5 de nov de 2012

UM BEBÊ NO CESTO (Êxodo 2-4)

Muitas e muitas vezes, por causa de edital do faraó para matar os bebês de sexo masculino, logo que uma mulher hebréia dava à luz um menino, os soldados descobriam e iam até a sua casa. Apesar dos gritos da mãe, tomavam-lhe o bebê, e ela sabia que nunca mais veria seu filho.
Uma mãe, que havia tido um menino, tentou tudo o que pôde para mantê-lo vivo. Estava desesperada para salvá-lo.
Por três meses conseguiu escondê-lo. Ele chorava pouco, e os soldados que passavam por sua casa não o ouviam. Mas, quando completou três meses, não conseguiu mais escondê-lo.
“Tem de haver algo que possamos fazer”, dizia a seu marido. Noite após noite, oravam. Sua filhinha, Miriam, a irmã mais velha do menino, orava com eles. Então, a família teve uma idéia. A mãe teceu uma cesta de junco e a cobriu de betume e piche. A cesta tornou-se um barquinho. Pegou o bebê, o envolveu em cobertores e o deitou no cesto.
Miriam e a mãe levaram a cesta até o rio e a colocaram com cuidado no meio do capim, na beira d’água.
“Cuide dele, Miriam”, disse a mãe. “Preciso ir para casa, ou os soldados vão querer saber o que estou fazendo. Eles nunca pararam de vigiar desde que eu disse que o bebê que estava esperando havia morrido. Vou para casa orar. Mas cuide da cesta e me conte imediatamente se alguma coisa acontecer.”
Na cesta, o pequenino dormia. As ondas o embalavam suavemente, como sua mãe fazia sempre para que dormisse. E Miriam vigiava.
Deus estabelece meus valores. Dito em poucas palavras: quero certas coisas, mas de maneira alguma, colocaria meus desejos e valores acima daqueles que Deus imprimiu em minha consciência – esta consciência concreta, com seus próprios ditames. Aceito-a, e me alegra o fato de depender de Deus.
Lembrete:
Resumindo: vivo para obedecer a Deus, que se manifesta ao meu espírito. Deus colocou no mais profundo do meu ser o anseio de chegar até Ele, e decidi realizar o desejo de me entregar a Ele, acima de qualquer outro desejo, e nada fazer que me afaste Dele. Este é o primeiro modo da humanidade.
Aceito com alegria e sabedoria dos profetas e dos sábios de outrora: o mundo, e tudo que contem, é do Senhor. É um fato que me seria impossível seguir, tão cuidadosamente, minha consciência, não fosse pelo grande amor que está crescendo em minha vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário