21 de ago de 2013

POR QUE TEM MEDO?

“Meu coração está pronto, ó Deus! Meu coração está pronto. Quero cantar, a ti louvar” (Sl 108,1-13).
Começando, preparo meu “santuário” exterior e interior (corpo e alma em oração).
Com os olhos da imaginação, ensinados pela fé, chego junto ao lago, forte, agitado, o mar da Galiléia, onde Jesus dormiu no barco.  Aqui, neste lugar sagrado, peço a graça de me confiar e entregar totalmente a Jesus. Ele, que domina os elementos cósmicos – vento e ondas -- , saberá acalmar os mares agitados na minha vida, ajudar-me a cruzar as horas difíceis e chegar à outra margem, vencendo o medo com a fé.
- O Evangelho é para mim também. Empenho-me em me sentir convidado(a) a ver, ouvir e observar tudo o que ele me traz. Assim, não tenho dificuldade de entrar na barca. Observo. Jesus dorme, o mar se agita, ondas varrem a barca, ventos fortes a jogam de cima para baixo, de um lado para o outro... Reparo em mim e nos outros nesta hora. Ouço o que dizem: ordens, contra ordens, gritos, silêncios de pavor, e finalmente: “Senhor! Salva-nos! Nós vamos morrer!”.
- No meio deste tumulto, escuto a voz que consola, mas também adverte: “Por que tanto medo, gente fraca na fé?”. Observo meu coração. Observo as reações dos demais. E olho para Jesus, reparo bem na sua atitude: de pé, dá ordens às ondas e aos ventos.
Talvez seja bom observar que somos capazes de deliberadamente lembrar acontecimentos passados e de renovar os sentimentos que os cercam. Podemos realmente fazer o que Iñigo sugere: “Procurarei antes a dor, a tristeza, a aflição, recordando muitas vezes as penas, as fadigas e dores que Nosso Senhor Jesus Cristo padeceu, desde o seu nascimento até o mistério da Paixão, em que agora me encontro”
Lembrete:
- Faz-se a calma. Já vi isto na minha vida? Já vivenciei coisa assim? E os corações dos discípulos se curvam de espanto diante do tamanho poder: “Quem é este homem a quem até os ventos e o mar obedecem?”. E o meu coração também se curva?
Deus nosso Criador e Senhor, peço-Te para que eu possa ser um amigo para Teu Filho e assumir os sofrimentos que Ele  abraçou por todos que trouxeste à vida e por mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário