1 de jul de 2013

AONDE VOU? PARA QUÊ?

“Não tenha medo! A Deus nada é impossível!” (Lc 1,30.37).
- Rezo a minha oração, nunca deixando de invocar o Espírito Santo.
Com os olhos da imaginação, vejo como Jesus vai percorrendo as cidadezinhas e os povoados da sua terra, chamando para segui-lo “aqueles que Ele quis” (Mc 3,13). Parece que Pedro e André foram chamados por duas ou três vezes até que aceitaram o apelo. Filipe e Mateus acolheram logo na primeira vez. Chamou os outros, dos quais não temos muitos pormenores. Chamou os 72 discípulos, que enviou dois a dois. Chamou o grupo amigo das discípulas. E entre as muitas mulheres chamadas, podemos contar Maria, sua Mãe!
Peço, então, favor da escuta, da atenção constante ao chamado, o dom da generosidade na resposta, pois todo o chamamento verdadeiro continua a ser “chamado novo”, que dura e se perpetua na história da pessoa.
Vivemos, na imaginação, os pormenores da vida cotidiana em Nazaré; Como Jesus, Maria e José surgem diante de nossos olhos em tempos diferentes, à medida em que Jesus cresce e eles ficam mais velhos: seus rostos, corpos, mãos; Como o seu lar é mobiliado pela carpintaria de José, a decoração interior de Maria e os pequenos objetos feitos por Jesus. As roupas que Maria faz para eles;
A sua horta, flores e árvores; A cidade, os vizinhos e o cenário.
Observar: Maria cozinhando, indo ao mercado, carregando a bilha à fonte da cidade, trazendo um gole fresco a José na carpintaria; José trabalhando e ensinando a Jesus o ofício de carpinteiro;
Rezo o chamado, considerando a vocação de Maria, Mãe de Nosso Senhor:
Meditação:
Vou me fazer presente junto a Nossa Senhora, considerando a dúvida. Toda vocação pede um discernimento pessoal, para ouvir claramente a voz que chama. Por isto Maria, casinha de Nazaré, pergunta: “Como se fará isso se não conheço homem?” (Lc 1,34). Na incerteza, Maria procura em Deus a solução. Reza, dialoga, apela a quem pode esclarecê-la. Na resposta do mensageiro, encontra conforto: “A força do Espírito te envolverá” (Lc 1,35).
Reflito sobre mim mesmo(a): o que é de novo, hoje, no meu chamado? Alguma dúvida me abala? Dou atenção ao meu Jesus, que me diz: “Não tenha medo! A Deus nada é impossível!” (Lc 1,30.37).

Nenhum comentário:

Postar um comentário