20 de fev de 2011

MUDANDO O CORAÇÃO

Era uma vez um marmoreiro que diariamente subia a montanha para cortar e colher pedras. Era pobre, porém alegre e sempre cantava enquanto trabalhava. Não queria mais nada do mundo. Vivia muito feliz.
Para continuar a ler clique abaixo.
Um dia, um rico convidou-o para trabalhar em sua mansão. Vendo a magnificência da mansão ele desejou um palácio para ele mesmo, “se fosse rico”.
Para continuar a ler clique abaixo.
            Chegando em casa, uma voz falou-lhe: “Ganhou o que queria, doravante viverá numa mansão”. Parou de cortar pedras e passou a viver confortavelmente como rico.
            Em outro dia ele viu o príncipe passar numa magnífica carruagem. Desejou-a e ganhou.
            Viajando depois, ficou quente demais na carruagem: “Quero ser como o sol!” E começou a brilhar. Mandou raios a todo universo. Por algum tempo tudo deu certo, porém num dia de chuva os seus raios foram bloqueados por nuvens pretas. Passou a ser uma bela nuvem. Tanta água chegou ao chão que ele tornou-se um rio. A sua felicidade parou quando uma grande pedra bloqueou o seu curso. Ele resmungou: “Uma mera pedra é mais poderosa do que eu? Eu quero ser uma pedra”. Não ficou contente por muito tempo porque de repente ouviu barulhos de batidas nos seus pés. Ele olhou para baixo e viu um pequeno homem cortando pedaços de pedra de seus pés.
“Que é isto?” – Ele gritou. “Uma criatura pode ser mais poderosa que uma grande pedra como eu? Quero ser um homem” ele concluiu.
Encontrou-se novamente o marmoreiro subindo a montanha para cortar pedras com suor e trabalho, porém também com uma canção de alegria no seu coração, pois estava feliz de ser o que era e por viver com o que ele tinha. Ele pensou: “Nada é tão bom como parece antes que ganhamos!”
O marmoreiro era como o rei que se queixou que o chão machucava seus pés e mandou que todo o campo fosse coberto com couro. O seu conselheiro falou: “Majestade, a sua idéia não é boa. Por que gastar tanto dinheiro? Poderia cortar dois pedaços de couro e proteger os seus pés.” O rei acatou e a idéia dos sapatos nasceu.
Os inteligentes sabem que para fazer um mundo melhor não é necessário mudar o mundo. Não tem valor qualquer mudança no mundo se não existir mudanças no coração. Devemos colocar nossa inteligência antes de nossas vontades.
É impossível ser completamente feliz quando casado com outra pessoa, se não fizer o divórcio de si mesmo. Temos que ser o que somos sem egoísmo.

Um comentário:

  1. Realmente a mudança do coração é a primeira coisa para um mundo melhor. Obrigado Pe. Haroldo pelo exemplo. Marcelo Costa

    ResponderExcluir