27 de ago de 2012

CARIDADE

“Pois Deus salvará Sião e reedificará as cidades de Judá; habitarão lá e a possuirão” (Sl69).
Eu vos dou um Novo Mandamento: que vos ameis uns aos outros. Assim como eu vos tenho amado, vós também deveis amar uns aos outros. É pelo fato de vos amardes uns aos outros. É pelo fato de vos amardes uns aos outros é que todos reconhecerão que são meus discípulos (Jo 13,34-35).
Quero vos mostrar um caminho infinitamente superior (1Cor 12,31):
Se eu falasse a língua dos homens e dos anjos, mas não tivesse caridade, seria como um bronze que soa um sino que toca. E se tivesse o dom da profecia e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e se eu tivesse toda a fé, a ponto de mover montanhas, mas não tivesse caridade, não seria nada.
A caridade é paciente. A caridade é bondosa. A caridade não é invejosa. A caridade não é arrogante, nem orgulhosa. Ela não faz o que é inconveniente, não busca o seu interesse, não se irrita, nem se julga ofendida. Não se alegra com injustiça, mas se alegra com a verdade.
Ela tudo perdoa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
A caridade nunca passará!
Pelo contrário! As profecias vão desaparecer. As línguas vão acabar. A ciência vai desvanecer.
Porque nosso conhecimento é imperfeito e nossa profecia também. Quando vier o que é perfeito, desaparecerá o que é imperfeito. Assim, quando eu era criança, falava como criança, sentia como criança, pensava como criança. Mas, quando me tornei adulto, deixei as coisas de criança.
Agora vemos como por um espelho, de maneira confusa, mas, então, será face a face. Agora conheço de modo imperfeito, mas então conhecerei como sou conhecido.
Agora, estas três coisas permanecem: a Fé, a Esperança e a Caridade. Mas a maior delas é a caridade (1Cor 13).
Meditação:
“De sua plenitude todo nós recebemos” (Jo 1,16): “Olhar, então, como todos os bens e dons descem do Alto; assim como a justiça, a bondade, a piedade, a misericórdia. Do mesmo modo como os raios descem do sol, as águas da fonte. Depois de terminar refletindo sobre você mesmo... Concluir o colóquio de amor com o Pai Nosso”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário