21 de ago de 2011

PLURALISMO

            Recentemente os Jesuítas, internacionalmente falando, concluíram o tempo da Congregação Geral nº 35. Escrevendo sobre nossa missão, hoje nas fronteiras do apostolado, os Jesuítas têm uma ligação dinâmica entre a fé e a promoção de justiça no Reino de Deus. Isto também consiste em diálogo com outras tradições religiosas como dimensões integrais de evangelização.
Para continuar a ler clique abaixo.
            Meditando sobre nossa missão penso que em primeiro lugar temos que entender exatamente o que é a nossa fé e como podemos compreender viver e amar outras tradições religiosas.
            Os Católicos acreditam que Jesus Cristo é Deus e que foi encarnado para promover o Reino de Deus, para a maior Glória da Divina Majestade, no amor tanto para homens quanto para Deus.
            Outras religiões, às suas maneiras, promovem estes mesmos ideais. Confúcio e Lao-tze ensinaram éticas cuidando, sobretudo, das crianças e velhos. Buda ensinou cinco mandamentos semelhantes aos Dez Mandamentos de Moisés; promovia desapego e procurava iluminação. O Zen-Budismo tem liturgia e é uma religião. Maomé apresentou-se como o profeta de Ala. Na Índia, Brahma mostrou a sua Trindade em Vishnu e Shiva. Vishnu apareceu na terra na pessoa de Rama e casou-se com Siva. Numa outra ocasião Vishnu apareceu como Krisna.
            O Protestantismo chegou protestando por reformas e hoje é muito avançado em Pentecostalismo. O Mormonismo avança devido a sua apostolicidade com os jovens que dedicam dois anos completos de vida às suas doutrinas. No Brasil existem mais Espíritas que no resto do mundo; são exemplos de caridade. Como outras religiões, acreditam em reencarnações. É um fato afinal que todas as religiões, cujas doutrinas dão ênfases à reencarnação, chegam a um só Deus. No Oriente a palavra é Nirvana. Todas também têm as suas Sutras, Quran e a Bíblia.
            Um cientista cristão que defendia a interpretação literal da Bíblia, linha a linha, encontrou um colega que dizia: A Bíblia afirma que o homem foi criado há uns cinco mil anos. Mas já desenterramos muitos ossos que nos mostram que a vida existe aqui, neste planeta, há já muitas centenas de milhares de anos. Veio pronta a resposta do colega: “Quando Deus há cinco mil anos atrás, criou a terra, de propósito plantou nela esses tais ossos pra ver se nós, depois, daríamos mais crédito aos cientistas ou à Sua Santa Palavra”.
Mais uma vez o fanatismo distorce a realidade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário