21 de jan de 2015

ALÉM DA RUA

Além da Rua

Quando fazia parte da Universidade de Princeton, Albert Einstein, uma das maiores mentes da história, entre suas inúmeras histórias e pesquisas, dedicava-se regularmente a uma adolescente em especial que causava grande estranheza a seus colegas. Duas vezes por semana ele dava aulas de matemática para uma garotinha da escola primária.
Seus colegas de Universidade com frequência lhe perguntavam como ele podia perder parte do seu precioso tempo dando aulas para a garotinha. Einstein lhes respondeu:
- Vocês não imaginam as perguntas maravilhosas que ela faz!


A humildade de Einstein lhe permitiu ver o mundo, o Universo e a física com olhos de criança, e foi assim que revolucionou a ciência, exercitando a ingenuidade do olhar e aprendendo a fazer perguntas tal qual uma criança faz, sem preconceitos, sem prender-se a paradigmas, deixando voar a imaginação e o pensamento.

Nossa obra “Além da Rua”, uma extensão da Instituição Padre Haroldo, imita Dr. Einstein no seu apostolado para crianças e adolescentes em situação de rua que geralmente usam drogas.
O acesso à “moradia digna” é um direito universal reconhecido. A existência de moradia torna as interações humanas possíveis e oferece abrigo, ao passo que sua ausência ou precariedade encontra-se associada às doenças e à violência. Uma estrutura de moradia permanente é capaz de diminuir o consumo de substâncias psicoativas e o cometimento de muitos crimes. Usuários de drogas em situação de rua melhoram quando têm moradia associada à programas formais de tratamento para dependência química.

Os números da atual população em situação de rua são bastante significativos. Em uma das matérias do Fórum de Entidades Nacionais de Direitos Humanos (FENDH) constava que até 1,8 milhão de pessoas vive nas ruas no Brasil. Este número veio de um levantamento do Ministério do Desenvolvimento Social feito em 76 municípios. O estudo mostra que de 0,6% a 1% da população brasileira vive de modo provisório ou permanente nas ruas.

Crianças e adolescentes em situação de rua, segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), atingiram 100 milhões de pessoas no mundo todo.
Contudo, como o número de crianças e adolescentes em situação de rua é um dado impactante, é importante ter um olhar mais cuidadoso para buscar subsídios para essa população. Se eles não romperem este ciclo de exclusão social numa moradia ou abrigo, esse fenômeno poderá se perpetuar na idade adulta, podendo se estender a outras gerações.

Dra. Lucia Sdoia é Presidente do Programa “Além da Rua” em Campinas/SP, que oferece moradia para crianças e adolescentes em situação de rua e está salvando os que potencialmente poderiam entrar na vida criminal.

Vamos juntos neste amor!
“Senhor, ajuda-me a rezar o dia todo, sabendo que tua bondade existe em abundância em mim.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário