21 de mai de 2013

LIMPANDO O TEMPLO (Mateus 21,12)

“Fiz aliança com meu eleito; jurei a Davi, meu servo” (Sl 89,4)
Prepare-se, repousando “um pouco o corpo e o espírito, sentado-se ou andando, como lhe parecer melhor, considerando aonde vai e a fazer o quê...”. fale ao Pai pedindo que ele lhe conceda a graça para que “todas as suas intenções, ações e operações sejam ordenadas puramente a serviço de Sua Divina Majestade” com estas ou outras palavras.
Que dizes meu filho? Deixa de te queixar: considera minha paixão e a dos outros santos. Ainda não resiste até o sangue (Hb 12,4). O que sofres é pouca coisa em comparação ao que tantos sofreram: fortes tentações, árduos sofrimentos e tantas provações diversas e repetidas. É preciso que te lembres dos pesados fardos que os outros carregaram: acharás mais leve o pequeno fardo que carregas. E se ele não te parece pequeno, toma cuidado para que tua impaciência não seja a causa disto. Em todo caso, seja pequeno, seja grande, aprende a tudo  suportar com paciência.
Após chegar a Jerusalém, Jesus foi até o templo. Aquele que fora construído por Herodes, no mesmo lugar onde ficava o antigo. Era a Casa de Deus, a mesma que, quando menino, havia chamado de “Casa de Meu Pai”.
Mas, dessa vez, quando Jesus entrou no templo, não ficou feliz com o que viu. O templo, que deveria ser um lugar de oração, parecia um mercado. Cambistas, forçavam todos, mesmo os mais pobres, a pagar caro pelos sacrifícios que tinham de oferecer no local. Gente que já era pobre, ficava ainda mais pobre sempre que ia ao templo para adorar a Deus. Não era assim que Deus queria que Sua Casa fosse tratada.
Quando Jesus ouviu os mercadores gritando preços de pombas e ovelhas, constatou o desrespeito pela casa de Deus.
Mal conseguia conter sua indignação. “Não!”, gritou. “Esta é a Casa de Meu Pai! Vocês não podem tratá-la assim!” E correu pelo pátio onde se faziam as vendas, derrubando as mesas de câmbio. As moedas rolavam pelo chão, e as pessoas corriam gritando para todos os lados. Pássaros escapavam das gaiolas e voavam. Jesus foi de ponta a ponta, expulsando os mercadores do lugar.
Meditação:
Senhor, julga quem me acusa, ataca os que me atacam...
Sejam como a palha ante o vento, quando o anjo do Senhor os expulsar. Seja escura e perigosa a sua estrada, quando o anjo do Senhor os perseguir. (Sl 35,1-8)  

Nenhum comentário:

Postar um comentário