1 de mai de 2012

JANTAR FESTIVO

“Pai, eu te dou graças porque me ouves!” (Jo 11,33).
Deixa-a! Ela guardou este perfume para o dia de minha sepultura. João 12,7
Preparo-me para o meu encontro pessoal com o Senhor. Recordo a história da ceia em Betânia, relendo a passagem indicada: Jo 12, 1-8.
Composição, vendo o lugar: com imaginação, deixo que as palavras do evangelho me levem a estar presente neste jantar, seis dias antes da Páscoa. É um jantar festivo, especial, onde se dá “a unção de Betânia”. Ali está Lázaro, há pouco trazido da morte pela palavra de Jesus, o Senhor da vida. Ali estão Marta e Maria, irmãs de Lázaro, naquela “casa da amizade”. Peço o dom de um coração livre, sensível, generoso e leal no amor e na amizade para com Jesus, que me faça capaz de quebrar os meus frascos para espalhar o perfume da alegria, da doação, do amor fiel e sincero.
Maria, com seu valioso perfume, é a protagonista do que vai acontecer. Ela quebra o frasco para deixar escapar todo seu rico conteúdo, honrando os pés de Jesus. Espelho-me no seu gesto. Ela sabe extravasar o seu amor e a sua consideração por Jesus. O seu gesto é silencioso, sem constrangimento, gentil, natural. Ela ama para além. O Senhor merece tanto, merece tudo, merece o melhor. Lava os pés do Mestre com o excelente perfume de nardo e enxuga-os com os próprios cabelos.
Olho para ela e para mim: que “frascos” devo romper para que as minhas ações e atitudes, para que os meus afetos exalem bom perfume que atraia os outros para o Senhor, para o Evangelho, para as boas obras do Reino?
Lembrete:
Ainda nesta ordem e harmonia, o Criador nos deixa livres. Devemos escolher e queremos manter a retidão, a justiça e a ordem. Quando não escolhemos isso, provocamos um abalo na terra. Deus seguramente sabe disso. Mas sua esperança constante é que a humanidade possa reconhecer que Ele sempre é o primeiro e decreta seu reconhecimento criando a nossa vida ao mesmo tempo para o amor e no amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário