4 de jun de 2013

PODER DIVINO

“Encontro no templo. À idade de doze anos, Jesus vai com Maria e José a Jerusalém. Fica ali, enquanto seus pais voltam; procuram-no durante três dias antes de encontrá-lo. Sua explicação é: “Não sabiam que devo ocupar-me das coisas de meu Pai?” (Lc 2,41-50)
O nome significa presença: meditar a presença! Pronunciar o nome devagar. Sentir a presença de Jesus que cresce em ti: em que forma? Imaginativa? Luz? Devoção e unção? Obscuridade e aridez? Quando a presença é intensa, descansar na presença. Recorrer ao nome de novo, quando se atenua.
Imagens evangélicas de Cristo vão nos levando ao concreto da vida de Jesus. Elas nos ajudam a encarnar o Evangelho na nossa sensibilidade. Elas nos afeiçoam a Jesus, aos seus passos, ao seu jeito de ser, de amar e de salvar... E, quem diria, pouco a pouco vão fazendo perder a força e o apelo de outras imagens. Mais, vão fazendo reluzir o que somos no coração e na mente de Deus: imagem e semelhanças dele, “outros cristos”... E as coisas mais simples, os fatos mais marcantes, as pessoas da rua, da vida já não serão apenas coisas, eventos, fragmentos, gente que passa e, às vezes, deixa saudade, às vezes deixa alívio. Tudo e todos passam a fazer sentido, a ser dons, perguntas, promessas, sinais da história de amor maior, do amor de Deus.
É o Poder Divino agindo em nós, nas nossas imagens e cenas de nossa vida e na nossa imaginação, configurando-nos com Cristo: novas criaturas (2Cor 5,17)com nova vida (Rm 6,3-4).
Você notará – como qualquer pessoa que esteja, como é o seu caso – que algumas atividades ajudam sua oração, enquanto outras
Lembrete:
Só o Senhor pode tornar de “carne” um coração “de pedra” (Ex 11,10). Só ele, que conhece “os segredos do coração” (Sl 24//23,4), pode criar no ser humano pecador “um coração puro” (Sl 51/50,10) e curar os de coração ferido, machucado, “quebrantado”: Aos corações partidos ele cura, vais suas feridas medicando (Sl 146,3).
“Em verdade, em verdade, eu vos digo, quem escuta a minha palavra e crê naquele que me enviou terá a vida eterna”.
Eliminemos atitudes, hábitos e pensamentos negativos que foram arraigados dentro de nós, por anos e anos, obscurecendo nossas mentes e, a partir daí, ter a coragem de estabelecer novas metas, criando novos padrões mentais.
Falar... pensar... imaginar... e agir positivamente, criando, conscientemente, uma barreira contra o negativismo imposto, muitas vezes, pelos nossos familiares, pela educação e pela sociedade e, assim, criaremos canais positivos de expressão, direcionando a vida ao que é bom e perfeito.
Sabemos que emoções positivas têm reações positivas sobre nosso corpo e mente.
Evoluamos e caminhemos para a perfeição, pois o destino do nosso planeta, a Terra, e das gerações futuras, depende ad semente que estamos plantando hoje, daquilo que semeamos neste momento.
“Quanto aos mansos, possuirão a terra, e nela gozarão de imensa paz” (Sl 36,11).

Nenhum comentário:

Postar um comentário