11 de jun de 2013

REINO DO PAI

“Tu o colocaste à frente das obras de tuas mãos. Tudo puseste sob os seus pés” (Sl 8,1-10).
Quero conhecer os enganos do mal, pedindo ajuda para Deus me defender, bem como conhecimento da vida verdadeira de Cristo, nosso Rei, e a força divina de imitá-lo.
Vejamos “o exemplo que Cristo nosso Senhor nos deu para a observância dos mandamentos, vivendo em obediência a seus pais na sua vida oculta”. “Vimos também o exemplo da perfeição evangélica, quando permaneceu no Templo... para dedicar-se ao puro serviço do Rei Eterno”.
Claro está que a perfeição consiste em seguir a vocação divina, o que pode nos dar tanto na vida do solteiro, como na do casado, por causa do Reino. “Começaremos agora, enquanto contemplamos a sua vida, a investigar e perguntar em que vida ou estado sua divina Majestade quer servir-nos”.
Desejamos ter clareza a respeito da intenção de Cristo para nós, e também para aprendermos “como nos devemos dispor para chegar à perfeição em qualquer estado ou vida que Deus, nosso Senhor, nos der a escolher”.
Se você pergunta a Jesus o que ele quer que você faça, se você o quer ter como guia e chefe da sua vida, você está se decidindo a viver como ele viveu, trabalhar como ele trabalhou, inclusive, em comunhão, aceitando até “acotovelar-se” com pecadores! Enfim, você deseja entrar na militância do Reino d’Ele, Reino do Pai.
Lembrete:
Enquanto João batiza no Jordão, aponta para Jesus – “o Cordeiro de Deus”. Dois discípulos O seguem, Ele lhes pergunta o que querem. Vão para onde Ele está vivendo e ficam o resto do dia com Ele (Jo 1,35-42).
Jesus caminha ao longo do mar da Galiléia e vê os irmãos pescadores. Ele os chama para trabalhar consigo. Eles deixam o que estavam fazendo e O seguem (Mc 1,16-20).
Jesus leva seus discípulos para uma festa de casamento em Caná. Sua mãe lhe diz que eles estão sem vinho e dá instruções aos servos para fazerem tudo o que Jesus disser. Jesus transforma a água no melhor vinho que eles já tomaram (Jo 2,1-11).
Meditação:
“É preciso obedecer a Deus do que os homens. O Deus de nossos Pais ressuscitou Jesus, a quem vós mataste, suspendendo-o no madeiro. Deus, porém, o exaltou com a sua direita, fazendo-o príncipe e salvador, a fim de conceder a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados...” (At 5,29-31).
Esta é a boa notícia do Cristo Jesus, o “evangelho”, a “boa nova”, pela qual Pedro e João foram condenados às trinta e nove varadas (At 5,40), e a qual nem por isso deixaram de proclamar:
“Quanto a eles, saíram da presença do sinédrio regozijando-se, por terem sido dignos de sofrer afrontas pelo Nome”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário