13 de ago de 2012

DESCANSO ORANDO

“Porque és de valor a meus olhos, és preciso e eu te amo... chamei pelo nome, és meu! Diz nosso Senhor” (Is 43,1-4).
Sentir o contato do vestido no ombro. As costas contra o espaldar da cadeira. As mãos. Os músculos contra a cadeira. As plantas dos pés tocando os sapatos. O estar sentado. Sentir estas sensações, não pensá-las.
Passar de uma percepção à outra ou de uma área do corpo já indicada a qualquer outra.
A cada inspiração, deixe subir ao nosso Pai do céu, os sentimentos que brotarem no seu coração: paz ou inquietude, alegria ou tristeza, esperança ou desânimo, vazio ou sentido de vida... Seja o que for que você sinta no momento, ele acolhe porque você, cada um de nós, é precioso aos olhos dele!
Porque és de valor a meus olhos, és preciso e eu te amo... chamei pelo nome, és meu! Diz nosso Senhor (Is 43,1-4).
Encerrando a sua prece, com muito carinho e respeito.
Esta maneira de rezar favorece o descanso de corpo e alma, o recolhimento, o silêncio para sentir e saborear interiormente a oração, sobretudo nos dias perturbados ou corridos, onde a gente sofre dificuldades por causa da agitação e do cansaço.
Meditação:
Atenção... É possível rezar desta maneira caminhando e até  fazendo sua corrida matinal! Chama-se também “a oração do peregrino russo”. O peregrino russo era um romeiro, que ia dando seus passos na sua caminhada em busca da perfeição evangélica. A cada passo, dizia:
Senhor, Filho de Davi, tem piedade de mim, pecador!
Não penses em termo de fraqueza. Pensa em força. Não olhes para ti mesmo. Olha para mim, invoca-me, e renovarei as tuas forças. Correrás mas não te cansarás, andarás e não te fatigarás. Recusa a fraqueza, mas confessa a força que vem de mim e viverás dessa força sobrenatural. Prometi um dia a Aser: “Que teu vigor seja como os teus dias” (Deuteronômio 33,25). O segredo da força de Aser é que ele afundava seus pés no óleo. Quando marchares sob a unção do Espírito Santo, conhecerás a força de Aser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário