20 de abr de 2013

OBRAS MAIORES

“E disse aos seus discípulos: Portanto vos digo: Não estejais apreensivos pela vossa vida, sobre o que comereis, nem pelo corpo, sobre o que vestireis.
Mais é a vida mesma que é importante!” (Lc 12,22-23)
Vejo a natureza e aceito a serenidade que ela pode me transmitir... Vejo também a natureza em movimento: o frescor da manhã, o calor do meio-dia, as cores do poente, a escuridão da noite, as estrelas, a lua... Que mensagem os astros, as árvores, os bichos têm para me dar?
Como passa depressa a glória do mundo! Se pelo menos sua vida tivesse estado de acordo com seu saber, seus estudos e leituras teriam um aspecto positivo! Quantos se perdem em vãos conhecimentos neste mundo e demonstram pouco interesse em servir a Deus! E, visto que preferiram a grandeza à humildade, eles se desvaneceram com seus pensamentos (Rm 1,21)
Tomo o texto de Lucas 12, 22-23: “E disse aos seus discípulos: Portanto vos digo: Não estejais apreensivos pela vossa vida, sobre o que comereis, nem pelo corpo, sobre o que vestireis.
Mais é a vida mesma que é importante!”.
Passo o texto, versículo por versículo ... Pauso... deixo brotar sentimentos ... Expresso o que me é dado saborear com pedidos, gratidão e silêncio de adoração e acolhimento ... O que vamos comer, beber, vestir? Os pagãos é que se preocupam com tudo isto. O Pai do céu sabe muito bem do que precisamos.
Rezo o que me ocorre...
O Espírito que habita em nós – em mim igualmente (Rm 8,9) – é quem dá forças para praticar o bem e ir mais adiante...Também Jesus nos disse: “Vocês farão obras maiores do que as que Eu fiz” (Jo 14,12).
Suplico ao Senhor : “Torna-me, Senhor, amadurecido(a) na fé, e que as minhas buscas se voltem unicamente para o teu Reino em mim, nos outros e ao nosso redor”.
Pergunto ao Senhor o que ele tem a me dizer através destas coisas criadas e aguardo a sua resposta... Digo: “Senhor, agora todo o meu ser está aberto para rezar com a tua palavra”.
Meditação:
“Até quando, Senhor Santo e Verdadeiro, tardarás a fazer justiça. Vigiando o nosso sangue contra os habitantes da terra!”
“A cada dia deles foi dado, então, uma veste branca, e foi-lhes dito que repousassem por mais um pouco de tempo, até que iriam ser mortos como eles.” (Ap 6,9-11). O Bom Pastor não quer encerrar de vez a história e a aventura humana. Quer completar o número dos eleitos até que sejam “como as estrelas do céu, como os grãos de areia das praias do mar” (Gn 22,17)

Nenhum comentário:

Postar um comentário