3 de nov de 2012

AMOR EXIGENTE

“Uma vez vencido e extirpado este mal, surge logo uma grande paz e a tranqüilidade”. (Mt 8,26)
Se tens grande desejo de chegar a este ponto, é preciso que comeces com coragem e coloques o machado à raiz (Mt3,10) para arrancar e destruir a propensão oculta e desordenada que te arrasta para ti mesmo e para todo bem material que açambarcas. Desta falta, que leva a amar a si mesmo de maneira desordenada, depende quase tudo o que é preciso atacar pela raiz e vencer: uma vez vencido e extirpado este mal, surge logo uma grande paz e a tranqüilidade (Mt 8,26). Há poucos que trabalham para morrer perfeitamente a si mesmos e sair totalmente de si. Permanecem presos a si mesmos e incapazes de se elevar espiritualmente acima de si. Quem deseja caminhar comigo na liberdade deve, necessariamente, fazer morrer todas as afeições más e desordenadas, e não se apegar ciosamente, com amor interessado, a nenhuma criatura.
Renascer na herança das raízes culturais é dar sentido à dignidade de ser gente assumindo, em cada etapa, o papel de pais e com os desafios dos limites à frente.
Assim como os pais e filhos não são iguais, enfrentamos conflitos sem culpa premente, e cada um seja responsável, sempre mais, sem ferir o comportamento consciente.
É na posição da tomada de atitude que vem surgir a crise para a real mudança e onde a força do grupo de apoio não ilude.
Nada se faz sozinho e sem cooperação, pois, a disciplina é a maior esperança para semear o amor que exige o coração.
A pessoa humilde aceita positivamente, com gosto e criatividade, o fato de ser uma criatura. Ela reconhece suas limitações em fatos concretos. Abraça a idéia de sua absoluta dependência de Deus e até nela se regozija. Não pretende controlar tudo na vida, mas considera a vida como uma série de presentes inesperados. A pessoa humilde aceita ser criatura como ela é. Se inclui na condição pecaminosa da humanidade. Esta aceitação de sua realidade pecadora – nem cumplicidade nem passividade – surge da decisão de ver as coisas como elas são, pois o contrário significaria uma sutil rejeição da criação e da providência de Deus.
Lembrete:
O primeiro sinal da humildade aparece quando a pessoa conhece a si mesma e ao seu mundo com clareza e objetividade. É o que expressa o ditado “a humildade é a verdade”. Portanto, como diz a Escritura, devemos viver amorosamente. Isto significa que a humildade deve ser posta em prática. Não é apenas uma atitude, muito menos um sentimento.

Um comentário:

  1. Anônimo8/11/12

    Padre eu quero muito ler este livro: Amor Exigente, mas nao consigo achar para comprar, onde posso achar para comprar?
    É muito lindo, Parabens!

    ResponderExcluir