30 de nov de 2010

AMADOS COMO SOMOS

   O Papa estava voltando da praia para atender a uma emergência no Vaticano. O motorista guiava muito devagar e sua Santidade pediu-lhe que sentasse nos bancos de trás para que ele mesmo dirigisse o carro. O Papa estava contente no volante e em alta velocidade, logo, a sirene da polícia tocava atrás dele. Parou o carro no acostamento da estrada e, foi quando o policial reconheceu o motorista. Assustado, o policial disse:
Para continuar a ler clique abaixo.
 “Senhor, espere um momento” e foi chamar o chefe, dizendo: “Estou com uma pessoa muito importante e preciso saber o que devo fazer”. O chefe respondeu: “Quem é? Um senador outra vez?” / “Não, é alguém muito mais importante” respondeu o policial. E continuava o chefe: “Não é o presidente, é?” / “Não, não, é mais importante.” / “Então quem é?”, exclamou o chefe. / “Eu não sei...”, disse o policial, “...mas quem quer que seja, tem o Papa como seu chofer”.
   Cada um de nós, não importa nossa posição ou trabalho, é muito importante. Somos o que somos, devemos aceitar o que somos e desejar sempre melhorar, melhorar e melhorar. Lembra-se da estória do patinho que nasceu sob as asas da galinha? Um dia, os filhotes estavam brincando próximo de um lago quando de repente, entre os pintinhos saltou o patinho e pulou nas águas do laguinho. Um patinho é um patinho e nada. Um pintinho é um pintinho e corre. Nós somos o que somos e Deus nos ama. 
   A esposa de um empresário falou: “Meu marido é muito rico e dono de tudo.” A sua empregada disse: “Eu sou filha do Rei, criador do Universo e de tudo.” Todos nós somos importantes. Nosso destino é com a Divina Majestade.
    João e Pedro discutiam sobre os céus: “Você acha que jogam futebol lá nos céus? Sem futebol eu não tenho interesse em ir lá.” Combinaram que o primeiro que chegasse lá, voltaria para dizer a verdade ao outro. Uma noite João apareceu para Pedro: “A boa notícia é que temos futebol nos céus e a melhor notícia é que no próximo domingo você foi escalado para goleiro.”
   O Padre estava pregando que devemos amar nossos inimigos porque todos são filhos de Deus, que os ama muito. E o Padre questionou: “Alguém ama seus inimigos?” Apenas metade dos fiéis levantou as mãos. O Padre continuava a pregar e depois fez a mesma pergunta, e todos levantaram suas mãos, menos um velhinho. O Padre perguntou: “Você não ama seus inimigos?” O velhinho respondeu: “Eu não tenho inimigos, estão todos nos céus.”
   Seja onde formos, seja quem somos, seja qual for nossa natureza, somos todos filhos de Deus e Ele nos ama sem diferenças e sem condições.

Nenhum comentário:

Postar um comentário