5 de jun de 2013

VIDA ESCONDIDA

“Eu o alimentaria com flor de trigo, e o saciaria com mel do rochedo” (Sl 81,14-17).
E foi morar num povoado chamado Nazaré
Com os olhos da imaginação, transporto-me para a região verde da Galiléia, ao norte da Palestina, no povoado de Nazaré. Ali vive e trabalha Jesus, “o Nazareno”, que lembra o “nazir”, isto é, “o escolhido” por Deus, desde o seio materno. São quase trinta anos de vida comum. Ele entrou na Terra Prometida para formar um novo Israel, um novo Povo.
Pedirei a graça de conhecer e admirar Jesus, Maria, José como pessoas de uma família humana, a família que é chamada na tradição de “Sagrada Família”, santa em todos os seus gestos e atitudes.
Começo procurando ver a humilde casinha de Nazaré. Ver o Menino correndo e brincando, aprendendo a ajudar a Mãe afetuosa, que o leva pela mão para as aulas de Rabino, o mestre, na Sinagoga. Ele deve conhecer as letras para poder ler as Escrituras Sagradas, conhecer a Lei e os Profetas. Ver Jesus adolescente, já aprendiz na oficina de José. Ele cresce, torna-se robusto, enche-se de sabedoria, e a graça de Deus está com ele (Lc 2,39).
Procuro ouvir o que dizem, como dizem... Desde o Anjo que fala no sonho de José: “Levante, toma o Menino e sua Mãe e volta para a terra de Israel” (Mt 2,20)... Ouvir José que conta seu sonho, partilhando com Maria... Ouvi-lo enquanto trata da volta do Egito a Nazaré, na chegada, enquanto vai retomar e limpar a casa para abrigar a família... Ouvir Maria... Ouvir até os risos do Menino Jesus, sua voz recitando as palavras de Deus na Bíblia, com os colegas ou cantando salmos na sinagoga e durante o trabalho. 
Apego as pessoas que rodeiam Jesus. É muito comum orando, ou a partir dela, você apegar-se profundamente e admirar alguém que está próximo a Jesus. Talvez ele venha a gostar realmente do Abbá de Jesus, José, por exemplo, como faria alguém abandonado pelo pai na infância. Outro talvez se identifique com Simão Pedro, ou com Madalena, como fez o homem que se esforçava para abandonar um profundo apego que levava à irresponsabilidade.
Meditação:
Senhor Jesus Cristo! Tu deixaste para trás todo poder e segurança, para abraçar os terríveis riscos de amar Deus em tudo e amar tudo em Deus. Tu caminhaste por muitos vales escuros, enfrentaste a força total do demônio. Assim conheceste uma maneira de guiar-nos para fora do pecado e da morte.
Nenhum deserto poderia secar teu amor por Deus. Nenhum egoísmo poderia secar teu amor por nós. Senhor mostra-me teu caminho!   

Nenhum comentário:

Postar um comentário