7 de set de 2012

POBRES DE ESPÍRITO

“Acaso não tornarás a dar-nos vida, para que em ti se alegre o teu povo?” (Sl 85,1-7).
Depois de conduzir ao relaxamento físico normal.
Na imaginação, encontra-se um campo vastíssimo. Nesse campo, há tudo o que você pode imaginar. Árvores... animais... rios... lagos... cachoeiras... brinquedos... parques de diversão...
Na sua imaginação, brinque com aquilo que você mais gosta.
Brinque...brinque... deixar a criança brincar alguns minutos na sua imaginação.
Agora vamos abrindo os olhos bem devagar, nos espreguiçando e, ao abrir os olhos, desenhe no papel como foi a sua brincadeira.
- Felizes os pobres em espírito, porque a eles pertence o reino dos céus
Na verdade, o Senhor dispersa os homens de coração soberbo e eleva os humildes (Lc 1,51-53). É preciso que não sejamos como os “donos do mundo”, que querem passar por benfeitores, mas são tiranos (Lc 22,25). Mas precisamos levar Jesus a sério: Olhai as aves do céu! Olhai os lírios do campo! (ver Mt 6,23-34). De verdade, não podemos servir a Deus e ao dinheiro (Mt 6,24). E o apego ao dinheiro é a péssima raiz de todos os males (1Tm 6,10).
- Felizes os aflitos, porque serão consolados.
Clama a mim para que o despertar venha. Intercede, chora e jejua pelo despertar; prega-o, proclama-o com tua boca, vive-o em teu coração. Ele virá, ele deve vir. Sim. Ele deve vir agora.
Jesus nos dá o Consolador, o Espírito Santo do Pai (Jo 14,16). Deus é como a Mãe que consola seus filhos e os acaricia (Is 66,13). Ele é o Pai de todas as consolações (2Cor 1,3).
Lembrete:
A paz e a missão do Ressuscitado.
Os outros oito companheiros ali estavam. No fechamento do medo (Jo 20,19). Na incerteza das dúvidas (Lc 24,38). Na perturbação da incredulidade e na dureza dos corações que não acabam de confiar (Mc 16,14). Estavam à mesma mesa. Partilhavam o alimento. Tinham o mesmo amor e saudade de Cristo. Ouviram Jesus falar: Paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário