1 de dez de 2010

AMOR EXIGENTE

   Amor-exigente é uma associação de pais, decididos a tomar atitudes contra jovens rebeldes e forçá-los a se portar direito. A idéia básica é bastante simples: ao lidar com um filho que constantemente apresenta problemas. Compreensão e o perdão podem ser louváveis, mas de vez em quando não funcionam. O que realmente deve ser feito é dizer a esse filho: “Você não pode fazer isso. Você tem de seguir as regras da casa. Se o jovem não aceita, apresentamos outras dicas.
Para continuar a ler clique abaixo.

   Os pais são encorajados a fixar um limite para a conduta inaceitável de seus filhos, por exemplo, proibindo o uso do carro da família, limitando o uso do telefone e se recusando a interferir quando o jovem está em dificuldades. Se o jovem freqüentemente chega tarde, os pais podem deixá-lo fora, pondo na porta um bilhete com o nome de outro pai do grupo disposto a aceitar o ofensor até que ele aceite viver conforme as regras. Um adolescente que usa droga poderá chegar em casa e encontrar um bilhete avisando que ele deve entrar num programa de reabilitação, ou encontrar outro lugar para morar.
   Esse modo de pensar deriva por um lado do movimento de auto-ajuda e, por outro, de várias escolas terapêuticas que afirmam que o comportamento externo deve mudar antes da atitude interior. De outra forma, o jovem pode usar um problema emocional para desculpar um mau comportamento, e isso é contra a moralidade. 
   Amor-exigente tem sido um meio eficiente de unir os pais para enfrentar o poderoso grupo solidário de jovens drogados e rebeldes.
   Uma das táticas do Amor-exigente é fazer uma lista dos amigos do jovem com problemas e procurar os pais desses amigos para fazer com eles uma aliança.
   A mensagem será: não se sinta culpado; não fique gritando com os jovens; não seja uma vítima, passe por cima dos desapontamentos. O manual diz: “Nós não estamos preparados para uma mudança cultural tão rápida, cheia de distorções como drogas, violência e um grupo solidário que representa mais para os nossos filhos que nosso lar e nossa família”. Chega a hora para enfrentar uma nova cultura hostil.
O doze princípios são:
   Primeiro Princípio – Os problemas dos pais e dos jovens têm raízes e apoio na cultura. É preciso refletir, questionar antes de tomar qualquer posição.
   Segundo Princípio – Os pais também são gente. São apenas pais e não se tornam perfeitos ao se tornarem pais.
  Terceiro Princípio – Os recursos materiais e emocionais dos pais têm limites. Portanto assumam tranquilamente suas limitações.
   Quarto Princípio – Pais e filhos não são iguais. Pai deve ser guia, orientador dos filhos.
   Quinto Princípio – A culpa torna as pessoas indefesas e sem ação.
   Sexto Princípio – O comportamento dos filhos afeta os pais, o comportamento dos pais
afeta os filhos. Em que medida posso melhorar os males e desajustes que sofrem a minha família, o ambiente em que vivo e atuo?
   Sétimo Princípio – Assumir posições, fechar uma questão, precipita uma crise.
  Oitavo Princípio – Das crises bem administradas ou controladas surge a possibilidade de mudança positiva.
  Nono Princípio – As famílias precisam dar e receber apoio em sua própria comunidade para que possam mudar suas atitudes.
   Décimo Princípio – A essência da família repousa na cooperação, não na convivência.
   Décimo Primeiro Princípio – Exigência ou Disciplina – Aquilo que não pode se aprender em casa a vida ensina a duras penas. Duras para os pais e para os filhos.
   Décimo Segundo Princípio – Amar e ajudar o outro a ser a pessoa certa para si e para o mundo em que vive.
   Amor-exigente trabalha em todo o Brasil e outros países na “Prevenção Universal”. Será tratado em outro artigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário