4 de nov de 2012

A PRINCESA E O CHORO DE UM BEBÊ

“Joguem os filhos deles no rio Nilo!”, disse. “Mas as filhas podem viver”. (Êxodo 1,1-22)
Quase 400 anos depois da vinda de José e Jacó, seu pai, houve um faraó muito cruel no Egito que obrigou os hebreus trabalharem como escravos. Os hebreus clamavam a Deus: “Salve-nos, Senhor! Vivemos aqui há tempo demais. Por favor, tire nos logo daqui”. Eles oravam e oravam, mas havia homens cruéis que os chicoteavam e os faziam trabalhar tanto que os mais fracos e velhos morriam. Foi uma época triste para o povo de Israel.
Apesar de todo o trabalho que o faraó mandava os hebreus fazerem, suas famílias continuavam a crescer. O faraó tinha medo de tantos hebreus, não queria que os seus meninos se tornassem homens e que o povo se fortalecesse. Então, chamou duas parteiras que ajudavam as mulheres hebréias a ter seus filhos.
“Quando vocês forem ajudar as mulheres hebréias”, ordenou, “vejam se o bebê é um menino. Se for, matem-no, mas deixem as meninas viverem”. Então, as parteiras oraram para que o Senhor lhes desse forças para fazer o que era certo, não importando o que o faraó quisesse.
As parteiras decidiram não matar os meninos hebreus. Quando o faraó soube, mandou chamá-las. “Por que não fizeram como mandei?”, rugiu.
As mulheres estavam com medo, mas queriam proteger os bebês. Deus as abençoou por protegerem os recém nascidos de seu povo. Ele não deixou que o faraó as punisse e deu lhes maridos carinhosos e muitos filhos. O faraó, porém, continuava insatisfeito. Ordenou a todos os egípcios que matassem qualquer bebê hebreu do sexo masculino que encontrassem.
“Joguem os filhos deles no rio Nilo!”, disse. “Mas as filhas podem viver”.
Lembrete:
Jamais será um órfão carente de afeto, rejeitado e abandonado. Tu não estás  sem pai. Eu, o Deus do universo, sou teu Pai eterno. Eu vi tudo o que te aconteceu, e eu te conduzirei até a vitória. Sê apenas humilde e deixa-me agir segundo meus desígnios. Ao tentar superar a prova por ti mesmo, tu arriscas estragar tudo. Sê paciente, meu filho, e espera. Tudo concorrerá para teu bem e minha glória, e por fim te alegrarás.
Maus pensamentos enfraquecem, ou inquietam, ou perturbam a pessoa, tirando-lhe a paz, tranquilidade e quietude que antes possuía. Sem distrações procuramos com a força divina, bons e divinos pensamentos no Espírito de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário