2 de mai de 2013

COMO REZAR A BÍBLIA?

“E cerrando o livro, entregou-o ao servente e assentou; todos na sinagoga tinham os olhos fixos nele. Então ele começou a dizer: ‘Hoje esta escritura se realizou para vós que a ouvis’. Todos lhe prestavam testemunho; espantavam-se da mensagem da graça que saía da sua boca, e diziam: ‘Não é o filho de Jose?’” (Lc 4,20-22).
Como, então, podemos fazer um estudo com seriedade das Escrituras, com a finalidade de que não seja apenas lucrativo, mas agradável também? Devemos começar, como já falamos, com o Novo Testamento, e devemos ler a Bíblia regularmente. Quando Lucas descrevia o primitivo povo cristão em Beréia, ele nos diz que eles examinavam as Sagradas Escrituras diariamente para certificarem-se de que o que Paulo dizia era verdade (Atos 17,11). Todo cristão empenhado reconheceu a necessidade de passar algum tempo definitivo e diário em leitura e oração da Bíblia. A uma ou duas décadas atrás, um momento silencioso diário era amplamente considerado como uma necessidade espiritual e muitos milhares de crentes podem testemunhar sua suprema importância e valor duradouro. Vivemos, hoje, num tempo em que a disciplina é dificilmente considerada um conceito popular, e alguns Cristãos são tão impetuosos em evitar o “legalismo” que até tradições baseadas na Bíblia são dispensadas com um certo ar de superioridade. Em qualquer momento de despertar espiritual, o indivíduo deve se resguardar contra o que é conhecido como perigo “antinomiano / contrário” – os ensinamentos declarados por aqueles que enfatizam a doutrina da graça, na qual minimizam ou até rejeitam o que as Sagradas Escrituras têm a dizer sobre a lei. Esses são tempos, portanto, de suma importância, falar, mais uma vez, sobre as incalculáveis bênçãos e benefícios que a leitura regular e disciplinada, além do estudo das Escrituras, traz para o Cristão.
Nós somos como os doze homens muito distintos que eram companheiros de Jesus ou “discípulos” (a palavra significa aprendizes). Eles ficaram com Jesus até soldados romanos O prenderem, três anos depois. Durante esses anos, eles e outros milhares ouviram Jesus e sua pregação atraente (preservada com riqueza nos quatro Evangelhos) e testemunharam seu poder único de mudar e transformar vidas humanas, física, moral e espiritualmente.
Meditação:
Jesus lhes disse: “Não será por não conhecerdes nem as Escrituras, nem o poder de Deus, que estais em erro? De fato, quando os mortos ressuscitam, as pessoas não casam nem são dadas em casamento, são como os anjos do céu (Mc 12,24-25).
“Todos os dias, eu estava entre vós no Templo, ensinando, e não me prendestes. Mas é para que se cumpram as Escrituras” (Mc 14,49). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário