17 de abr de 2012

CONSOLADOR

“Jesus fala as palavras de Deus (Jô 3,34), e realiza a obra de salvação que o Pai lhe confiou” (Jo 5,36).
Vai você pelo Caminho que é Cristo. Vícios, pecados, prazeres deste mundo ficaram para trás ou nunca foram o seu problema. Você sente forte atração interna pelo Evangelho, interesse vivo pelas coisas do Reino, e Jesus é pessoa presente na sua sensibilidade e na sua fé. Você até reza sem susto: “Seja feita a vossa vontade, Pai nosso, assim na terra como no céu”. E você quer tomar uma decisão na sua vida conforme à vontade de Deus, que enxerga de cima e tem olhos de luz e entranhas de amor misericordioso.
Leve em conta que Deus é o Consolador, o “Paráclito”! “É próprio de Deus e dos seus anjos dar verdadeira alegria e gozo espiritual em suas moções, tirando toda a tristeza e toda a perturbação induzidas pelo inimigo”.
Lembra-se do dia em que você se colocou no meio do povo, junto aos apóstolos e a Jesus, na bonita margem do mar da Galiléia, na encosta verdejante? Quando Jesus multiplicou os pães e os peixes. Observe Jesus e compreenderá o Pai. Como Jesus age: Ele não quer que ninguém desfaleça no regresso para casa depois de ouvi-lo. Quer que tenham forças, alegria e ânimo para dar testemunho do que lhes ensinou. Por isso faz o milagre, a partir do pouco que lhe pudemos oferecer. Ele consola, conforta, alimenta, encoraja.
Jesus fala as palavras de Deus (Jô 3,34), e realiza a obra de salvação que o Pai lhe confiou (Jo 5,36). Quem vê Jesus vê o Pai (Jo 14,9).
O que quero: peço a Deus o dom de sentir-me contente e de alegrar-me intensamente, compartilhando a alegria e a exaltação de meu Senhor Jesus.
Lembrete:
Realizaste uma maravilha, Senhor Jesus Cristo, e fizeste sentir-me surpreendido. Meu espírito brilha com Tua ressurreição, ‘e sorrio contigo, afogo-me no riso de teus amigos. Venceste, Senhor, sabemos que venceste! Venceste todo o mal que poderíamos fazer, cada um dos males e todos juntos. Arrasaste o poder da obscuridade e da morte para caminhar pacificamente de novo em nossa própria carne, agora e para sempre. Vem a mim, grande Senhor da vida, como vens para todos os teus amigos. Envia-me a consolar todos aqueles que ao meu redor estão feridos. Vem e envia teus amigos a este nosso mundo cotidiano, para trabalhar cheios de esperança pelo Reino de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário