10 de ago de 2012

UM LUGAR PARA ORAR

“Depõe no Senhor os teus cuidados, porque Ele será teu sustentáculo; não permitirá jamais que vacile o justo” (Sl 55,23).
Retirar-se com a imaginação a qualquer lugar que seja propício para animar a oração: a praia, o cimo da montanha, a beira de uma rio, uma igreja em silêncio, um terraço frente a um céu estrelado... Escutar os sons (ondas, vento contra as árvores, animaizinhos da noite...). Fazer oração neste contexto. Inácio não diz: “Composição do lugar”, mas “compõe TU, vendo o lugar”. Todos podem desenvolver esta faculdade na prática.
Tapar os ouvidos com os polegares e os olhos com as mãos. Escutar o som da tua respiração, descansar as mãos sobre o ventre, manter os olhos fechados, escutar todos os sons próximos, o mais suave, o mais longe.
Existe o silêncio no centro de cada som. Os sons distraem quando se quer repeli-los ou fugir deles. Percebê-los! Cada som tem dezenas de sons dentro: tentar recolhê-los todos.
Senhor, nosso Pai, que todo o meu ser esteja voltado para ti, neste tempo de oração! Que nós estejamos todos voltados para ti. Isto te peço (te pedimos) por nosso Senhor Jesus Cristo, teu amado filho, que contigo vive e reina no Espírito Santo para todo o sempre, amém!
Lembrete:
“Senhor, que todas a minhas (nossas) orações, ações e operações sejam puramente ordenadas a serviço e louvor de sua Divina Majestade! Amém!”
Pelo sinal da santa Cruz, livrai-me Deus nosso Senhor, dos nossos inimigos, em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, amém!
É belo louvar o Senhor, e cantar ao teu nome, ó Altíssimo, anunciar de manhã de manhã o teu amor, e tua fidelidade durante a noite.
Um Sinal-da-Cruz bem feito, com carinho e calma, faz bem ao coração e até a quem vê! Conta-se que sinal converteu-se em cristã humilde só de ver um amigo fazer o Sinal-da-Cruz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário