29 de ago de 2013

TEMPO TRANQÜILO

“Desejei ardentemente comer esta Páscoa com Vocês antes de sofrer, porque eu lhes digo: já não a comerei até que ela se realize no Reino de Deus” (Lc 22,15.16).
Você sabe que “tempo tranqüilo” é um tempo de calmaria, quando os ventos não sopram, você não percebe nem consolação, nem desolação a respeito de um assunto a decidir num certo momento da vida. Mas você tem certeza, na Fé, de que precisa perceber a vontade de Deus para acertar. Você reconhece, na Fé, que Ele lhe deixou o uso das faculdades naturais: memória, inteligência e vontade. Há um modo de escolher o rumo a tomar, com várias possibilidades. Contudo, uma regra básica precisa ser levada a sério.
É esta a regra fundamental: “Que o amor que me move e faz escolher desça do alto, do amor de Deus. Assim, quem escolhe sinta primeiro em si como o amor maior ou menor ao que elegeu e seja motivado apenas pelo seu Criador e Senhor”.
Tente só estar com Jesus.
Tente focalizar o melhor que possa a experiência de Jesus. O que Ele sentiu? Entre nos medos de Jesus, em seus desgostos, seu vazio e angústia. Jesus não foi um “corpo”, mas sim uma Pessoa, com todos os afetos e emoções humanas.
O que quero: Peço ao Senhor sentir pena por tudo o que Jesus passou, e mesmo angústia e lágrimas. E humilhação, vendo o que Jesus teve de suportar por mim.
Meditação:
Este amor que desce do alto recorda-nos o Salmo (17[18],17.20): “Lá do alto Ele estendeu a mão e das águas profundas me retirou... Ele me libertou porque me ama”. Esta foi a experiência de Pedro quando Jesus o tirou das águas (Mt 14,24-33). Somente a vivência deste amor que acode e liberta pode nos garantir clima para uma decisão acertada, segundo a sabedoria da Cruz (cf. 1Cor 1,18-30), tão fora do nosso modo de pensar!
Neste ambiente interior, em Cristo, sabedoria de Deus, podemos pensar no conselho que daríamos a alguém que não é nosso conhecido (uma pessoa que encontramos, por exemplo, durante uma viagem e nos pergunta o que fazer). O que eu lhe diria, para a maior glória de Deus e a maior perfeição daquela pessoa? “Então, agir como lhe proporia”.
Senhor Jesus Cristo, eu sabia que quebraria meu coração de desgosto por Ti. De todas as pessoas do mundo, Tu eras a que menos deveria ter sofrido. Estou triste por tudo o que Te fizemos enquanto quebravas Teu coração de dor por mim. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário