20 de fev de 2012

Uma carta para Roma

A Boa Nova
 Romanos 1.2-8.39
Não muito depois de ter escrito aos coríntios, Paulo conseguiu visitá-las e ficar com eles por algum tempo. Foi um dia alegre aquele em que Paulo voltou a Corinto e pôde ver com seus próprios olhos que os coríntios tinham seguido seus conselhos. Lá, ele também recolheu o restante do dinheiro que seria enviado para ajudar os cristãos de Jerusalém.
Provavelmente, Paulo estava entre seus amigos de Corinto quando escreveu uma carta aos cristãos de Roma. Ele nunca tinha ido até lá, mas queria muito visitá-la. Naquela época, o império romano dominava toda a Europa, a maior parte do Oriente Médio e o norte da África. Roma era o centro de tudo.
Na cidade havia um grupo de fiéis, e Paulo queria encontrá-los. Em sua carta aos romanos, escreveu sobre o que significava ser cristão. Disse-lhes que, quando convidamos Jesus a entrar em nossa vida, Deus perdoa nossos pecados e ficamos quites com Ele. Também explicou que os planos de Deus valiam para os judeus e para o resto do mundo. Assim, todas as pessoas poderiam vir a conhecê-Lo. Paulo disse aos cristãos de Roma que deveriam se preocupar principalmente em viver como Jesus queria, e não apenas falar como se fossem cristãos.
Ao escrever, ele pensava que logo se encontraria com os cristãos de Roma. Não tinha idéia de que muitos anos passariam antes que fosse até lá. Ao longo desse tempo, a carta lhes falou, como hoje nos fala, da Boa Nova de Jesus.
"Aonde quer que a gente vá, o que quer que nos aconteça, se vivemos ou se morremos, não há nada que possa nos separar do amor de Deus", afirmou Paulo. "Ele sempre nos alcançará, por intermédio de Jesus."

Nenhum comentário:

Postar um comentário