÃO NO TEMPLO

“Ele ficava cada dia a ensinar no Templo” (Lc 19,47-48).
Preparo-me para o encontro pessoal com Deus no lugar escolhido e na hora marcada. Não esquecerei a oração pessoal.
Procuro imaginar o esplendor do Templo, onde o povo escuta avidamente a Jesus, pentrando nos sentimentos do seu coração.
Todos os dias ele ensinava no Templo. Acompanho Jesus indo ao Templo para missão-chave recebida do Pai: “anunciar a Boa-nova”. Revela-se fiel ao Pai. Ele é o verdadeiro Mestre-Rabi.
Procure ouvir cada palavra saída de sua boca, sempre atento às nossas reais necessidades. Palavras cheias de sabedoria, palavras firmes e ardentes, impelidas pelo seu coração, unido pelo Pai no Espírito. Palavras de vida, quer nos agradem, quer nos desagradem.
Coloco-me ao lado de Jesus, empenho-me em perceber como o Seu Reino é diferente. Não é, certamente, o “reino” dos bons negócios, do lucro a qualquer preço em qualquer lugar.
Ele agora está “jurado” de morte. Fixa os olhares dos que o ameaçam. Fixo o olhar de Jesus. Expresso-lhe o que me vem ao coração (coragem ou medo, esperança ou descrença, etc.) quando ele enfrenta ingratidão e incompreensão.
Ao contemplar a vida de Jesus, nosso propósito é vir a conhecê-lo melhor – não da maneira como o biblista conhece as Escrituras ou o historiador a biografia de alguém, mas da maneira como amigos se conhecem. Quanto mais se conhecem, mais se gostam. E, em geral, conhecem-se mais a si mesmos também.
Queremos conhecer e gostar de Jesus porque cremos ser Ele o Caminho de vida para nós. Ele também é imensamente digno de amor em Si Mesmo e atraí milhões a amá-lo de todo o coração. Jesus escolhe não ser apenas Senhor, mas amigo. Com seus milagres maravilhosos e as suas palavras de amor Ele se torna realmente amigo dos que O aceitam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário