22 de fev de 2012

O longo caminho até Roma

Um aviso de Éfeso
Atos 20.17-38
A caminho de Jerusalém, Paulo tentou parar no maior número possível de lugares. Muitas das igrejas naquelas cidades eram formadas por gente que ouvira falar de Jesus pelo próprio Paulo. Fazia muitos anos desde que tinha começado a anunciar a Boa Nova de Jesus.
Agora, enquanto se dirigia a Jerusalém, levando o dinheiro coletado, tinha consciência de que não veria mais muitos desses velhos amigos. O Espírito Santo lhe havia dito para ir a Jerusalém. Era hora de despedir-se. Paulo não tinha medo de quaisquer dificuldades que poderia encontrar, pois sabia que tinha de terminar o trabalho que Deus lhe dera.
Como não queria perder tempo, mandou uma mensagem aos líderes da igreja de Éfeso pedindo que o encontrassem no porto onde seu barco estaria ancorado, pronto para zarpar.
Quando encontrou seus amigos, todos sabiam que seria a última vez. Conversaram sobre os primeiros anos, os tempos difíceis e os bons momentos. "Vocês sabem que tenho de ir a Jerusalém", disse Paulo, "mas lembrem-se do que disse e fiz enquanto estive aqui".
"Preciso terminar o trabalho que Deu me deu para fazer. Tenham cuidado quando me for, e evitem as pessoas que querem ver nosso trabalho arruinado. Protejam sua igreja e levem adiante a missão que Deus nos deu."
Paulo sabia que a igreja de Éfeso enfrentaria dificuldades, assim como ele. Em cada cidade onde pregara, houve gente querendo matá-lo. Jerusalém fora a cidade mais perigosa para Jesus, seria assim também para Paulo. Todos imaginavam que lá, provavelmente, Paulo seria preso. Ele mesmo tinha consciência disso. Mas não importava, iria aonde Deus quisesse que fosse.
Paulo ajoelhou-se e orou com todos eles. Estavam tristes e logo caíram em pranto, abraçando-o. Por fim, acompanharam-no até o navio. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário