3 de set de 2013

ANA

“Nosso Deus é um Deus que salva, é Deus, o Senhor, que livra da morte”. (Sl68,21-22)
Então uma mulher idosa se aproximou. O nome dela era Ana, e era abençoada por Deus, Ela ajudava o Senhor recebendo as mensagens Dele e mostrando aos outros o caminho para Deus. O marido de Ana tinha morrido depois de apenas sete anos de casamento, e desde então, ela vivera no templo, servindo a Deus e orando.
Feche os olhos. Tape os ouvidos com os polegares e cubra os olhos com os dedos. Ouça o som de sua respiração. O que você sente quando se dá conta da importância de ouvir o seu ato respiratório?
Vã e breve se mostra toda a consolação humana. Feliz e verdadeira a que se recebe interiormente da Verdade. Os espiritual leva consigo por toda a parte sua consolação: Jesus. “Permanece junto Amim, Senhor Jesus – diz-lhe, em todo lugar e tempo. Que minha consolação consista em preferir a ausência de toda consolação humana. E se tua consolação me faz falta, que tua vontade e a provação merecida sejam para mim a consolação suprema. Porque não é sem fim que ele se incrimina, nem é para sempre que guarda rancores” (Sl 102,9).
Ana olhou para o pequenino deitado nos braços de Simeão e disse: “Obrigado, ó, Deus. Este é Aquele por quem esperamos tanto tempo. Ele salvará Israel.”
Maria olhou para José. Havia acontecido tanta coisa desde que tinham ido para Belém que era difícil entender tudo o que estavam dizendo sobre Jesus. José passou o braço ao redor de Maria e, levando Jesus, deixaram o templo.
Lembrete:
Considere atentamente isto: como o Reinado de Deus vai fazer toda pessoa humana profunda e eternamente feliz? Ora, obviamente, o Reinado vai responder aos desejos mais profundos. Então, para termos bem nosso íntimo os desejos que levam a esse Reinado basta identificá-los e praticá-los
Por exemplo, podem me oferecer um emprego esplêndido que significa arrancar minha família de suas raízes quando ela mais precisa delas, de modo que preciso escolher de novo ser primeiro pai e depois trabalhador. Ou ainda, posso ser convidado a viver com um grupo (digamos em um ambiente universitário) e me sentir muito propenso a aceitar; mas primeiro tenho que decidir se o estilo de vida me deixaria pôr em prática meu propósito básico. É assim em tudo: tenho de estar preparado para ir para a esquerda ou para a direita, dependendo se esta ou aquela direção combina com meu propósito original. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário