13 de nov de 2011

SILÊNCIO

O Príncipe queria falar com o seu pai. O Rei estava com a porta fechada. O filho esperou duas horas. Enfim o Rei o recebeu e perguntou: “Meu filho, o que você deseja?”.
Ele respondeu: “Queria falar contigo, mas antes quero falar com quem o senhor estava falando.”. O Rei estava fazendo as suas orações. O discípulo perguntou ao Mestre: “Qual é o melhor caminho para se chegar a Deus?”. O Mestre replicou: “Meditação.”. “O que é Meditação?”, perguntou o discípulo. Meditação é Silêncio; Silêncio é Meditação.
Para continuar a ler clique abaixo.
Em nossa vida tão cheia de ocupações devemos parar para Meditar no Silêncio. Cristo Jesus passou as noites orando. “De madrugada, no escuro da noite, Jesus levantou-se e saiu, retirando-se para um lugar deserto; ali, ele orava.” (Mc 1,35). O silêncio está relacionado com o fruto do Espírito Santo: “Eis o fruto do Espírito: amor, alegria, paz, fé, doçura, sobriedade; contra tais coisas não há lei.” (Gl 5,22). Todas estas virtudes são uma só coisa, por isso são chamados de “o fruto” e não “os frutos”. As virtudes são como um cacho de uvas, muitas “frutas” de um só ramo. O silêncio vai além dos pensamentos, palavras e imaginação. O silêncio dá paz ao coração.
            No livro místico “A Nuvem do Desconhecido”, aprendemos a conhecer Deus no silêncio de nosso quarto. Não é pelo intelecto. Só percebemos Deus pelo coração. “Quanto a ti, quando quiseres orar, entra em teu quarto mais afastado, tranca a tua porta, e dirige a tua oração ao teu Pai que está ali, em segredo.” (Mt 6,6). Não sejamos como o peixinho procurando o imenso oceano mas só vê a água. Não podemos explicar a cor verde a um cego, nem usando metáforas. Deus é o desconhecido e só Ele pode explanar-se na sua maneira e, sobretudo, em nosso silêncio e meditação.
            Qual é a maneira de atingir o silêncio? Muitos chegam ao silêncio pelos cinco sentidos. Concentram por exemplo, na inspiração, no olfato, olhando a beleza da criação que é a Dança de Deus, ouvindo cada nota de uma sinfonia, cheirando o perfume de uma rosa, saboreando a bela doçura de Deus, sendo tocado pela Eucaristia e outros Sacramentos. O pequeno Príncipe ouviu a raposa falar: “Só se pode ver corretamente com o coração. O essencial é invisível.”.
            O discípulo diz ao Mestre que Ele está escondendo o segredo da vida. Andaram pelos campos e ouviram um pássaro cantar. O Mestre perguntou: “Ouviu aquele pássaro cantar?”. “Sim.”, disse o discípulo. “Agora entende o segredo”, o Mestre falou. O pássaro cantou porque tem uma melodia na sua garganta. Rezamos porque temos Deus em nosso coração.
Finalmente, nós entendemos o Silêncio, a Meditação e a Contemplação nas Sagradas Escrituras. Quando lemos um texto devemos colocar uma página em branco encima de outra página para que paremos em silêncio, para orar. Assim, dançamos a Dança de Deus, ouvimos a Canção Divina, prestamos atenção à música silenciosa para que nossa vida seja uma contínua Contemplação, observando Deus em todas as coisas e todas as coisas na sua Divina Majestade.
            Assim é o Silêncio e a Meditação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário