30 de mar de 2011

O SOPRO DA VIDA

            Sete mil anos atrás os Mestres de Yoga, na Índia, entendiam que a respiração é a ligação mais importante entre nosso corpo e nossa mente.
Regulando nossa respiração influenciamos nosso sistema nervoso e nosso cérebro. A Yoga, por exemplo, pratica este controle fantástico equilibrando as batidas do coração, a pressão arterial, a digestão, o metabolismo e a temperatura do corpo.
Para continuar a ler clique abaixo.
A palavra Sânscrita para espírito é prana, que significa vida. Prana é o sopro da vida. O apóstolo Paulo escreveu que Deus é aquele em que respiramos, movemos e existimos. Há muitas técnicas na Yoga para controlar a inspiração e a expiração. Uma é a Pranayama. Prana quer dizer “espírito” e Yama, “controle”. Espiritualidade chama isto Criador e a criação, o Dançarino Divino e a dança humana, é a Canção do Eterno produzindo a música terrena.
Quando respiramos profundamente e equilibramos nossa oxigenação, nossa vida fica mais tranqüila. Conseqüentemente, podemos pensar melhor e viver com mais alegria. Também nossa consciência é menos destratada e nossos pensamentos e emoções se tornam melhores.
            Em latim espíritus quer dizer “sopro”. Em grego a palavra é pneuma, a qual significa que respiração é o real caminho ao espírito. Vivendo espiritualmente, nossos cinco sentidos funcionam corretamente, podemos nos concentrar melhor e, nas horas livre, viver uma vida de meditação e contemplação. É um salto à liberdade completa.
            Cada movimento de inspiração pode ser uma maneira de viver. Quando inalamos o ar imaginemos que estamos recebendo energias puras, limpas e relaxantes. Com cada exalação podemos inferir que estamos mandando embora todos os obstáculos, estresses e emoções negativas. Não precisamos de um local especial para inspirar e expirar. Podemos fazer estes movimentos, pausadamente, no automóvel no caminho para o trabalho, esperando o semáforo, sentado no computador, preparando as refeições, limpando a casa ou simplesmente caminhando.
            Quando observamos nossa inspiração e expiração podemos perceber que é como um rio desaguando no mar. Assim, a mente trabalha com amor, bondade, harmonia, felicidade e paz.
            Inspiração e expiração pausadas acabam com nossos medos, pois estamos no processo de cair nos cuidados de Deus como criaturas maravilhosas, concebendo dentro de nós a presença Divina e recebendo os fluídos do Seu amor. Quando sopramos estamos automaticamente no presente, vivemos no aqui e agora. A idéia de vivermos somente para este segundo nos conduz à interiorização e, portanto, ao encontro de verdadeiros valores: família, amigos, Pátria e Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário