2 de set de 2013

MAGOS (Mateus 2,1-10)

“Mas eu cantarei o teu poder, de manhã exaltarei a tua graça porque foste a minha defesa, meu refúgio no dia do perigo”. (Sl 59,10-18)
Um grupo de homens sábios, magos, estava a caminho, procurando por Jesus. Vinham de terras muito distantes, do Oriente. Estudavam as estrelas e tinham visto uma nova, que brilhava mais do que as outras à noite. Por isso, acharam que algo grandioso havia acontecido, e fizeram uma longa viagem até Jerusalém. Ao chegarem, começaram a perguntar às pessoas: “Alguém sabe onde poderemos encontrar o bebê que será o Rei dos judeus? Nós vimos Sua estrela no Oriente e viemos adorá-Lo”.
O rei Herodes soube da chegada deles e não gostou da notícia do nascimento de um menino que viria a ser rei. Chamou os sacerdotes e perguntou: “Onde nascerá o Messias, o Rei dos Judeus?”
“Em Belém”, foi a resposta. Eles sabiam, pois os profetas haviam anunciado muitos anos antes. Então, Herodes chamou os três visitantes para uma reunião em segredo. “Quando apareceu essa estrela?”, perguntou-lhes. “Vão adorá-lo”, disse. “E quando o encontrarem, mandem me avisar para que eu também possa ir vê-lo.”
Os Magos se dirigiram para Belém e, no caminho, viram a mesma estrela que haviam visto no Oriente. Ficaram muito entusiasmados, iam na direção certa. Seguiram a estrela até que ela parou exatamente sobre o lugar onde Jesus havia nascido. Quando entraram e viram o menino nos braços de Maria, ficaram muito felizes. Sua longa jornada tinha sido um sucesso – haviam encontrado o Rei!
Lembrete:
Mantenho essa convicção: Deus conserva minha vida cada momento em vista de um objetivo primeiro – voltar-me para Deus e dar-lhe o meu amor. Quando tenho de tomar qualquer decisão séria sobre a minha vida, pretendo primeiro servir e amar a Deus – só então poderei refletir sobre as coisas que também pretendo.
Creio que posso chegar a saber o que Deus quer de muitas maneiras – mandamentos, o ensinamento do coração, o conselho de pessoas santas e de amigos queridos, o meu próprio espírito. Sei que Deus me conduz, pelo desejo interior e pela inclinação, assim como pelas circunstâncias exteriores. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário