21 de abr de 2013

EMPREENDIMENTOS

“Para onde irei? Para onde fugirei? Se subo ao céu ou se me prostro no abismo,  eu te encontro lá” (Sl 138(139)
Valho-me novamente da minha respiração para pacificar-me. Sinto a temperatura do ar que passa pelas narinas quentes? Frio? Tomo consciência dos movimentos que se produzem no meu corpo, nos pulmões, no diafragma... Aquietando-me, procuro entrar no meu “eu” mais profundo. Procuro dispor-me a comunicação com Deus. Neste silencio posso imaginar que cada inspiração de ar corresponde ao desejo de Deus dar a mim ... E que cada expiração expressa o meu desejo de me entregar a ele com tudo o que sou...
Rezo! Invoco o Espírito Santo, pedindo que ele ilumine a minha mente , o meu coração , e encoraje todo meu ser para estar a escuta daquele  que quer comunicar-se comigo nesta oração .
Reflito sobre a minha natureza humana e faço as minhas considerações. Em cada pessoa humana há pontos de convergência ao redor dos quais giram muitas coisas: impressões, pensamentos, decepções, alegrias, empreendimentos ... também na minha vida existem tais vivências ... tomo tempo para ocupar-me delas junto   Dele...
Presto atenção às últimas semanas. Em redor de que ponto tem girado a minha vida as pessoas os pensamentos, as atividades?
Permito-me então que volte à tona o que quer que seja...detenho-me...o que acontece comigo quando assim volto  o olhar para esses “pontos de convergência”? O que sinto? Alegria? Gratidão? Preocupação? Aflição? Descontentamento? Digo a meu Deus o que me ocorrer sobre estes pontos da minha vida. A sua resposta virá como a palavra consoladora: que luz ou inspiração surpreendo em mim? Se me vier escuridão ou ansiedade, simplesmente insistirei a suplica humilde. A consolação vira! Com a idéia que me vier no seio amigo da colocação interior, poderei tomar conselho para acertar.
Posso servir-me do Salmo 138(139) posso cantar: “para onde irei? Para onde fugirei? Se subo ao céu ou se me prostro no abismo, eu te encontro lá”...

Nenhum comentário:

Postar um comentário