7 de jun de 2013

TRABALHO

“De noite medito no meu coração, reflito, e meu espírito se interroga” (Sl 77,6-20).
Escolha uma posição confortável... Silencie o seu corpo... imobilidade total... Respire o ar profundamente e, ao exalar, relaxe... todo o seu corpo... Respire mais uma vez o ar profundamente e, ao exalar, relaxe mais ainda todo o seu corpo... Vá relaxando todo o seu corpo, cada vez mais, da cabeça até as pontas dos pés... Relaxe...
Agora, na sua imaginação, transporte-se mentalmente para um lugar que lhe traga muita pás... Transporte-se mentalmente para esse lugar... Veja as cores... As formas... Sinta o cheiro do lugar... A temperatura... E sinta a paz...
Um caminho simples para ajudar as pessoas a rezar, é olhando estampas, quadros ou ícones. Você pode praticar olhando para uma imagem, por exemplo, da Sagrada Família: José ensina Jesus a trabalhar na oficina; Maria, sentada, costura e olha os dois. Sem quase nada dizer, estão muito presentes uns aos outros e muito unidos.
Comece dando atenção ao seu corpo, à sua posição. Procure certa abertura serena para dar-se conta do que vai fazer (orar) e de perante quem você está: o Pai. Peça-lhe graça de fazer bem este exercício espiritual.
Abra os olhos e deixe que a gravura o impressione. O que lhe faz bem no que ela lhe mostra? Será que alguma coisa lhe causa rejeição? Ou a imagem lhe recorda alguma coisa, alguma pessoa? Como você reage ao que percebe?Ou à verdade que a imagem tenta lhe transmitir?
“Entre lá na cena”: toque, escute, participe, espere, acolha, admire... Deixe-se envolver.
Você também pode fechar os olhos e perceber até onde a imagem lhe revela a realidade. O que você quer louvar, pedir, no que quer insistir?
Que presente você gostaria de ganhar das pessoas que contempla, pessoas que se fazem presença a você na gravura contemplada? Você gostaria de oferecer alguma coisa a uma delas?A cada uma delas?
Você quer viver equilibradamente todos os seus desejos, a fim de poder tranquilamente estabelecer uma razoável prioridade entre eles, realizando aqueles que você escolheu para realizar e, com alguma segurança, suprimindo outros. Você sabe que a realização de um desejo fortalece-o, e sua recusa em realizá-lo vai gradualmente enfraquecendo-o e tornando-o mais controlável por sua inteligência a escolha livre.
Lembrete:
Algo a observar: algumas vezes você se encontra fortemente atraído a fazer ou a ter alguma coisa. Você, de fato, preferiria estar indiferente (em equilíbrio), mas este desejo mantém você fora de equilíbrio. Nesta situação, não tenha medo de pedir a Deus para conceder-lhe o dom de verdadeiramente desejar a ação oposta, ou o desejo de não ter aquelas coisas. Deus responde a esta oração, e não se esqueça de que Deus é a fonte e a origem de tudo o que está em nós, mesmo os desejos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário