1 de ago de 2012

APRENDO A SILENCIAR-ME

“Quando te invoquei, me respondeste, aumentaste em mim a força” (Sl 138,1-8).
Na quietude, com o corpo, vai-se aprendendo a silenciar-se.
Feche os olhos e relaxe todo o corpo, fique bem quietinho, não pode se mexer nem fazer nenhum barulho.
Inspire o ar bem devagar, silenciosamente e, ao expirá-lo, vá relaxando todo o corpo (três vezes).
Olhos fechados, bem relaxados, só na imaginação, sinta o agradável ar desta manhã, despertando para vida.
Mentalmente (só na imaginação) vamos saudar o nosso dia. Repita mentalmente: “Bom dia, Sol. Bom dia, Dia. Bom dia, dona Alegria”.
Confiante num novo dia, numa nova vida, sinta que dentro de você existe algo maravilhoso e a certeza de que você é a própria alegria.
Neste silêncio, agradeça a Deus pelo dia que começa. Pode-se colocar música no fundo.
Agora, bem devagar, vá mexendo as mãozinhas, a cabeça ... virando de um lado para o outro ... tudo bem devagar, o corpo, os pés, vá espreguiçando todo o corpo; assim como você vê um gatinho ao acordar, imite o gatinho. Ao abrir os olhos, vamos todos falar juntos, bem alto: “Bom dia, Sol. Bom dia, Dia. Bom dia, dona Alegria”.
Manter esse tipo de indiferença entre o número quase infinito de dádivas divinas faz da pessoa uma grande força para o bem. Que força tem quem não se importa onde vive, desde que as esperanças de Deus se realizem! Que força tem quem não se importa se é ou não rico, desde que a justiça de Deus seja feita! Essa pessoa encontra realmente Deus em todas as coisas – Deus que cria, Deus que suscita a justiça e a paz em todas as coisas. Deus que trabalha ativamente para que ninguém se perca e todos sejam levados ao Reino.
Por que insistes em carregar teus fardos quando eu me ofereci para carregá-los em teu lugar? Não sabes que me é impossível assumi-los enquanto continuares preocupado? Deves abandonar a mim tuas preocupações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário